🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2022-08-11T20:09:28-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

11 de agosto de 2022
19:56 - atualizado às 20:09
Painel com logotipo da B3; programa de formação em tecnologia
Painel com logotipo da B3 - Imagem: Shutterstock

O "cenário macroeconômico desafiador" e a alta global nas taxas de juros pesaram sobre os resultados da B3 (B3SA3) no segundo trimestre de 2022.

Com volumes negociados menores no segmento Listados, a companhia teve queda nas principais linhas do balanço tanto em relação ao segundo trimestre do ano passado quanto em comparação ao primeiro trimestre deste ano.

A receita líquida totalizou R$ 2,5 bilhões, queda de 7,1% na comparação anual e 2,3% na comparação trimestral. Já o lucro líquido recorrente ficou em R$ 1,2 bilhão, queda de 0,8% ante o mesmo período de 2021 e de 1,5% frente ao trimestre anterior.

O Ebitda recorrente (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 10% em relação ao segundo trimestre do ano passado e 3,2% ante o trimestre anterior, para R$ 1,7 bilhão. Já a margem Ebitda recorrente foi de 74,4%, queda de 652 bps em relação ao segundo tri do ano passado e de 98 bps ante o primeiro tri de 2022.

O segundo trimestre foi um período difícil para as bolsas globais e ativos de risco em geral, com as incertezas em relação à guerra da Ucrânia, à inflação nos países ricos, à alta de juros nos EUA e à situação da covid-19 na China.

Os investidores fugiram dos ativos mais arriscados, o que tende a prejudicar os resultados das operadoras das bolsas, como é o caso da B3. Apenas de abril a junho, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, recuou 18%.

Desempenho mais fraco entre os ativos listados e mais forte no segmento de balcão

Em razão da aversão a risco generalizada, o volume financeiro médio diário negociado (ADTV) no segmento de ações e instrumentos de renda variável da B3 atingiu R$ 28,8 bilhões no segundo trimestre, uma queda de 13,1% ante o mesmo período do ano passado e de 7,6% em relação ao primeiro trimestre.

Já no segmento de derivativos listados, o volume médio diário negociado (ADV) foi de 4,3 de contratos, em linha com o segundo trimestre de 2021 e 3,3% abaixo do trimestre anterior.

A receita do segmento Listados totalizou R$ 1,6 bilhão no trimestre, queda de 10,4% na comparação anual.

Por outro lado, a B3 também conseguiu colher alguns frutos da corrida dos investidores para a renda fixa. O segmento de Balcão apresentou altas no estoque de instrumentos dessa classe de ativos, totalizando R$ 4,6 trilhões ao final do trimestre, um ganho de 23,5% na comparação anual e de 8,4% na comparação trimestral.

Já a emissão de ativos de renda fixa atingiu R$ 4,0 trilhões no trimestre, alta de 23,1% na comparação anual e 11,8% na comparação trimestral.

A receita do segmento Balcão foi de R$ 319 milhões, alta de 13,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

“A conjuntura econômica e, consequentemente, a redução do apetite ao risco dos investidores, resultaram em volumes mais baixos no segmento de listados durante o trimestre. Por outro lado, o aumento da taxa de juros impulsionou um crescimento significativo no segmento de Balcão, especialmente no estoque de instrumentos de renda fixa, o que reforça a eficiência da B3 em garantir a diversificação de suas receitas”, disse, em nota, André Veiga Milanez, diretor-executivo Financeiro, Administrativo e de Relações com Investidores.

O número de investidores, contabilizados em CPFs individuais, cresceu 37,8% na comparação anual e 2,5% na trimestral e chegou a 4,3 milhões.

B3 revisa projeção de alavancagem

Em razão dos impactos do cenário econômico nos resultados da companhia, a B3 revisou sua projeção de alavancagem financeira para o ano de 2022, que agora passou de 1,6 vez para 1,9 vez a relação dívida bruta/Ebitda recorrente dos últimos 12 meses. Todas as demais projeções permaneceram as mesmas, conforme segue:

  • Despesas + Capex - Novas iniciativas e negócios: R$ 585 milhões a R$ 665 milhões
  • Despesas ajustadas - Core Business: R$ 1,28 bilhão a R$ 1,38 bilhão
  • Investimentos (Capex) - Core Business: R$ 200 milhões a R$ 250 milhões
  • Depreciação e amortização (inclui amortização de intangíveis e mais valia): R$ 1,05 bilhão a R$ 1,13 bilhão
  • Despesas atreladas ao faturamento: R$ 265 milhões a R$ 325 milhões
  • Distribuição do Lucro Líquido: 110% a 140%

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

UM GANCHO DE ESQUERDA

Com Bancos Centrais de olho no bitcoin (BTC), maior criptomoeda do mundo cai 6% antes de falas de Jerome Powell hoje; entenda

28 de setembro de 2022 - 9:53

Entenda por que você deveria acompanhar as falas de Jerome Powell, Christine Lagarde e outros presidentes de BCs do mundo

MERCADO EM 5 MINUTOS

Mercado em 5 Minutos: O terror sem fim das bolsas internacionais

28 de setembro de 2022 - 9:32

Bolsas globais caem para o patamar mais baixo em dois anos, refletindo as taxas de juros mais elevadas, que intensificaram os temores de uma recessão global

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa futuro abre em queda e acompanha aversão ao risco do exterior; dólar fica instável

28 de setembro de 2022 - 9:04

RESUMO DO DIA: As bolsas internacionais operam em tom negativo nesta quarta-feira (28). Os investidores seguem com maior cautela com a expectativa de recessão global no radar. Nos EUA, os discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed), dentre eles o do presidente Jerome Powell, devem continuar influenciando as bolsas americanas. Com a agenda esvaziada no […]

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O efeito do abraço de urso: a volta dos IPOs na B3, dividendos milionários, inverno cripto e outras notícias que mexem com seus investimentos

28 de setembro de 2022 - 8:17

A sucessão de baixas dos ativos de risco nos mercados financeiros levou os investidores a uma caça às pechinchas — e cada vez mais analistas consideram que é hora de ir às compras nas bolsas

DE OLHO NA BOLSA

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais caem antes de falas de Jerome Powell e dirigentes do Fed; Ibovespa acompanha Campos Neto e Guedes hoje

28 de setembro de 2022 - 7:40

Por aqui, a última rodada da pesquisa Genial/Quaest antes do primeiro turno das eleições presidenciais mostra chances de que Lula ganhe no primeiro turno

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies