Menu
2020-04-29T09:07:16-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
De olho nos resultados

Vale, Raia Drogasil, Cielo, Smiles e Weg: os balanços que movimentam o mercado nesta quarta-feira

Em meio à crise política e às consequências do novo coronavírus, bolsa deve refletir balanços de ontem

29 de abril de 2020
7:12 - atualizado às 9:07
balanço
Imagem: Shutterstock

A temporada de balanços faz o noticiário corporativo voltar ao radar de investidores nesta quarta-feira (29). O Ibovespa deve operar não só de olho na crise e nos mercados externos, mas também nos resultados de Vale, Raia Drogasil, Cielo, Smiles e Weg.

Ontem, o principal índice acionário da bolsa brasileira fechou em alta de 3,93%, aos 81.312,23 pontos. O dólar acompanhou o bom humor e cedeu 2,55%, tendo terminado a sessão cotado a R$ 5,51.

Confira os principais números das empresas no primeiro trimestre:

Vale

A Vale contabilizou um lucro líquido de US$ 239 milhões entre janeiro e março deste ano, revertendo parte das perdas de US$ 1,642 bilhão registradas no mesmo intervalo de 2019 — os dados do primeiro trimestre do ano passado, contudo, foram fortemente impactados pelo desastre em Brumadinho, ocorrido em 25 de janeiro. Veja detalhes do balanço.

  • Lucro líquido:  US$ 239 milhões (ante prejuízo de US$ 1,642 bilhão)
  • Receita líquida:  US$ 6,969 bilhões (↓15% )
  • Ebitda ajustado:  US$ 2,882 bilhões (ante US$ 652 milhões )

Raia Drogasil

Diferentemente da Vale, a Raia Drogasil saiu ganhando com a pandemia e registrou lucro líquido de R$ 152,8 milhões no 1º trimestre de 2020. O número representa alta de 44,8% em comparação ao mesmo período do ano passado. A companhia citou "impacto profundo" do covid-19 nas operações, com destaque para a demanda digital e a reiteração de guidance:

  • Lucro líquido:  R$ 152,8 milhões (↑44,8%)
  • Receita líquida: R$ 4,949 bilhões (↑25% )
  • Ebitda: R$ 327,5 milhões (↑36,8%)

Cielo

O lucro líquido da Cielo caiu quase 70% no trimestre inicial do ano. A empresa relatou que começou a notar os primeiros efeitos da pandemia nos seus negócios:

  • Lucro líquido:  R$ 166,8 milhões (↓69,4%)
  • Receita líquida: R$ 2,830 bilhões (↑2% )
  • Ebitda: R$ 573,8 milhões (↓30,7%)

Smiles

A administradora do programa de milhagem Smiles registrou queda de 60,3% no lucro, a R$ 56,3 milhões. A companhia diz que começou o ano confiante em bons resultados, por conta do desempenho em janeiro e fevereiro. Mas a pandemia do novo coronavírus influenciou sensivelmente a operação da empresa a partir de março.

  • Lucro líquido: R$ 56,3 milhões (↓60,3%)
  • Receita líquida: R$ 171,3 milhões, (↓28,8%)
  • Ebitda:  R$ 86 milhões (↓49,7%)

Weg

A Weg lucrou R$ 440 milhões no primeiro trimestre - uma alta de 43,4%. A empresa diz que os negócios foram poucos impactados pela pandemia - com exceção das operações na China, que ficaram paralisadas parte de fevereiro. Segundo a empresa, impactos são esperados para os próximos trimestres, mas são difíceis de serem mensurados nesse momento.

  • Lucro líquido: R$ 440 milhões (↑43,4%)
  • Receita líquida: R$ 3,714 bilhões (↑26,7%)
  • Ebitda:  R$ 619,1 milhões (↑34,1%)

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ministério atualiza dados

Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19

De 526.447 casos confirmados, 223.638 pacientes foram recuperados

6,8% dos recursos foram gastos

MPF investiga baixo investimento do governo Bolsonaro no combate ao coronavírus

O Ministério Público Federal determinou, nesta terça-feira, 2, a abertura de um inquérito civil público para apurar a baixa aplicação de dinheiro público, por parte do governo de Jair Bolsonaro, no combate à pandemia do novo coronavírus

A volta dos touros

Acabou a crise? 5 razões para a disparada da bolsa e a queda do dólar

O dólar à vista acumula queda de mais de 11% nas últimas 15 sessões, afastando-se de vez da faixa dos R$ 6,00 — na bolsa, o Ibovespa também teve alívio forte no período, retomando os 90 mil pontos

Atenção com contas públicas

Déficit fiscal poderá ser de 12% do PIB, diz Armínio Fraga

“Estritamente do ponto de vista fiscal, estamos trabalhando com uma margem de manobra muito apertada. Tenho comentado que a consequência disso vai ser um crescimento imenso das necessidades de financiamento do governo”, comentou Fraga ao participar de uma live promovida pelo BTG Pactual

seu dinheiro na sua noite

Velozes e furiosos, parte 91 mil

Eu não sou um grande fã de filmes de ação, e ainda menos da franquia Velozes e Furiosos. Assisti apenas ao primeiro longa da série, tentando imaginar como um roteiro tão desconectado da realidade foi parar nas telas – ainda que tenha seus momentos. Foi só alguns anos depois, durante uma discussão de bar (saudades das […]

ex-ministro da fazenda

Pedro Malan vê excesso de otimismo em órgãos internacionais para o pós-pandemia

O ex-ministro da Fazenda Pedro Malan disse nesta terça-feira, 2, que vê um excesso de otimismo nas previsões de organismos internacionais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), e também de parte do mercado, de uma recuperação na forma de “V” após a pandemia do coronavírus

Procurador-geral da República

Alinhado a Bolsonaro, Aras diz que Forças Armadas podem atuar em caso de ruptura

A posição do procurador está alinhada à do presidente Jair Bolsonaro, que tem citado o artigo 142 da Constituição como uma saída para a crise do governo com o Supremo

Alívio inesperado?

Dólar despenca a R$ 5,20 e Ibovespa sobe forte: o que aconteceu com o mercado?

Enquanto o mundo passa por forte turbulência, os mercados estão mais calmos que nunca: o dólar teve a maior queda diária desde 2018 e o Ibovespa foi às máximas em quase três meses

Dados de associação

Comércio paulistano cai 67% nas vendas de maio

Mês é estratégico em razão do Dia das Mães

Presidente da Câmara

MP que estabelece crédito para folha de pagamento não pode ser votada, diz Maia

Editada no dia 3 de abril, a medida estabelece uma linha de crédito de R$ 34 bilhões para garantir o pagamento dos salários em empresas com receita anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões durante a pandemia do coronavírus

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements