Menu
2020-03-16T12:00:08-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mais volatilidade

Tesouro Direto permanece fechado nesta segunda; só negociação de Tesouro Selic está funcionando

Com forte oscilação de juros no mercado futuro, negociação de títulos prefixados e atrelados à inflação permanecem suspensas.

16 de março de 2020
10:24 - atualizado às 12:00
Portões fechados com cadeado
Portões fechados: Tesouro Direto não funciona em dia de volatilidade - Imagem: Shutterstock

O Tesouro Direto permanece fechado mais uma vez na manhã desta segunda-feira (16) devido à forte volatilidade das taxas de juros no mercado futuro. Só é possível negociar Tesouro Selic (LFT), que inclusive é o único que aparece disponível tanto na área logada quanto na área deslogada do site do programa.

Mais cedo, constava no site do Tesouro Direto que a plataforma de negociação de títulos públicos estava "em manutenção". Agora, consta "mercado aberto", mas apenas para títulos Tesouro Selic. Quem detém prefixados ou títulos atrelados à inflação ainda não consegue negociá-los.

Mesmo assim, a negociação de Tesouro Selic começou com atraso. Eu tentei efetuar uma compra entre 9h30 e 10h e não tive sucesso. O site do programa me retornava a mensagem "O mercado encontra-se em manutenção. Você pode realizar a sua operação a partir das 9h30", mesmo já tendo passado das 9h30.

Solicitei uma resposta à assessoria de imprensa do Tesouro Nacional e eles apenas responderam que "as negociações com Tesouro Selic estão ocorrendo. As demais operações com Tesouro Direto estão paralisadas". Depois das 10h, tentei comprar o título novamente, e funcionou.

No site do Tesouro Direto constava, até há pouco, que a plataforma de negociação de títulos públicos, que normalmente abre às 9h30, permanecia "em manutenção". Agora, consta "mercado aberto", mas apenas para Tesouro Selic.

O Tesouro Nacional ainda não emitiu nenhum aviso sobre o porquê do atraso na abertura, mas provavelmente se deve à forte volatilidade vista no mercado de juros futuros nesta segunda. Em situações como essa, é normal que as negociações no Tesouro Direto fiquem suspensas a fim de atualizar preços e taxas dos títulos.

Na semana passada, o Tesouro Direto teve momentos de suspensão tanto na quinta quanto na sexta, o que impediu, nesses períodos, que as pessoas físicas fizessem compras e vendas, até mesmo de Tesouro Selic título no qual muitas pessoas investem sua reserva de emergência.

Na sexta, porém, o Tesouro anunciou que, daquele dia em diante, a negociação de Tesouro Selic pela plataforma seria possível mesmo quando o mercado estivesse fechado.

Forte oscilação de juros

Após o Federal Reserve, o banco central americano, zerar a taxa de juros dos Estados Unidos na noite de ontem, os juros futuros amanheceram com fortes oscilações por aqui. Os juros de curto prazo despencam com a perspectiva de que o nosso Banco Central cortará juros na próxima reunião do Copom, marcada para esta semana, e o mercado aposta em um corte agressivo.

Já os juros de longo prazo disparam com o aumento do pânico global e aversão a risco. O segundo corte extraordinário de juros efetuado pelo Fed, inclusive antecipando a reunião marcada para a próxima quarta-feira, bateu mal para o mercado. Investidores interpretaram a imensa agressividade do órgão como um sinal de que as coisas estão piores do que o esperado inicialmente.

Os índices futuros de Nova York chegaram a bater limite de baixa (queda de 5%) na noite de ontem e as bolsas americanas amanheceram com queda de mais de 7%, acionando o mecanismo de circuit breaker e paralisando as negociações. No Brasil aconteceu o mesmo, após uma queda superior a 10% na abertura. O petróleo também despenca em torno de 10% com a notícia de que os sauditas produzirão em capacidade máxima.

Nesta manhã, os contratos de DI com vencimento em janeiro de 2021 recuam 5,82%, enquanto aqueles com vencimento para 2023 avançam 8,80%. Os juros para janeiro de 2025 sobem 9,35% e aqueles para janeiro de 2027 avançam 11,35%. O dólar sobe 3,00%, para R$ 4,9607, contribuindo para a alta nos juros por aqui.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Funcionários com covid-19

Secretaria do Espírito Santo confirma 53 infectados na plataforma Macaé da Petrobras

Segundo a Sesa, a comunicação da Petrobras sobre a ocorrência aconteceu nesta quarta-feira. Estatal disse mais cedo ao Broadcast que a plataforma era da SBM

Seu Dinheiro na sua noite

Sobe no tuíte, cai no (quase) fato

Você já deve ter ouvido alguma vez a expressão “sobe no boato, cai no fato”. Alguém se lembra dela toda vez que a bolsa sobe diante de algum rumor e cai logo depois da confirmação. Isso acontece porque o tal mercado sempre tenta se antecipar aos acontecimentos. Quando eles se materializam, os preços em geral […]

Atualização sobre covid-19

Brasil registra 941 mortes por coronavírus desde início de pandemia

O resultado marca um aumento de 17% de mortes no Brasil em relação a ontem, quando foram registrados 800 óbitos

Alívio intenso

Ibovespa fecha em queda, mas ainda acumula ganhos de mais de 11% na semana; dólar cai a R$ 5,09

O Ibovespa teve a melhor semana desde março de 2016, sustentado pelo viés mais otimista visto no exterior nos últimos dias. O dólar à vista também passou por um alívio importante, recuando mais de 5% na semana

Socorro financeiro

Maia acusa equipe econômica de dar informações falsas em projeto para estados

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) acusou a equipe econômica de dar informações falsas no projeto de socorro emergencial a Estados e relacionou o impasse em torno da proposta à disputa do presidente Jair Bolsonaro com governadores

Crédito contra covid-19

Boa parte do valor liberado ainda não foi usada pelos bancos, diz presidente do BC

Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira, 9, em entrevista por videoconferência ao portal UOL, que a instituição já anunciou a liberação de cerca de R$ 1,2 trilhão para os bancos, para combater os efeitos da pandemia do novo coronavírus

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: um presente de Páscoa para os mercados

O podcast de hoje faz o balanço de uma semana positiva para os mercados, mesmo em meio à crise do coronavírus

Prontos para auxiliar

Bancos estão sólidos para ajudar a preservar empregos e empresas, diz presidente da Febraban

presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney, garantiu nesta quinta-feira, 9, que o setor bancário está pronto para ajudar as empresas a preservar empregos

Recessão pior que 2008

IIF prevê que PIB global cairá 2,8% em 2020, e do Brasil, 4,1%

IIF revisou para baixo sua projeção para o PIB global e passou a prever contração de 2,8% em 2020

Títulos privados

BCs de emergentes podem necessitar ser comprador de última instância, diz Campos Neto

Roberto Campos Neto fez nesta quinta-feira, 9, em reunião com senadores, uma defesa da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 10, que permite que o BC compre títulos privados durante o período de crise

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements