🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela o nome da ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2022-08-15T19:01:44-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

15 de agosto de 2022
18:42 - atualizado às 19:01
Cartões Nubank
Nubank mudou a metodologia de cálculo da inadimplência acima de 90 dias no segundo trimestre. Imagem: Divulgação

O Nubank (NU; NUBR33) reportou um prejuízo líquido de US$ 29,9 milhões no segundo trimestre de 2022, um rombo maior que o esperado pelo mercado. Segundo os analistas ouvidos pela Bloomberg, a expectativa era de um prejuízo líquido na faixa dos US$ 10 milhões no período.

Trata-se de uma piora também em relação ao prejuízo de US$ 15,2 milhões reportado no segundo trimestre do ano passado. No entanto, houve uma melhora em relação ao primeiro trimestre deste ano, quando o prejuízo líquido totalizou US$ 45,1 milhões.

Segundo o Nubank, as razões do resultado negativo são o aumento da remuneração baseada em ações e seus efeitos fiscais no trimestre.

O resultado ajustado - que desconsidera essas despesas e efeitos tributários relacionados à remuneração baseada em ações - foi de lucro de US$ 17 milhões, uma alta de 3% na comparação anual e um aumento de 68% na comparação trimestral.

Segundo o Nubank, embora não siga as regras internacionais de contabilidade (IFRS), esta é uma medida-chave de rentabilidade para avaliar o desempenho do negócio.

Inadimplência: o povo quer saber

Mas o indicador que mais interessa a analistas e investidores certamente é o de inadimplência. Neste quesito, o Nubank continuou na trajetória de deterioração, o que tem sido fonte de preocupação para o mercado.

O índice de inadimplência acima de 90 dias aumentou 0,6 ponto percentual na passagem do primeiro para o segundo trimestre, chegando a 4,1%, em linha com as estimativas do banco.

Embora o indicador tenha ficado em 4,2% nos resultados divulgados ao fim do primeiro trimestre, a partir do segundo tri o Nubank passou a adotar uma metodologia diferente para o cálculo da inadimplência. Pela nova metodologia, a inadimplência do primeiro trimestre foi de 3,5%, e não de 4,2%, como reportado anteriormente. Assim, o que se verificou, na passagem do primeiro para o segundo tri, foi um aumento das dívidas com atraso de mais de 90 dias.

No 2T22, o Nu implementou uma nova Metodologia de Baixa para alinhar o crédito pessoal com a expectativa de recuperação de acordo com as orientações do IFRS. A nova metodologia antecipou a baixa de empréstimos pessoais em atraso de +360 dias para +120 dias, enquanto a baixa dos cartões de crédito permaneceu em +360 dias. Em ambos os produtos, o Nu aplica uma metodologia de baixa parcial, que significa que somente a parte referente à “recuperação esperada” do empréstimo baixado é mantida no balanço, no Estágio 3.

Release de resultados do Nubank no 2T22.

Segundo o Nubank, essa mudança reduz os índices de inadimplência acima de 90 dias, em virtude da eliminação de inadimplência de 121 a 360 dias tanto do numerador quanto do denominador desse cálculo, e aumenta a inadimplência de 15 a 90 dias para empréstimos pessoais, pois reduz o denominador do índice. Tais mudanças, porém, não têm nenhum impacto no resultado da instituição, pois essas baixas já haviam sido totalmente provisionadas.

Mesmo com a mudança na metodologia de cálculo, a inadimplência acima de 90 dias do Nubank segue consideravelmente superior à dos grandes bancos. No segundo trimestre, o indicador ficou em 2% no BB, 2,7% no Itaú, 2,9% no Santander e 3,5% no Bradesco. Todos esses bancos também viram uma variação trimestral no índice bem menor que o 0,6 ponto percentual do Nubank.

O banco digital no entanto destaca que a inadimplência inicial (entre 15 e 90 dias) permaneceu estável em 3,7%. Segundo a companhia, essa estabilidade sugere que o ciclo de normalização após a pandemia de covid-19 pode estar chegando ao fim.

Outros destaques do balanço do Nubank

O Nubank destaca ainda a receita recorde de US$ 1,2 bilhão no trimestre, alta de 230% na base anual neutro de efeitos cambiais, além de uma receita média mensal por cliente ativo de US$ 7,80, aumento de 105% na mesma base de comparação.

No segundo trimestre, o Nubank ganhou 5,7 milhões de novos clientes. A base de clientes apresentou um crescimento de 57% em relação ao segundo trimestre de 2021, atingindo 65,3 milhões de clientes.

O valor dos depósitos no segundo tri foi de US$ 13,3 bilhões, uma alta de 87% comparado com o mesmo período do ano anterior. Já o portfólio sujeito a ganho de juros foi de US$ 3,2 bilhões, aumento de 220% na mesma base de comparação. O índice de empréstimos/depósitos permaneceu em 24% no trimestre de abril a junho.

Ação NU sobe no after hours

As ações do Nubank (NU) negociadas na bolsa de Nova York (NYSE) reagem positivamente à divulgação dos números da companhia no after hours. Há pouco, os papéis subiam mais de 10%, para US$ 4,68.

Veja também: BANCO DO BRASIL (BBAS3) SUPERA NUBANK (NUBR33) I Apostar na QUEDA DO BITCOIN? I APOSENTADORIA AOS 45

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

DIVIDENDO E CAPITAL

Localiza (RENT3) vai colocar R$ 346 milhões no bolso dos acionistas, mas pode “tirar” uma parte em outra operação; entenda

26 de setembro de 2022 - 10:34

Localiza (RENT3) vai distribuir juros sobre o capital próprio (JCP), mas chama acionistas para aumento de capital que pode chegar a R$ 150 milhões

é hora de comprar?

XP inicia cobertura da Eletrobras (ELET3) com recomendação de compra e acredita que o papel pode subir 55%

26 de setembro de 2022 - 10:14

Para a XP, potencial de valorização da Eletrobras (ELET3) tem relação com forte geração de caixa e mudanças trazidas pela privatização

SEM CALMA ANTES DA TORMENTA

Fundador da Terra (LUNA) é procurado em 195 países e bitcoin (BTC) aguarda dados dos EUA: saiba o que movimenta as criptomoedas esta semana

26 de setembro de 2022 - 10:00

Caça ao fundador da Terraform Labs não interfere diretamente nas cotações da Terra (LUNA): o token LUNA salta 5,77% na manhã desta segunda-feira (26)

DÚVIDA CRUEL

Os analistas preferem as ações de shoppings, enquanto os gestores apostam em fundos imobiliários do setor — qual ativo é o ideal para a sua carteira?

26 de setembro de 2022 - 9:34

A retomada do segmento alimenta o otimismo do mercado, mas desperta dúvidas sobre qual é a melhor maneira de aproveitar o bom momento

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Nova York sobe, mas Ibovespa opera em queda acima de 1%; dólar tem forte alta e atinge R$ 5,30

26 de setembro de 2022 - 9:04

RESUMO DO DIA: As bolsas internacionais operam em tom negativo nesta segunda-feira (26). Com a agenda esvaziada, os investidores mantêm-se cautelosos com a recessão global no radar, além da expectativa da divulgação de importantes dados macroeconômicos ao longo da semana, entre eles o índice de gastos com consumo pessoal (PCE), que mede a inflação nos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies