Você pode ter uma renda semanal de até 500 dólares na sua conta; descubra como aqui

Vinícius Pinheiro

Olá, tudo bem?

Eu sou o Vinícius Pinheiro (@vinipinn), repórter especial do Seu Dinheiro. Se você já acompanha esse mundo de economia e finanças é possível que tenha se deparado com alguma das minhas reportagens em jornais como O Estado de S.Paulo, Valor Econômico e Gazeta Mercantil. Mas certamente não sabe muito mais sobre mim além do nome que vem no cabeçalho de cada uma dessas matérias.

Imagino que a sensação de escrever um texto sobre si próprio seja parecida com aquela que as pessoas relatam quando passam por uma situação extrema: o filme da sua vida passa pela frente. No meu caso, o filme (ou novela, como preferir) exibido foi o da minha vida profissional.

E a primeira imagem que surgiu, logo depois dos créditos imaginários, foi a de um jovem estudante de jornalismo que nos fins de semana tocava (mal) contrabaixo em uma banda de rock chamada Os Imigrantes, que estava prestes a estourar. Faltava apenas sair da garagem.

Na remota hipótese de a banda não der certo, o plano B era me tornar jornalista de cultura. Eu já me imaginava sendo enviado para congressos internacionais de literatura, onde faria longas entrevistas com prêmios Nobel regadas a charutos e destilados.

A realidade, porém, insistia em se impor. E nela eu precisava despertar todos os dias pouco antes das cinco da manhã, a tempo de pegar o ônibus fretado que me levava de Santos para São Paulo, onde trabalhava como técnico do Procon (sim, o órgão de defesa do consumidor). Depois de passar as oito horas seguintes ouvindo reclamações, ainda precisava descer a serra para assistir às aulas na faculdade.

Eu já estava no último ano do curso de jornalismo em janeiro de 1999 quando cheguei para mais um dia de trabalho. O horário de atendimento começava às 8h e era comum encontrar algumas pessoas à espera na porta do velho prédio da Rua Líbero Badaró. Mas naquela manhã a fila se estendia por vários metros e chegava perto do antigo Banespinha, que anos mais tarde viraria a sede da Prefeitura.

O problema de quase todos à espera de atendimento no Procon naquela manhã era parecido: a prestação do financiamento do carro havia praticamente dobrado de um mês para o outro. Foi só quando se dirigiram ao banco em busca de explicações que eles descobriram que não haviam contraído um empréstimo normal, mas um leasing cambial.

Tratava-se de uma alternativa mais barata de financiar o carro oferecida pelos bancos na época, mas com o pequeno detalhe de o valor dos boletos estar sujeito à flutuação do dólar. Como a cotação da moeda se mantinha controlada pelo regime de bandas, nem os bancos se preocupavam em informar nem os clientes em saber desse risco. Isso, é claro, até as bandas estourarem e o governo passar a adotar o câmbio flutuante.

Perdi a conta de quantos consumidores entre confusos e revoltados atendi nos meses que se seguiram. Nesse meio tempo, fui atrás de mais informações sobre aquela crise, intrigado como problemas em países tão distantes como a Rússia ou a Coreia podiam influenciar a nossa economia. Além, é claro, de nossos próprios erros e fragilidades.

Conforme aprendia, fui tomando gosto por essa coisa de economia. Deixei o Procon, onde era funcionário concursado, logo depois da formatura para abraçar a profissão de jornalista. A banda de rock, quem diria, jamais deixou a garagem, e os planos de entrevistar prêmios Nobel de literatura foram substituídos pelos meus próprios livros de ficção. Escrevi os romances O Roteirista, publicado pela Rocco em 2007, e Abandonado, que saiu pela Geração em 2015 – nenhum deles descoberto (ainda) pela Academia Sueca.

Junto com a paixão (e sofrimento) por escrever, a curiosidade por entender mais sobre economia e finanças só aumentou nesse período. Como repórter, tive a oportunidade de estar bem próximo dos acontecimentos que movimentaram o mercado de capitais brasileiro nos últimos anos.

Eu cobria o sobe e desce da bolsa quando o Ibovespa atingiu seu primeiro grande recorde histórico em 2008. Assisti ao discurso do ex-presidente Lula, que na época ainda era “o Cara”, para uma plateia de banqueiros na bolsa no fechamento da megacapitalização da Petrobras. Acompanhei o Brasil ganhar e perder o grau de investimento das agências de classificação de risco. E reforcei a equipe de política na votação do Senado que selou o impeachment da ex-presidente Dilma.

Agora estou aqui no Seu Dinheiro, para trazer a você algumas dessas histórias enquanto outras histórias se repetem, mas sempre de uma maneira nova. Espero que você me acompanhe e também faça parte deste filme, que ainda promete muitas emoções.

Aquele abraço,

Vinícius Pinheiro

Mostrar mais
Publicações
DEVO, NÃO NEGO...

CVC (CVCB3) divulga prévia de resultados em meio a negociação com credores, mas os números não empolgaram

6 de fevereiro de 2023 - 9:45

A última vez em que a CVC divulgou prévia de resultados foi dias antes de a empresa anunciar uma oferta de ações; números vieram abaixo do esperado pelo JP Morgan

FUTURO PLANEJADO

Quanto investir para garantir uma renda igual ao teto do INSS no Tesouro RendA+, o título do Tesouro Direto para aposentadoria

5 de fevereiro de 2023 - 9:38

Quanto mais tempo você puder esperar para começar a receber a renda, menos precisará investir. Confira duas simulações no Tesouro RendA+

QUEM PAGA A CONTA?

Mais problemas para sócio de Lemann: Light (LIGT3) é rebaixada para nível perto de calote por agência de risco

2 de fevereiro de 2023 - 17:14

Carlos Alberto Sicupira possui 10% das ações da Light, que contratou consultoria em anúncio que soou como o famoso “devo, não nego, pago quando puder”; entenda o caso

TURBULÊNCIA FINANCEIRA

CVC (CVCB3) deve, não nega, mas contrata banco para “reperfilar” dívida de debêntures

31 de janeiro de 2023 - 10:36

Anúncio da negociação com os credores de debêntures acontece um dia depois de as ações da CVC desabarem na B3; entenda a situação da empresa

TAXA SALGADA

O Banco do Brasil aumentou a taxa pela gestão dos fundos do governo. E vai faturar uma bolada com isso

30 de janeiro de 2023 - 9:39

Retorno dos fundos do governo sob gestão do Banco do Brasil não tem sido dos melhores, com uma média equivalente a 85% da Selic em 2022, de acordo com o JP Morgan

ESPETO NA BRASA

Calote da Americanas (AMER3) pode custar até 30% do lucro dos grandes bancos no trimestre; veja quem será mais afetado

25 de janeiro de 2023 - 15:05

Provisões dos bancos no próximo balanço com recuperação judicial da Americanas podem chegar a até R$ 8 bilhões, de acordo com a XP

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Seu Dinheiro virou petista? Por que lançamos o Diário dos 100 dias de Lula

25 de janeiro de 2023 - 10:11

Afinal, por que dedicar tempo para acompanhar os primeiros passos de Lula? Confira a resposta e também os destaques desta quarta-feira

CRÉDITO PRIVADO

Rombo contábil da Americanas (AMER3) aumenta risco de calote para investidor de CRA da Hortifruti

18 de janeiro de 2023 - 18:29

A Americanas é devedora de R$ 175 milhões da emissão realizada em março de 2021; CRA conta com isenção de imposto de renda para investidor pessoa física

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Sonho Grande que virou Rombo Grande na Americanas (AMER3), o pacote de Haddad e outros destaques de mais um dia agitado nos mercados

12 de janeiro de 2023 - 8:26

A “inconsistência contábil” na Americanas representa quase o dobro do valor de mercado da varejista. Antes da descoberta, a empresa valia R$ 10,9 bilhões na B3

AÇÕES COMO MOEDA

Orizon (ORVR3) fará aumento de capital para pagar por aquisição e bônus de diretores acertado no IPO

27 de dezembro de 2022 - 10:05

A empresa de tratamento de resíduos, que abriu o capital na B3 em fevereiro de 2021, vai emitir R$ 348,2 milhões em novas ações para acertar as contas

Redes Sociais

SEU DINHEIRO NO DOMINGO

O melhor dividendo que você pode receber

25 de dezembro de 2022 - 11:07

Cada escolha que fazemos — além das que a vida faz por nós — é um investimento, e alguns rendem frutos mesmo quando não esperamos nada em troca

ARBITRAGEM

JBS (JBSS3) vai receber R$ 543 milhões de empresa de Joesley e Wesley Batista em processo relacionado à Lava Jato

23 de dezembro de 2022 - 10:42

A J&F Investimentos se comprometeu a pagar a quantia milionária para dar fim à arbitragem aberta pela JBS após a delação premiada dos empresários

DÍVIDA QUITADA

Eletrobras (ELET3) faz transferência milionária para CSN (CSNA3) e se livra de mais um esqueleto

23 de dezembro de 2022 - 9:02

Com o acordo, a Eletrobras transfere participação na CEEE-G e põe fim ao processo movido pela CSN sobre a correção monetária de créditos do antigo empréstimo compulsório

NO ALTAR DA BOLSA

O casamento no shopping enfim vai sair: Aliansce Sonae (ALSO3) e brMalls (BRML3) marcam as datas e as condições para consumar a fusão

20 de dezembro de 2022 - 9:53

As companhias selaram a combinação dos negócios, com a incorporação da brMalls pela Aliansce Sonae em um negócio na casa de R$ 6,6 bilhões.

WALL STREET X FARIA LIMA

Investidor estrangeiro ainda “faz o L” e entra com R$ 7 bilhões na bolsa brasileira desde a vitória de Lula

14 de dezembro de 2022 - 10:24

No acumulado do ano, o saldo de compras e vendas de ações na bolsa brasileira pelo investidor estrangeiro já chega a R$ 91 bilhões

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Sai Tite, entra Powell: Expectativa com Fed, pessimismo com Lula e mais notícias para esta segunda-feira

12 de dezembro de 2022 - 8:27

O BC norte-americano trava uma dura batalha para vencer a inflação, a zebra que surpreendeu a seleção da política monetária em 2022

DEZ ANOS DEPOIS...

Dilma venceu? Auren Energia (ex-CESP) faz acordo bilionário para receber indenização por usina

8 de dezembro de 2022 - 9:35

Auren Energia (antiga Cesp) vai receber R$ 4,1 bilhões atualizados pela Selic, mas valor é o mesmo que o governo da ex-presidente já estava disposto a pagar em 2014

EM BLOCO

Fundo de Pedro Moreira Salles se une a gestoras renomadas em acordo de acionistas na Eneva (ENEV3)

7 de dezembro de 2022 - 9:21

O novo bloco, formado por Cambuhy, Atmos, Dynamo e Velt, detém 35,7% do capital da Eneva e fica à frente do BTG Pactual, maior acionista da empresa de energia

DINHEIRO NOVO

Mais uma empresa novata na B3 pede dinheiro aos acionistas e planeja aumento de capital por valor 62% abaixo do IPO

5 de dezembro de 2022 - 12:26

A provedora de serviços de internet Desktop (DESK3) fará um aumento de capital privado de até R$ 300 milhões; ações caem forte na B3

BOLSA DE VALORES E DADOS

B3 (B3SA3) reforça aposta no “ouro” dos dados com aquisição da Neurotech

10 de novembro de 2022 - 8:46

Dona da bolsa de valores brasileira, a B3 vai pagar até R$ 1,142 bilhão pela Neurotech, empresa de sistemas de inteligência artificial, machine learning e big data

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies