Menu
2019-05-23T16:15:14-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
GIGANTE DE COSMÉTICOS

Natura e Avon: Veja 9 curiosidades sobre as empresas (agora ‘juntas e shallow now’)

Com a união de Natura e Avon, as empresas formarão 4º maior grupo de beleza do mundo. Confira 9 curiosidades sobre as companhias

23 de maio de 2019
12:32 - atualizado às 16:15
avon-natura
Imagem: Shutterstock / Montagem SD

A Natura e Avon, duas gigantes do universo da beleza, anunciaram nesta quarta-feira (22) a sua união, em uma transação muito esperada pelo mercado.  Juntas (e shallow now?) elas formarão o 4º maior grupo de beleza pure play do mundo.

Assim que todos os trâmites burocrático forem encerrados, a empresa brasileira passará a deter  76% da nova companhia que nasce da união de ambas, sob o nome de Natura & Co.  O grupo também conta com as marcas The Body Shop e Aesop, adquiridas pela Natura em 2017.

Mas o caminho até aqui foi longo e as companhias têm muita história para contar. Separei 9 curiosidades interessantes das empresas e seus melhores momentos. Confira.

1 - História centenária

Com cara de moderninha, a Avon tem uma história que já cruza três séculos, sendo fundada em 1886 como The California Perfume Company por David H. McConnell, um vendedor de livro que distribuía amostras grátis de perfumes junto com os seus produtos. No fim das contas, McConnell percebeu que suas amostras faziam mais sucesso que os livros e abandonou o setor editorial para fundar a empresa, apostando desde cedo no poder da venda direta.

2 - Carinho do dono

Luiz Seabra, fundador da Natura, atendia pessoalmente os clientes que passavam pela primeira loja da empresa. Localizada na Rua Oscar Freire, a loja nasceu em 1970, mas não ficou muito tempo aberta. Em 1974, apostando na força das relações pessoais, a loja é fechada e a empresa passa a atuar no ramo da venda direta, que viraria uma de suas marcas registradas.

3 - A força feminina do século XIX

David H. McConnell, fundador  da empresa, apostou em um modelo ousado de negócio lá no começo da empresa, em 1886. Para sua primeira consultora de vendas, chamou Persis F. Eames Albee, uma mulher. A estratégia da empresa, que nasceu em Nova York, foi um sucesso e a marca ganhou força entre as donas de casa. McConnell acreditava que o modelo era uma oportunidade para as mulheres em uma época que apenas 20% delas trabalhavam fora de casa . E isso tudo antes mesmo de terem o direito de votar.

4 - Independência feminina como bandeira

Mulheres sempre foram a força do negócio das empresas. Tanto Natura como Avon contam com um elevado número de mulheres entre suas consultoras e cargos de gestão. Com a união das empresas, serão mais de 6,3 milhões de consultoras em todo o mundo.

Desde sua fundação, a Avon trabalha com iniciativas para melhorar aspectos da independência e empoderamento feminino e promove temas de importância para a saúde da mulher, como o combate ao câncer de mama. Hoje, a companhia mantém o programa stand4her, com o objetivo melhorar a vida financeira e a saúde de 100 milhões de mulheres todos os anos.

5 - Primeira parada na América Latina: Venezuela

A Avon opera no Brasil desde 1958, mas o país não foi a primeira aventura latino-americana da empresa. Em um projeto ousado de expansão, a Venezuela foi o primeiro país da América Latina em que a companhia passou a operar.

Em 1992 foi a vez da Natura focar em uma forte expansão na América Latina, iniciando operações na Argentina no Peru.

Agora, com a fusão das duas empresas, a Natura & Co estará presente em 100 países.

6 - Cosmético para homem nos anos 70 

O público masculino também foi beneficiado com as inovações da empresa. Em 1979, a Natura lançou a linha SR N, com os primeiros produtos dedicados ao homem no mercado nacional.

Seguindo o DNA do pioneirismo, em 1983 a empresa foi a primeira a lançar embalagens refil, permitindo que os consumidores recarreguem os seus produtos.

7 - Existe beleza na bolsa de valores...

As companhias já são conhecidas dos investidores da Bolsa de longa data. Em 1946 a Avon abriu o seu capital e desde 1946 é uma das empresas listadas na NYSE, a bolsa de valores de Nova York.

Já a Natura, está próximo de comemorar 15 anos de presença na Bolsa de valores brasileira. A abertura de capital da companhia aconteceu em 26 de maio de 2004, na antiga Bovespa e foi considerada um marco no mercado de capitais brasileiro, abrindo caminho para mais de uma centena de ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês).

8 - Berjeaut, o primeiro nome da Natura

Fundada como Indústria e Comércio de Cosméticos Berjeaut, a Natura logo adotou o nome que conhecemos hoje para refletir os compostos vegetais que sempre fizeram parte da sua fórmula. Hoje, a empresa é reconhecida pelo seu compromisso com a preservação ambiental.

Além do uso das embalagens refil, que diminuem a quantidade de lixo produzido, a companhia também passou a criar linhas com menos uso de plástico.  Em 2006, a empresa baniu o testes de produtos em animais e em 2007 lançou o Programa Carbono Neutro, com a meta de reduzir as emissões de gases do efeito estufa. Em 2013  a empresa já havia reduzido 1/3 de suas emissões.

9 - De volta às lojas só em 2016

A estratégia de venda direta foi a chave de sucesso da Natura, mas a estratégia de expansão da empresa parece ter mudado. Desde 2016 a empresa tem investido na inauguração de unidades físicas em todo o país. Além disso, a companhia também conta com outras seis lojas no exterior.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

INVESTIMENTOS

Suzano anuncia investimentos de R$ 4,4 bilhões em 2020

Além disso, a Suzano vai investir mais R$ 400 milhões em aquisição e/ou formação de terras e florestas

acordo EUA x CHINA

Casa Branca sinaliza que assinará acordo comercial limitado entre EUA e China

Trump se reuniu com importantes assessores econômicos e comerciais por uma hora nesta quinta-feira. A fonte disse que o acordo pode ser confirmado já nesta sexta-feira

INVESTIMENTOS

Para Freitas, decisão da S&P é “excelente” para atrair investimentos

O ministro prevê que a melhora de perspectiva para o Brasil pelas agências de rating vai impulsionar investimentos para as mais de 40 concessões que pretende vender em leilões em 2020

seu dinheiro na sua noite

Café com gosto amargo para a B3

Estive na manhã de hoje em um evento promovido pela bolsa brasileira B3 com advogados, representantes de bancos e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a xerife do mercado de capitais brasileiro. Com o Ibovespa alcançando mais um recorde hoje, em meio a um volume histórico de ofertas de ações realizadas no mercado brasileiro, 2019 […]

112.199,74 pontos

Copom, S&P e Trump dão força ao mercado e fazem o Ibovespa quebrar novos recordes

Impulsionado pelo corte na Selic, pela visão otimista da S&P em relação ao Brasil e pela perspectiva de acerto entre EUA e China, o Ibovespa rompeu o nível dos 112 mil pontos pela primeira vez

PROBLEMAS NO BALANÇO

Via Varejo confirma fraude contábil, com impacto de até R$ 1,4 bilhão no resultado do 4º trimestre

Segundo o documento, houve manipulação da provisão trabalhista da companhia e diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos

RECOMENDAÇÃO

UBS eleva ações da Localiza para compra e inicia cobertura de Unidas e Movida como neutra

O UBS também aumentou o preço-alvo dos papéis ordinários da empresa para R$ 56, ante R$ 47,80, o que representaria uma alta de quase 23% em relação ao fechamento do pregão da última terça-feira

Altas e baixas

Sabesp, MRV e varejistas: os destaques da bolsa nesta quinta-feira

As ações da MRV e das varejistas aparecem entre as maiores altas do Ibovespa nesta quinta-feira, enquanto os papéis da Sabesp têm o pior desempenho do dia

Elevando as recomendações

Varejo em foco: o Credit Suisse está otimista com as ações da B2W e das Lojas Americanas

O Credit Suisse elevou as recomendações e preços-alvo para as ações da B2W e Lojas Americanas, citando perspectivas mais favoráveis para ambas as empresas no futuro

COM MENOS DÍVIDAS

CSN espera reduzir endividamento em quase R$ 8 bilhões

De acordo com Ribeiro, as principais medidas serão o pagamento mínimo de dividendos e a venda de ativos como a subsidiária da CSN na Alemanha. “Estamos em um processo bastante avançado de venda”, afirmou

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements