Menu
2021-05-07T15:47:47-03:00
Larissa Vitória
Temporada de balanços

Banco Inter, Hering, Via Varejo e Magazine Luiza divulgam resultados do 1º trimestre; saiba o que esperar

O setor de varejo é um dos destaques da reta final da temporada de balanços; confira quais outras empresas também divulgam seus dados

10 de maio de 2021
5:27 - atualizado às 15:47
Balanços 1º trimestre
Imagem: Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

A temporada de balanços do primeiro trimestre chega à reta final nesta semana, com o setor de varejo em destaque. Alvo de uma proposta de compra pelo Grupo Soma, a Hering divulga seus números, assim como a Via (ex-Varejo) e Magazine Luiza.

O período, que ficou marcado pela volta das medidas mais restritivas para conter o avanço da Covid-19, trouxe novos prejuízos para vários setores da economia. Outros, no entanto, seguiram em crescimento e apresentaram bons resultados aos investidores.

MagaLu e Via, por exemplo, acumularam juntas 21 aquisições dos mais variados segmentos desde o início da pandemia. Saiba a seguir o que esperar para o resultado das companhias. Além das varejistas, os investidores ficarão de olho nos números do Banco Inter. Confira a seguir o que esperar dos resultados:

Banco Inter (BIDI11) - 11 de maio, após o fechamento do mercado

Amanhã (11) os holofotes do mercado voltam-se para os números do Banco Inter, que promete entregar o melhor primeiro trimestre de sua história

O banco digital, recém-chegado ao seleto grupo de empresas que integram a carteira do Ibovespa, fechou o período com 10,2 milhões de clientes, uma alta de 106% em relação ao primeiro trimestre de 2020.

A lista de clientes foi engrossada pela abertura de 30 mil novas contas por dia útil. Além disso, o saldo médio das contas também teve um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, passando para R$ 1,3 mil.

Por fim, o Banco Inter também anunciou o início de sua expansão global, com a extensão de shoppings e pagamento de cashback nos Estados Unidos por meio do Inter Shop.

O crescimento, no entanto, ainda não se reflete na última linha do resultado. O lucro do Inter deve ficar  em apenas R$ 1 milhão no primeiro trimestre, pouco melhor que o prejuízo de R$ 8 milhões do mesmo período do ano passado.

Hering (HGTX3) - 12 de maio, após o fechamento do mercado

A noiva mais cobiçada das últimas semanas divulga o balanço do primeiro trimestre na quarta-feira (12), após o fechamento do mercado. No balanço anterior, a Hering reportou um lucro 12% inferior ao dos últimos três meses de 2019, mas mostrou indícios de recuperação das vendas, principalmente pela internet.

As vendas nos canais online da tradicional marca de vestuário dispararam 230,6% e faturaram R$ 70,7 milhões no período. Como resultado, o e-commerce correspondeu a uma fatia de 14,3% das receitas da companhia no mercado interno, bem acima dos 4,4% do mesmo período do ano anterior.

No entanto, mesmo que o sopro de otimismo da internet se repita, os analistas do Bank of America (Bofa) alertam que o desempenho da varejista seguirá prejudicado pela pandemia em 2021.

O resultado do primeiro trimestre deste ano também não refletirá ainda um fato que colocou a varejista de vestuário no centro das atenções do mercado: a Hering tornou-se alvo de uma disputa entre a Arezzo e o Grupo Soma em abril.

A rede de lojas de calçados, que entrou no ramo de vestuário no ano passado com a compra da Reserva, foi a primeira a demonstrar interesse na Hering, mas teve a oferta publicamente rejeitada.

A Arezzo ainda não havia sequer desistido do negócio quando foi atravessada pelo Grupo Soma, controladora das marcas Farm e Animale, que superou a oferta da rival em R$ 1,8 bilhão.

As ações da Hering (HGTX3) dispararam após o anúncio do negócio com o Soma e provavelmente não vão reagir aos números do primeiro trimestre, que sentirão mais uma vez o baque das medidas de restrições impostas no início do ano.

A média das projeções dos analistas da Bloomberg indicam um lucro de R$ 31 milhões no período para a Hering. Trata-se de um avanço considerável na comparação com o primeiro trimestre de 2020, quando o resultado foi de apenas R$ 5 milhões. Mas na comparação com os últimos três meses do ano passado, o lucro deve ser 45,5% inferior.

Via (VVAR3) - 12 de maio, após o fechamento do mercado

A Via, nova identidade da Via Varejo, também divulga o balanço na quarta-feira (12), após o fechamento do mercado. A empresa elevou sua régua de resultados no último trimestre de 2020 e mostrou que está na briga pela posição de principal nome do e-commerce brasileiro.

Controladora da Casas Bahia e do Ponto Frio — que também passou por uma mudança de marca recentemente —, a empresa lucrou R$ 336 milhões e reverteu o prejuízo de R$ 875 milhões dos últimos três meses de 2019.

As vendas digitais foram o grande destaque, com um crescimento do volume bruto de mercadorias (GMV, na sigla em inglês) de 105,6%, para R$ 4,6 bilhões. As vendas diretas, ou seja, feitas pela própria companhia, cresceram 112%, enquanto o marketplace subiu 84%.

Apesar do desafio de enfrentar os rivais pelo consumo online, a empresa ainda aposta no mundo físico e, conforme anunciado no mês passado, vai abrir uma "megaloja" na cidade de São Paulo e outras 120 lojas no restante do país neste ano.

No primeiro trimestre deste ano, o lucro da Via deve ficar em R$ 103 milhões, bem acima dos R$ 13 milhões dos primeiros três meses de 2020, de acordo com a projeção dos analistas do BTG Pactual.

Magazine Luiza (MGLU3) - 13 de maio, após o fechamento do mercado

Na quinta-feira (13), é a vez do Magazine Luiza divulgar o balanço, também após o fechamento do mercado. A varejista foi outra a apresentar um resultado forte no último trimestre de 2020: o lucro líquido subiu 30,6% para R$ 219,5 milhões.

Assim como as rivais, a companhia também teve um ano marcado pela disparada do e-commerce. Sua participação nos negócios saltou 120% no período e passou a representar cerca de dois terços, ou 65,5%, nas vendas totais do Magalu.

Com o caixa reforçado após uma oferta de ações realizada meses antes do início da pandemia, o Magazine Luiza foi às compras para fortalecer ainda mais seu marketplace e aumentar a presença no mercado e na mídia online.

Entre plataformas de delivery, fintechs de pagamento, conglomerados de mídia nerd e outros, o MagaLu adquiriu nada menos do que 17 empresas durante a pandemia até o momento.

Além disso, a volta das restrições no início deste ano e um novo período de lojas fechadas também podem impactar o balanço da companhia. Os analistas projetam em uma queda próxima aos 32% no lucro líquido em relação ao quarto trimestre, para R$ 61 milhões. Ainda assim, será o dobro do resultado registrado pela varejista nos três primeiros meses de 2020. . 

Confira a agenda de balanços das empresas do Ibovespa na semana:

EmpresaData do balançoPeríodo de divulgação
Itausa SA10/05/2021A confirmar
YDUQS10/05/2021Após o mercado
Banco Inter11/05/2021Após o mercado
Klabin SA11/05/2021Antes da abertura
Raia Drogasil SA11/05/2021Após o mercado
Banco BTG Pactual SA11/05/2021Antes da abertura
BR Distribuidora11/05/2021Após o mercado
Grupo Carrefour Brasil11/05/2021Após o mercado
Notre Dame Intermedica SA11/05/2021Após o mercado
Marfrig Global Foods SA11/05/2021Após o mercado
Sul America SA11/05/2021A confirmar
Cia Hering12/05/2021Após o mercado
Suzano SA12/05/2021Após o mercado
Eletrobras12/05/2021A confirmar
Equatorial Energia SA12/05/2021Após o mercado
MRV Engenharia e Participacoes12/05/2021Após o mercado
Via Varejo S/A12/05/2021Após o mercado
Eneva SA12/05/2021Após o mercado
Locaweb12/05/2021Após o mercado
BRF SA12/05/2021Após o mercado
Natura & Co Holding SA12/05/2021Após o mercado
Magazine Luiza13/05/2021Após o mercado
CCR SA13/05/2021Após o mercado
Petrobras13/05/2021Após o mercado
Bradespar SA13/05/2021A confirmar
Cyrela Brazil Realty SA 13/05/2021Após o mercado
Sabesp13/05/2021Após o mercado
EcoRodovias Infraestrutura13/05/2021Após o mercado
IRB Brasil Resseguros S/A13/05/2021Após o mercado
BR Malls Participacoes SA13/05/2021Após o mercado
Hapvida Participacoes e Invest13/05/2021Antes da abertura
Light SA13/05/2021Após o mercado
Cemig14/05/2021A confirmar
Cogna Educacao14/05/2021Antes da abertura
CVC Brasil14/05/2021Após o mercado
Cosan14/05/2021Após o mercado
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies