Menu
2020-03-16T13:49:02-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Curva 'empinada'

Juros futuros caem no curto prazo, mas sobem nos vencimentos mais longos

Mercados reagem com pessimismo à agressividade do banco central americano, precificando efeitos nefastos do avanço do coronavírus na economia.

16 de março de 2020
10:50 - atualizado às 13:49
taxa de juros
Juros de curto prazo, porém, precificam corte da Selic na próxima reunião do Copom. Imagem: Shutterstock

O Banco Central vai reduzir os juros para tentar conter os efeitos do coronavírus na economia, mas em algum momento terá de aumentar as taxas. Pelo menos essa é a visão refletida no mercado de juros de futuros na B3.

As taxas dos contratos de DI (Depósito Interfinanceiro) de curto prazo operam em queda, mas as taxas dos contratos com vencimento a partir de 2022 são negociadas em alta.

Os investidores reagem à decisão do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, de fazer um agressivo e repentino corte de juros na noite de ontem (15).

O corte-surpresa bateu mal no mercado, adicionando mais uma camada de pessimismo ao pânico com o avanço do coronavírus no mundo e suas consequências nefastas para a economia global.

Confira a seguir como estavam as taxas de juros futuros por volta das 13h20:

  • Abril/2020: de 4,01% para 3,79%;
  • Janeiro/2021: de 4,21% para 3,86%;
  • Janeiro/2022: de 5,06% para 5,12%
  • Janeiro/2023: de 5,91% para 6,22%;
  • Janeiro/2027: de 7,58% para 8,16%.

A forte volatilidade no mercado de juros futuros deixou o Tesouro Direto suspenso nesta manhã, como é praxe ocorrer nessas situações.

A curva de juros "empinada", como se diz no jargão do mercado, se deve ao aumento da aversão a risco no mundo, potencialmente elevando o risco-país, apesar do ambiente geral de juros baixos e Selic nas mínimas.

A agressividade do corte de juros do Fed, que zerou as taxas americanas, bateu mal no mercado, que interpretou o fato como "as coisas estão piores do que imaginávamos". O dólar em alta também ajuda a pressionar as taxas.

As bolsas também reagem com fortes quedas nesta segunda. A bolsa entrou em circuit breaker logo na abertura, depois que o Ibovespa bateu em 12,53% de queda.

Leia também:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

o pior já passou?

Petrobras tem prejuízo de R$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, melhor do que o esperado

Analistas esperavam prejuízo de R$ 4,15 bilhões; após baixa com a pandemia, estatal aumentou a participação de mercado e manteve um patamar alto de exportações

Balanço

Bradesco supera projeções e tem lucro de R$ 5 bilhões no terceiro trimestre

O resultado do segundo maior banco privado brasileiro ainda é 23,1% menor que o do mesmo período de 2019, mas representa um avanço de 29,9% no trimestre

de olho na retomada

Para secretário, inflação não preocupa, é problema concentrado e transitório

Adolfo Sachsida reafirmou que a regra do teto de gastos será respeitada pelo governo

manutenção

Banco Central mantém Selic em 2% ao ano e continua a indicar juros parados no futuro

Apesar de deterioração do ambiente de reformas e alta da inflação no curto prazo, BC ainda não avalia necessidade de alta de juros. Um novo corte, no entanto, é difícil. Enquanto isso, mensagem sobre risco fiscal ganha força, segundo economista

NOS EUA

Queda das bolsas poderia levar Trump a negociar pacote, diz Nancy Pelosi

Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos voltou a demonstrar otimismo sobre a perspectiva de mais estímulos fiscais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies