Menu
2021-02-26T08:15:17-03:00
Renan Sousa
Esquenta dos Mercados

Inflação nos EUA atrai a atenção dos mercados globais e dita o tom das bolsas

Os dados saem às 10h30 e perspectivas do mercado afirmam que, não importa a direção, o índice de preços ao consumidor deve surpreender os investidores

26 de fevereiro de 2021
8:01 - atualizado às 8:15
queda bolsa mercados
Imagem: Shutterstock

Se no começo do dia de ontem dissemos que uma luz cruzou o céu, era um mau presságio. Nem mesmo o balanço acima das expectativas da Petrobras e o aceno de Bolsonaro ao mercado conseguiram segurar a bolsa, contaminada pelo pessimismo dos índices de Nova York.

Nesta sexta-feira (26) os dados de inflação dos EUA são os mais esperados, e devem seguir dando o tom nas bolsas pelo mundo. Com a disparada dos juros futuros e valorização do dólar, países emergentes sofrem com a alta do câmbio.

O atraso na aprovação da PEC Emergencial, as constantes interferências e a pandemia fora de controle e sem perspectiva de vacinação em massa da população acabam desanimando o cenário interno também. Confira mais notícias que podem influenciar a bolsa no dia de hoje:

Nacional

O atraso na votação da PEC emergencial pode ser uma pedra no sapato do governo. Investidores temem que, com o adiamento da votação para a semana que vem, a proposta seja desidratada e perca força ao longo do caminho.

Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a PEC emergencial será necessária para o pagamento de novas parcelas do auxílio emergencial, mantendo o teto de gastos e a meta fiscal. Entretanto, o ponto de atrito entre a proposta e a Câmara é a desvinculação de gastos de saúde e educação, que perde cada vez mais força com a falta de apoio de outros setores da sociedade. 

Além disso, a Câmara ainda discute a PEC da imunidade, após a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), e o projeto de lei (PL) da privatização da Eletrobras entraram na frente da PEC emergencial. Com isso, a proposta deve demorar ainda mais para ser aprovada.

Internacional

O temor com a alta da inflação norte-americana tomou conta dos mercados no pregão de ontem. O temor se refletiu na disparada da taxa dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA (Treasuries). O receio dos investidores é que o Fed (Federal Reserve, o Banco Central americano) aumente os juros antes do esperado. 

Nem mesmo o presidente do Fed, Jerome Powell, conseguiu afastar os temores do mercado ao afirmar que, se necessário, o BC americano aumentará a taxa de juros para conter a inflação. Essa aversão ao risco fez com que o Nasdaq tivesse a maior queda desde outubro, de 3,52%.

Esse temor se instaurou nas bolsas asiáticas, que fecharam em queda expressiva na manhã de hoje. Os índices europeus também sentiram o tombo do Nasdaq e abriram em queda. 

Por isso o mercado de acompanhar bem de perto os dados do PCE (a inflação norte americana), que saem hoje pela manhã.

Auxílio emergencial

Aqui no Brasil, em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro voltou a comentar sobre o auxílio emergencial. Ele afirmou que esteve em conversas com Paulo Guedes para aprovar o pagamento de R$ 250 durante quatro meses, a partir de março.

Vacinação

Após o Brasil ter o dia mais letal da covid-19, fica cada vez mais evidente que a vacinação é a saída. Assim, o ministério da Saúde, que tem à sua frente o general Eduardo Pazuello, assinou o contrato para a compra de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin. Entretanto, o imunizante ainda não foi aprovado pela Anvisa.

Enquanto isso, os insumos para a fabricação da vacina de Oxford, que tem a aprovação do órgão brasileiro, chegarão ao Brasil no sábado. A campanha nacional de imunização segue paralisada em alguns estados após a falta de vacinas. 

Empresas

Seguindo na temporada de balanços, a Ultrapar não animou a bolsa e viu suas ações caírem 8% no pregão após a divulgação dos dados. Os investidores também devem reagir ao resultado da Vale, que teve lucro de R$ 4,8 bilhões no quarto trimestre. A mineradora deve passar por um teste de fogo de governança nos próximos dias com com a reunião sobre a eleição do conselho de administração. 

Agenda do dia

O IBGE deve divulgar na manhã de hoje, por volta das 9h, a PNAD contínua, mostrando a taxa de desemprego no trimestre que se encerra em dezembro. Às 9h30, o Banco Central deve lançar os dados das contas públicas de janeiro deste ano. 

Além disso, nos EUA, todos os olhos estão voltados para o PCE (a inflação norte americana) e do núcleo do PCE (10h30). Esses devem ser os índices mais esperados do dia, tendo em vista a alta preocupação dos investidores com os juros futuros do país. 

Fechamento

O medo da disparada da inflação nos EUA contaminou a bolsa, que abriu apontando para um dia positivo, motivada pelo balanço da Petrobras.

Entretanto, os dados da estatal não venceram a queda de braço com o temor externo. O Ibovespa recuou 2,95%, aos 112.256 pontos no fechamento de ontem, enquanto o dólar encerrou o dia com alta de 1,72%, a R$ 5,5140.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies