⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-03T12:51:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ADEUS OU ATÉ LOGO?

De tenista a investidora: Serena Williams se despede das quadras com um patrimônio de mais de US$ 200 milhões

A tenista de 40 anos perdeu na sexta-feira (02) para a australiana Ajla Tomljanovic, 29, mas não deixou a porta aberta para um possível retorno

3 de setembro de 2022
12:51
serena williams, tenista mundial em quadra, com a bola de tênis em uma das mãos erguida e a outra mão com raquete. Ela anunciou a aposentadoria e vai se dedicar ao mundo dos investimentos
Imagem: Reprodução/CNBC/Roslan Rahman/AFP/Getty Images

Dois sets a um, parciais de 7-5, 6-7 e 6-1 — foi assim que a maior campeã da história do tênis, a norte-americana Serena Williams, foi eliminada na terceira rodada do US Open e, provavelmente, deu adeus às quadras.

A tenista de 40 anos perdeu na sexta-feira (02) para a australiana Ajla Tomljanovic, 29, e se despediu do tênis profissional, mas não sem deixar a porta aberta para um possível retorno.

"Sou grata por ter vivido essa jornada tão divertida e maravilhosa. Não penso em voltar, mas nunca se sabe...", afirmou a jogadora ao fim da partida.

Serena se despede das quadras com 73 títulos em simples, sendo 23 em torneios de Grand Slam — recorde absoluto na era moderna — e 23 taças nas duplas, sendo 14 em Grand Slams, sempre ao lado de Venus. 

Ela também é dona de quatro ouros olímpicos: um em simples (2012) e três nas duplas (2000, 2008 e 2012).

Serena, uma glória de milhões

Os dias de glória de Serena Williams dentro das quadras viraram algumas centenas de milhões de dólares — a coleção de prêmios da tenista soma pelo menos US$ 100 milhões. 

Com 25 anos de carreira, a tenista deixa as raquetes com um patrimônio líquido de US$ 260 milhões, ficando entre as 100 pessoas mais ricas dos EUA, neste ano. 

Além disso, ela é uma das atletas mais bem pagas do mundo, segundo o ranking anual da Forbes. 

Um futuro longe das quadras

As quadras e o mundo dos negócios têm algo em comum: a análise — seja do modo de jogar do adversário ou dos números. 

Mesmo no auge da carreira, Serena começou a planejar o que faria depois que largasse a raquete. Desde 2008, a tenista tem se dividido entre as quadras e os negócios. 

Por meio da sua gestora, investiu em várias startups em estágios iniciais, principalmente lideradas por mulheres ou mulheres pretas fora da América do Norte — África e América Latina estão no radar. 

No campo de venture capital, Serena arrecadou cerca de US$ 111 milhões em seu primeiro fundo de investimentos. 

Das investidas até agora, ao menos, 13 já se tornaram unicórnios — empresas avaliadas em pelo menos US$ 1 milhão. Na carteira atual do fundo existem mais de 60 empresas. 

Por fim, Serena Williams também é investidora-anjo e já apostou em 45 empresas, entre elas o aplicativo nutricional Noom, a empresa de alimentos veganos Impossible Foods, a plataforma educacional Masterclass e a plataforma de aúdio Clubhouse. 

Serena vai se dedicar à família

Se ainda vai voltar às quadras, não é possível saber, mas Serena Williams tem planos para o futuro: se dedicar à família. 

"Demonstrei que ainda sou capaz de jogar em alto nível, mas estou pronta para ser mãe, para explorar uma nova versão de mim mesma", disse ela em uma coletiva de imprensa pós-despedida.

A tenista também agradeceu aos pais e chamou a trajetória no tênis de “viagem incrível”. 

"Obrigada, papai, sei que você está me vendo. Obrigada, mamãe. Obrigada a todos aqueles que estiveram comigo nessa viagem incrível. Essas lágrimas são de alegria. E eu não teria sido a Serena que fui sem Venus, minha irmã", afirmou.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DESTAQUES DA BOLSA

Ações da MRV (MRVE3) despencam após suspensão da capitalização da Resia; veja os novos planos da construtora para a subsidiária norte-americana

7 de outubro de 2022 - 13:36

De acordo com a companhia, a operação só será retomada quando o cenário macroeconômico dos EUA estiver novamente favorável ao mercado de capitais

O caminho mais seguro

Por que você ainda deve investir em Tesouro Selic, mesmo que os juros tenham parado de subir

7 de outubro de 2022 - 13:19

Para o Itaú BBA, Selic pode permanecer alta por mais tempo do que o mercado espera, e investidor deve manter 60% da sua carteira de títulos públicos em Tesouro Selic

ELEIÇÕES 2022

Simone, Ciro “envergonhado” e até FHC: aonde esses apoios podem levar um eventual governo Lula

7 de outubro de 2022 - 13:15

O petista se movimenta de modo a angariar o máximo apoio possível e confirmar, no fim de outubro, um favoritismo que lhe é atribuído desde sua ressurreição para a política

ELEIÇÕES 2022

Zema, Moro, Garcia e Dallagnol: como esses apoios podem ajudar Bolsonaro no segundo turno?

7 de outubro de 2022 - 13:07

Presidente vem reforçando seu time para a fase final das eleições com nomes da direita da política brasileira; confira os apoios que podem fazer a diferença na reeleição de Bolsonaro

NÃO VAI COLAPSAR?

Ressuscitou? Credit Suisse tenta tranquilizar investidores sobre risco de calote e ações avançam em NY

7 de outubro de 2022 - 12:49

Entre as soluções anunciadas, a instituição financeira recomprará bilhões em dívidas e venderá um famoso hotel de quase 200 anos de história

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies