Menu
2020-03-12T18:07:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Mercados em pânico

Juros voltam a subir forte e Tesouro intervém com recompra de títulos públicos

Mercado de juros, que já vinha sentindo os efeitos do coronavírus, entrou no modo pânico depois que o Congresso derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro ao aumento do limite do BPC

12 de março de 2020
10:59 - atualizado às 18:07
Mercado de ações Ibovespa
Imagem: Shutterstock

Em uma tentativa de aliviar o choque no mercado de juros em meio à tempestade nos mercados, o Tesouro Nacional começou a intervir com leilões de recompra de títulos.

As operações ocorrerão entre hoje e 18 de março e serão realizadas em coordenação com o Banco Central.

“O objetivo da atuação é fornecer suporte ao mercado de títulos públicos, garantindo bom funcionamento desse e de outros mercados correlatos”, informou o Tesouro, em comunicado.

Leia também:

O Tesouro já anunciou operações de recompra e revenda de NTN-B das 11h às 11h30, para títulos com vencimento em 2024, 2025, 2026, 2028 e 2030.

O leilão de venda de títulos corrigidos pela Selic (LFT) que estava programado para hoje foi cancelado e será reagendado oportunamente, segundo o Tesouro.

O mercado de juros futuros, que já vinha sentindo os efeitos da maior aversão a risco provocada pelo coronavírus, entrou no modo pânico depois que o Congresso derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto que eleva o limite de renda familiar per capita para concessão do benefício de prestação continuada (BPC).

O anúncio dos leilões de recompra trouxe algum alívio ao mercado, mas os juros seguiam em alta. Por volta das 16:50, o contrato futuro de juros com vencimento em janeiro de 2021 subia 0,48 ponto para 4,70%. O DI para 2025 avançava 0,96 ponto, para 7,85%, e o de 2027 tinha alta de 0,85 ponto, para 8,45%.

Diante da forte volatilidade nas taxas dos títulos, o investidor pessoa física não consegue operar no Tesouro Direto na manhã desta quinta-feira.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Turbulência

Latam reduz prejuízo em 79% e anota perda de US$ 430,8 milhões no 1º trimestre

A receita operacional total da aérea foi de US$ 913,1 milhões no primeiro trimestre, queda de 61,2% sobre o mesmo período de 2020

Bitcoin popular

Goldman Sachs e Citibank anunciam novos investimentos em bitcoin

A ideia é tentar oferecer a maior variedade de serviços e evitar as oscilações, típicas e comuns no mundo das criptomoedas

Movimentação societária

CCR em disparada: por que a saída da Andrade Gutierrez do bloco de controle ajuda as ações?

As ações ON da CCR lideram os ganhos no Ibovespa após a Andrade Gutierrez receber proposta para a venda de sua fatia na companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies