Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-04T22:32:09-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
FECHAMENTO DO DIA

Risco fiscal faz juros futuros dispararem e bolsa tem mais um dia de perdas; dólar vai a R$ 5,69

O cenário doméstico se sobrepõe ao exterior, com risco fiscal e ameaças de paralisação do Banco Central no centro do debate nacional.

4 de janeiro de 2022
19:31 - atualizado às 22:32
Montagem de Bolsonaro sorrindo e jogando dinheiro e gráficos vermelhos em queda ao fundo
Confira o que movimenta o Ibovespa e o dólar hoje (04).Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock / Isac Nóbrega/PR

Nenhuma boa fase de videogame está completa sem um bom desafio. É justamente isso que faz com que o próximo nível seja tão recompensador e emocionante, mas nem sempre as coisas andam como o planejado. O “chefão” não seria o chefão se ele não fosse duro na queda.

O mercado brasileiro parece empacado na mesma fase do jogo há alguns bons meses, mas pelo menos tem sido bem-sucedido em evitar um game over. É que toda vez que o chefão parece ter sido finalmente derrotado, ele assume novas formas. Em certos momentos pode até parecer que alguns truques tirados da cartola e manobras complexas podem ser a combinação perfeita, mas não passam de ilusões.

Infelizmente para os investidores brasileiros, esse problema não é facilmente resolvido com o botão de "desligar" e uma voltinha para tomar um ar. O risco fiscal está por toda parte.

A PEC dos precatórios parecia ter sido a solução, mas o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros, segue falando em revisar mais uma vez as contas para encaixar mais gastos. Os servidores públicos também fazem pressão e buscam reajustes semelhantes aos concedidos aos policiais. Isso sem falar na falta de compensação tributária para a prorrogação da desoneração da folha de pagamento para quase 20 setores.

Com um chefão dessa magnitude, os juros futuros voltaram a disparar, e o DI com vencimento para janeiro de 2023 encerrou a sessão acima dos 12%. A inclinação da curva de juros contaminou os demais ativos, que tiveram um dia de muita volatilidade.

CÓDIGONOMEULT ABERTURA
DI1F23DI jan/2312,04%11,88%
DI1F25DI Jan/2511,16%10,89%
DI1F26DI Jan/2611,05%10,81%
DI1F27DI Jan/2711,10%10,89%

Pelo segundo dia consecutivo, as empresas produtoras de commodities foram responsáveis por limitar as perdas da bolsa brasileira. O Ibovespa chegou a operar em alta, mas encerrou a sessão em queda de 0,39%, aos 103.513 pontos.

O risco fiscal fez sua parte, mas as pressões externas também contribuíram para o dia instável do dólar. A ata da última reunião do Federal Reserve será divulgada amanhã, e os investidores voltam a temer um indicativo mais concreto sobre a elevação da taxa de juros no país. A moeda americana encerrou o pregão em alta de 0,48%, a R$ 5,6900.

Confira também alguns dos destaques do noticiário corporativo que movimentaram o dia:

Desoneração barulhenta

O risco fiscal envolvendo a desoneração da folha de pagamento agora conta com uma possível judicialização da medida provisória (MP) do presidente da República, Jair Bolsonaro. 

A medida que prorroga por dois anos a desoneração da folha de pagamento para 17 setores econômicos, considerados os que mais geram vagas de empregos no país, pode ir para o judiciário. Técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU) acreditam que a União deve compensar o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pela desoneração da folha de pagamento dos 17 setores. 

Os servidores afirmam que a revisão do cálculo do teto de gastos abre um espaço artificial nas contas públicas e a renúncia fiscal pode chegar a R$ 9,08 bilhões. 

A sanção da medida ficou travada porque a equipe econômica cobrou a exigência de compensação, com aumento de outros impostos, pela redução da tributação para as empresas desses setores, mas ela não ocorreu, embora esteja prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Digerindo dados

A semana começou com os investidores à espera dos dados de emprego dos Estados Unidos. A bola da vez desta terça-feira é o relatório Jolts de emprego, divulgado ao meio-dia, e que mostrou uma criação de empregos menor do que a esperada. Já o PMI Industrial do país recuou acima do previsto.

Na noite da última segunda-feira (03), o PMI industrial da China avançou de 49,9 para 50,9, indicando uma expansão das atividades. Já o mesmo indicador do Reino Unido caiu menos do que o esperado, a 57,9 em dezembro.

Ainda existe uma grande expectativa em torno da divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve amanhã, que deve trazer maiores detalhes sobre a alta nos juros americanos. Com isso, as bolsas americanas fecharam o dia com sinais mistos. 

Sobe e desce do Ibovespa

As ações da CSN Mineração lideraram pelo segundo dia consecutivo as maiores altas do Ibovespa. Para Rafael Passos, da Ajax Capital, o movimento ainda é efeito do rebalanceamento de carteira do início do ano e impulsionado pela entrada da companhia no Ibovespa. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
CMIN3CSN Mineração ONR$ 7,557,09%
ITUB4Itaú Unibanco PNR$ 22,122,84%
KLBN11Klabin unitsR$ 26,172,55%
SUZB3Suzano ONR$ 60,892,18%
B3SA3B3 ONR$ 10,952,15%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
BIDI11Banco Inter unitR$ 24,30-13,68%
BIDI4Banco Inter PNR$ 8,18-12,98%
PETZ3Petz ONR$ 14,41-8,91%
BPAN4Banco Pan PNR$ 9,43-7,82%
LWSA3Locaweb ONR$ 11,89-6,75%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies