O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-02-07T20:29:58-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Dólar volta aos R$ 5,25 com forte fluxo estrangeiro, mas Ibovespa fecha o dia no vermelho após sessão volátil

Com a volta das negociações na Ásia, o minério de ferro puxou as ações das siderúrgicas, mas alta foi insuficiente para garantir um dia de ganhos

7 de fevereiro de 2022
19:52 - atualizado às 20:29
Ibovespa, dólar, montanha russa, mercados
Imagem: Montagem Andrei Morais/Shutterstock

Inflação, agenda cheia, pressão extra nas contas públicas e a trajetória da política monetária dos países ricos não é o melhor dos panos de fundos para o mercado financeiro, mas os investidores locais seguem sendo salvos de dias amargos pelo gringo. 

O investidor estrangeiro continua vendo o Brasil como uma boa oportunidade de investimento e, assim como foi durante o mês de janeiro, faz toda a diferença no comportamento dos mercados locais.

Com o cenário de aversão ao risco em escala global e a perspectiva de elevação dos juros nos Estados Unidos, é difícil dizer até quando essa será a realidade, mas por enquanto, o desejo é que o momento seja eterno enquanto dure. 

A semana começou sem muito fôlego, mas o alívio no câmbio se acentuou ao longo do dia, e o dólar à vista voltou a figurar na casa dos R$ 5,25, em uma queda de 1,26%, a menor cotação para a moeda americana desde setembro de 2021. No aguardo da ata da última reunião do Copom, que será divulgada amanhã, os juros futuros também tiveram uma tarde de queda. 

CÓDIGONOMEÚLTIMOFECHAMENTO 
DI1F23DI jan/2311,98%11,99%
DI1F25DI Jan/2511,02%11,09%
DI1F26DI Jan/2611,02%11,09%
DI1F27DI Jan/2711,14%11,22%

O sobe e desce da bolsa brasileira nesta segunda-feira (07) acompanhou a volatilidade que também atingiu a bolsa de Nova York, mas a composição do nosso índice traz dinâmicas internas próprias que contribuíram para o saldo final levemente negativo – o Ibovespa recuou 0,22%, aos 111.996 pontos. Wall Street também ficou próximo do zero a zero. O Nasdaq recuou 0,58%, o S&P 500 caiu 0,37% e o Dow Jones fechou o dia estável. 

Petróleo e minério de ferro tentaram equilibrar a equação. Com o retorno das negociações na China, após a pausa de uma semana para a celebração do Ano Novo Chinês, as siderúrgicas e mineradoras voltaram a ter a commodity negociada em Qingdao e fecharam a sessão em alta. Além disso, o mercado está na expectativa pelos resultados de produção da Vale que serão divulgados nos próximos dias. 

Já o petróleo tem batido máximas com a tensão crescente entre Estados Unidos e Rússia, com o temor de que um conflito armado interfira na oferta global, mas a segunda-feira foi de realização de lucros, puxando as ações da Petrobras para uma queda de mais de 1%. 

Brasília em pauta

Para Gustavo Bertotti, head de renda variável da Messem Investimentos, a pressão política que esteve escondida durante o recesso parlamentar deve voltar a pressionar e pautar o Ibovespa nas próximas semanas.

As propostas dos parlamentares para tentar segurar a elevação dos preços dos combustíveis, em um momento em que o barril de petróleo se aproxima da casa dos US$ 100, pressionam o fiscal. 

Dentre as propostas apresentadas, a que mais preocupa é a que foi batizada de “PEC Kamikaze” pela equipe econômica.

O texto prevê desonerações no combustível até 2023 e inclui benefícios como vale-gás e bolsa caminhoneiro, mas sem nenhuma compensação fiscal. Segundo estimativas, o custo poderia ser de R$ 100 bilhões para os cofres públicos. 

Sobe e desce do Ibovespa

Entre as maiores altas, o destaque do dia fica com as ações do BB Seguridade. A companhia anunciou o seu resultado do quarto trimestre e mostrou um aumento no lucro e na distribuição de dividendos, o que agradou os investidores. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
BBSE3BB Seguridade ONR$ 24,145,74%
JBSS3JBS ONR$ 35,924,91%
YDUQ3Yduqs ONR$ 22,544,26%
BRML3BR Malls ONR$ 9,623,89%
USIM5Usiminas PNAR$ 16,853,25%

O mercado repercute negativamente as projeções de sinergia anunciadas pela Hapvida (HAPV3) e NotreDame Intermédica (GNDI3). Os analistas ficaram decepcionados com os números anunciados e com o fato de que a maior parte das sinergias se dará por meio de receitas futuras da nova empresa e não pela otimização de custos.

Fora do Ibovespa o destaque negativo ficou com as ações da Oi. A companhia teve forte queda, repercutindo a notícia de que o Ministério Público Federal pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que barre a compra da Oi Móvel pela TIM, Telefônica e Claro. Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
GNDI3Intermédica ONR$ 67,70-4,67%
HAPV3Hapvida ONR$ 11,85-4,67%
VIIA3Via ONR$ 4,06-3,79%
SOMA3Grupo SomaR$ 13,37-3,33%
CSAN3Cosan ONR$ 22,54-3,30%
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies