🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Carolina Gama
FECHAMENTO DO DIA

Powell salva S&P 500 do tsunami: entenda como Wall Street surfou a onda gigante dos juros altos hoje

Em uma decisão que não era vista desde 1994, o banco central norte-americano elevou a taxa de juros em 0, 75 ponto percentual, para a faixa entre 1,50% a 1,75% ao ano

Imagem conceitual de onda de dólares chegando
Onda de dólares a caminho do Brasil - Imagem: Shutterstock

Tinha tudo para ser um tsunami. Mas a tão aguardada decisão do Federal Reserve (Fed) desta quarta-feira (15) foi mais uma marolinha para o S&P 500, o Dow Jones e o Nasdaq — graças ao presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell.

Os três principais índices de ações de Nova York iniciaram o dia em um mar de ganhos de mais de 1% e escaparam das perturbações das águas que o aumento dos juros poderia provocar. 

O banco central norte-americano elevou a taxa básica em 0,75 ponto porcentual (pp), colocando-a na faixa entre 1,25% e 1,50% ao ano.

O aumento veio acima dos 0,50 pp que o próprio Fed vinha telegrafando, mas em linha com o que 95% dos agentes de mercado esperavam.

Afinal, para não tomar um caldo depois que o índice de preços ao consumidor dos EUA subiu 1% em maio na comparação mensal e 8,6% em termos anuais — no maior avanço desde 1981 — era necessário uma manobra radical.

Por que o S&P 500 subiu?

É claro que um aumento de 0,75 pp na taxa de juros nos EUA não é uma decisão a ser aplaudida pelo mercado.  O próprio presidente do Fed, Jerome Powell, reconheceu que essa não é uma elevação comum.

No entanto, o mesmo Powell livrou os investidores de distúrbios no oceano de Wall Street com uma frase:

“Da perspectiva de hoje, um aumento de 0,50 pp ou 0,75 pp parece mais provável em nossa próxima reunião”

Jerome Powell, presidente do Fed, na coletiva desta quarta-feira (15)

Para um mercado que cogitava uma próxima alta de 1 pp, saber que uma elevação de 0,50 pp ainda está sobre a mesa, é um alívio.

O S&P 500, o Nasdaq e o Dow Jones responderam ao alívio com altas de mais de 3% e renovação de máximas intradiárias.

Confira a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos EUA no fechamento:

  • Dow Jones: +1,00%, 30.668,27 pontos
  • S&P 500: +1,46%, 3.789,41 pontos
  • Nasdaq: +2,50%, 11.099,16 pontos

Um dia daqueles também na Europa

A quarta-feira (15) também foi um dia daqueles para os mercados na Europa, que tiveram que lidar com uma reunião emergencial do Banco Central Europeu (BCE). 

Assim como aconteceu com o S&P 500, as bolsas do velho continente fecharam o dia em alta, respirando aliviadas. 

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 1,5%, com as ações de viagens e lazer subindo 3,4% para liderar os ganhos. 

O destaque do dia foi a bolsa de Milão, que teve alta de 2,87% — a Itália deve ser um dos países mais beneficiados com os novos planos do BCE. 

  • Londres: +1,20%
  • Paris: +1,35%
  • Frankfurt: +1,36%

Mais cedo, o BCE realizou uma reunião de política monetária não programada e anunciou planos para criar uma nova ferramenta para enfrentar o risco de fragmentação na zona do euro a fim de amenizar os temores de uma nova crise da dívida. Entenda o que o BCE decidiu hoje

A notícia veio depois que o mesmo banco central havia sinalizado um endurecimento ainda maior da política monetária a partir de julho, quando o aumento da taxa de juros estará sobre a mesa da autoridade monetária. 

Compartilhe

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações da Casas Bahia (BHIA3) dispararam 16% e lideraram as altas do Ibovespa na semana — enquanto Petrobras (PETR3) caiu 5%?

2 de março de 2024 - 10:48

Com calendário econômico cheio e uma avalanche de notícias corporativas, o Ibovespa acumulou queda de 0,18% na semana; veja o que puxou o índice de ações da B3

MUDANÇA DE FLUXO

Ibovespa vai subir 15%? XP eleva projeção para a bolsa em 2024

1 de março de 2024 - 14:49

XP vê Brasil bem posicionado globalmente para atrair investidores estrangeiros e promove alterações em suas carteiras

FUNDOS IMOBILIÁRIOS HOJE

Nova administração do Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11) diz ter encontrado irregularidades nas despesas e afirma que vai restituir o fundo imobiliário

1 de março de 2024 - 13:08

Uma auditoria conduzida pela gestão identificou cerca de R$ 1,2 milhão em gastos jurídicos pagos pelo FII em dezembro do ano passado

QUER PAGAR QUANTO?

Vitória dos minoritários! Cielo (CIEL3) convoca assembleia para discutir novo laudo de oferta para fechar capital

1 de março de 2024 - 9:19

Bradesco e Banco do Brasil ofereceram R$ 5,35 por ação da Cielo (CIEL3), mas os minoritários entendem que os bancos deveriam pagar bem mais para fechar o capital da companhia

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa fecha em leve alta, mas sustenta os 129 mil pontos com Wall Street positivo; dólar cai a R$ 4,95

1 de março de 2024 - 7:40

RESUMO DO DIA: A bolsa brasileira acompanhou o tom mais positivo do exterior e encerrou a sessão desta sexta-feira (01) no azul. O Ibovespa terminou em leve alta de 0,12%, aos 129.180 pontos. Apesar da valorização tímida, o principal índice de ações da B3 acumulou queda de 0,18% na semana. Por sua vez, o dólar […]

VAREJO EM APUROS

Diluição à vista? Lojas Marisa (AMAR3) quer mais do que triplicar o limite de ações

29 de fevereiro de 2024 - 11:24

Proposta do conselho de administração da Lojas Marisa prevê elevar de 90 milhões para 300 milhões o limite de AMAR3 em circulação

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa recua com pressão de bancos, mas sustenta os 129 mil pontos no fim da sessão; dólar tem leve alta

29 de fevereiro de 2024 - 7:13

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta quinta-feira (29) em queda, mas conseguiu sustentar o patamar de 129 mil pontos.  Por aqui, a cautela com o rumo dos juros no Brasil e exterior pressionou as ações de bancos, que caíram em bloco na B3. Com isso, o principal índice da bolsa brasileira fechou […]

SUBIU NO TELHADO

Petrobras (PETR4): a fala do CEO sobre dividendos que derruba as ações da estatal hoje na B3

28 de fevereiro de 2024 - 14:47

Em entrevista à Bloomberg, Jean Paul Prates defendeu que a Petrobras tenha “cautela” na distribuição de dividendos; ações reagem em forte queda

PROBLEMAS NOS HOTÉIS?

Por que os dividendos do fundo imobiliário HTMX11 tiveram um corte brusco em fevereiro? Confira a explicação da gestão

28 de fevereiro de 2024 - 12:17

O fundo de hotéis comunicou, no início do mês, que pagaria R$ 0,86 por cota aos investidores, contra R$ 3,25 em janeiro.

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai a 130 mil pontos, pressionado pela desvalorização de Petrobras (PETR4) após falas de Prates sobre dividendos; dólar sobe a R$ 4,97

28 de fevereiro de 2024 - 7:24

RESUMO DO DIA: A bolsa brasileira terminou a sessão desta quarta-feira (28) no vermelho, com o cenário corporativo roubando os holofotes do calendário de indicadores econômicos no exterior. O Ibovespa encerrou o dia em baixa de 1,16%, aos 130.155 pontos. Por sua vez, o dólar fechou próximo das máximas do dia, com um avanço de […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies