Menu
2019-10-14T14:13:52+00:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
mitose das ações

Em busca de liquidez, Magazine Luiza anuncia desdobramento de ações

Proposta está sujeita a aprovação de acionistas em assembleia geral que ainda deve ser convocada

12 de julho de 2019
9:33 - atualizado às 14:13
Magazine Luiza
Imagem: Divulgação

O Magazine Luiza anunciou nesta sexta-feira, 12, que fará um desdobramento de ações, de um para oito. A proposta está sujeita a aprovação de acionistas em assembleia geral que ainda deve ser convocada.

Segundo a empresa a operação tem como principal objetivo tornar o valor das ações mais acessível aos investidores e aumentar a liquidez dos papeis. Os ativos do Magalu registravam alta de 3,38%, a R$ 238,56, por volta das 15h desta sexta.

Hoje, são negociados 190,5 milhões de ações da companhia. Após o desdobramento, o capital social do Magalu permanecerá no montante de R$1,7 bilhão, dividido em 1,5 bilhão de ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Se aprovada em assembleia, não será a primeira vez que o Magazine Luiza desdobra suas ações. Em 2017 a empresa realizou uma operação na mesma proporção, por conta da alta valorização dos seus ativos.

De R$1 para R$ 230

Na quinta-feira, 11, os papeis da companhia fecharam o dia cotados a R$ 230,77. A valorização, desde o início de 2017, é de 1,600% - naquele ano valia R$ 12,50. Em 2011, a ação chegou a ser negociada abaixo de R$ 1,00.

Mas, desde então, sob o comando de Frederico Trajano, a varejista se reinventou como uma plataforma multicanal. Em entrevista no dia 3 de julho para o jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da companhia, disse que, no início, imaginava que a transformação digital do Magalu levaria até dez anos. Mas o ciclo foi concluído em 2018. "Agora, queremos digitalizar o varejo brasileiro", afirmou.

No mês passado, o Magazine Luiza comprou a Netshoes por US$ 115 milhões, após uma acirrada disputa com a Centauro. O movimento, em linhas gerais, foi visto por analistas como positivo porque ajudaria na diversificação da plataforma online da companhia. Mas as dificuldades enfrentadas pela Netshoes podem trazer "distrações" à empresa, segundo avaliaram.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Novidades

Fusão entre Boeing e Embraer consegue aprovação em grande mercado

O acordo entre ambas aparece na lista de transações que data de 19 de novembro. No documento, as transações são colocadas como “aprovadas sem condicionantes”

Seu Dinheiro na sua noite

126…144…197 mil pontos para o Ibovespa

Eu vou, sem saber pra onde nem quando vou parar. O clássico de Roberto Carlos “120… 150… 200 Km Por Hora” podia muito bem embalar a leitura desta newsletter. Assim como o velocímetro do carro na canção do Rei (uma das minhas favoritas), as projeções dos analistas para a bolsa no ano que vem apontam para cima. […]

Quanto vale o show?

Plataforma de investimentos do BTG Pactual pode valer até R$ 10 bilhões, calcula UBS

Banco suíço iniciou a cobertura das ações do BTG Pactual, que já triplicaram de valor neste ano, com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 82,00

Emprego

Mercado de trabalho cria 70.852 empregos com carteira assinada em outubro

Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2017, quando foram criadas 76.599 vagas no décimo mês do ano. Em outubro do ano passado, houve abertura líquida de 57.733 vagas, na série sem ajustes

De olho nos papéis

BTG reitera compra de Klabin e Suzano e aumenta preço-alvo das ações

Em relatório, analistas do banco expandiram o preço-alvo dos papéis da Suzano para R$ 44 (o valor anterior era de R$ 40), e da Klabin para R$ 20, ante R$ 18

Otimismo

Para o Credit Suisse, 2020 é o ano dos emergentes — e o Brasil tende a ser um dos destaques

A equipe de análise do Credit Suisse aposta nos mercados emergentes para 2020. E, nesse grupo, as ações e ativos do Brasil aparecem entre as principais recomendações

Perspectivas 2020

Para Goldman Sachs cenário é desafiador para o Brasil, mas mais esperançoso

Preocupação não é com a direção da política econômica, mas sim com a capacidade de implementar agenda de reformas fiscais

Mercado de capitais

Ações da Cogna sobem com notícia de IPO de unidade nos EUA

A Cogna espera uma avaliação de até R$ 8 bilhões pela Vasta, plataforma de serviços digitais para escolas privadas, na oferta pública inicial de ações, que deve acontecer em 2020, de acordo o site Brazil Journal

um olho aqui e nos vizinhos

Política impede avanço de reformas na América Latina, mas Brasil é notável exceção, diz Moody’s

Para 2020, a visão dos analistas é de que o ambiente para a região e os emergentes como um todo é negativo, por conta do aumento de riscos políticos e geopolíticos

na ponta do lápis

BNDES perdeu tempo na venda de fatia da JBS, diz presidente do conselho de administração do banco

Em evento no Rio de Janeiro, Carlos Thadeu de Freitas estimou o impacto financeiro dessa demora em R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements