Menu
2019-09-24T18:23:46-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Ataques às redes sociais

Ações do Facebook, Twitter e outras gigantes de tecnologia caem com fala de Trump na ONU

Donald Trump atacou as plataformas de redes sociais durante seu discurso na ONU, o que fez as ações do Facebook, Twitter e outras empresas do setor fecharem em baixa

24 de setembro de 2019
15:37 - atualizado às 18:23
Donald Trump
Imagem: shutterstock

Declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, voltaram a trazer cautela aos mercados e empurraram as bolsas americanas ao campo negativo, com destaque para as ações das gigantes do setor de tecnologia, como Facebook e Twitter.

Mas, desta vez, a reação não foi causada por algum tuíte mais exaltado do republicano: a onda de prudência desta terça-feira (24) possui relação com o discurso dele na Assembleia Geral da ONU. O Dow Jones (-0,53%), o S&P 500 (-0,84%) e o Nasdaq (-1,46%) fecharam em queda, após terem iniciado do dia exibindo ganhos moderados.

As bolsas americanas começaram a perder força pouco depois das 11h (horário de Brasília), quando Trump iniciou seu discurso na ONU. Entre outros pontos, o presidente americano reforçou sua postura protecionista, afirmando que não aceitará um acordo comercial com a China que não seja vantajoso para os EUA.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Embora o tom mais agressivo adotado por Trump tenha trazido cautela aos mercados acionários de maneira generalizada, um aspecto da fala do presidente americano acabou mexendo diretamente com o desempenho do setor de tecnologia.

E isso porque, durante seu pronunciamento, o republicano atacou diretamente as plataformas de redes sociais, afirmando que um pequeno número de companhias desse setor estaria adquirindo imenso poder.

"Uma sociedade livre não pode permitir que as gigantes de mídias sociais silenciem as vozes do povo", disse Trump. "E um povo livre nunca deve se empenhar na causa de silenciar seus vizinhos ou colocá-los na lista negra".

Como resultado, as ações das gigantes americanas do setor de tecnologia e que administram plataformas de redes sociais passaram a cair com intensidade. Os ativos do Facebook (FB) fecharam a sessão em baixa de 2,97%, enquanto os papéis do Twitter (TWTR) recuaram 4,52%.

Ainda dentro do setor de tecnologia, as ações da Alphabet, controladora do Google, também caíram: os ativos preferenciais (GOOG) recuaram 1,24%, enquanto os ordinários (GOOGL) tiveram baixa de 1,33%. Ainda apareceram no campo negativo os papéis da Amazon (AMZN) (-2,45%) e Netflix (NFLX) (-4,26%).

  • CONVITE ESPECIAL: Hoje é nosso aniversário de 1 ano do Seu Dinheiro. E estamos com uma super novidade para você, leitor. Aqui neste vídeo nosso colunista Fausto Botelho conta os detalhes. Aproveite!

Ataques à China

"A China não só se recusou a adotar as reformas prometidas, como também adotou um modelo econômico que depende de enormes barreiras de mercado, pesados subsídios estatais, manipulação cambial, transferências forçadas de tecnologia e roubo de propriedade intelectual", disse Trump nesta manhã.

A fala do chefe da Casa Branca caiu como um balde de água fria nos mercados, uma vez que sinalizações mais amistosas do Secretário do Tesouro Americano, Steven Mnuchin, em relação aos rumos da guerra comercial haviam animado os agentes financeiros durante a manhã.

De acordo com Mnuchin, a próxima rodada de negociações oficiais entre EUA e China ocorrerá em duas semanas — o Secretário ainda afirmou que as recentes reuniões entre representantes dos dois países foram proveitosas e resultaram em progressos na relação entre Washington e Pequim.

O tom mais agressivo assumido por Trump, no entanto, enfraqueceu qualquer percepção de que as duas potências poderiam estar caminhando para encontrar uma solução amistosa e, eventualmente, chegar a algum tipo de acordo — mesmo que parcial — na reunião de outubro.

Com isso, as bolsas americanas viraram para o campo negativo, um movimento que também acabou influenciando o Ibovespa — o principal índice acionário brasileiro intensificou as perdas e, no momento, cai 0,67%, aos 103.933,70 pontos. Acompanhe aqui a cobertura completa dos mercados.

E o Nasdaq acaba sendo mais penalizado pelas declarações de Trump por ser o índice que concentra as ações de empresas do setor de tecnologia: Facebook, Twitter, Amazon, Alphabet e Netflix, entre outras, estão entre os principais ativos da carteira.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

VENDA DE AÇÕES

Cofundador da Uber vende cerca de US$ 166 milhões em ações da gigante em dezembro

O fundador de 43 anos fez a venda de mais de 5,8 milhões de papéis da Uber nos últimos três dias úteis desta semana

MAIS LIDAS

O bilionário sem dinheiro

O que eu vou falar agora pode parecer contraditório. Muita gente rica tem a grana curta. O bilionário Elon Musk é um caso clássico disso. É que 99% da sua fortuna está aplicada em ações da Tesla, a montadora de carros elétricos criada por ele. Dinheiro na conta ele tem pouco (certamente muito mais do […]

ADIADA

Governo adia para 2021 fim de taxa em aeroportos

De acordo com ele, a proposta será incluída apenas na Lei Orçamentária Anual de 2021, portanto, a taxa será mantida no ano que vem

Boas novas

SulAmérica vai pagar R$ 110 milhões em juros sobre capital próprio

O pagamento foi aprovado pelo conselho de administração da companhia e terão direito os acionistas na base da empresa em 18 de dezembro, com as ações sendo negociadas “ex” juros a partir do dia seguinte

acordo

Governo brasileiro avalia positivamente acordo entre EUA e China

Para Marcos Troyjo, as vantagens que o Brasil terá com o fim das incertezas causadas pela guerra comercial entre os dois países superam qualquer ganho pontual de mercado que o País teve com a disputa

ALÔ, ACIONISTA!

B3 vai pagar R$ 389 milhões de juros sobre capital próprio

O pagamento de JCP também é uma forma de distribuir lucros, mas em vez de terem um benefício tributário para os acionistas, como ocorre com os dividendos, os Juros sobre Capital Próprio beneficiam a empresa

Projeções para 2020

Os melhores investimentos do mundo: as apostas da BlackRock para 2020

Entre os ativos preferidos da gestora global para o ano que vem estão as ações e os títulos de renda fixa dos mercados emergentes

MUDANÇAS À VISTA?

Concessionária de Viracopos ‘sinaliza’ com processo de devolução, diz ministro

No fim de novembro, a Aeroportos Brasil, administradora de Viracopos, protocolou na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) as considerações finais do processo de caducidade (extinção) do terminal de Campinas

Leilões

Governo projeta até 44 leilões para 2020, incluindo a rodovia presidente Dutra

Em 2019, segundo o ministro, o governo realizou 27 licitações. Foram 13 terminais portuários, um trecho da Ferrovia Norte-Sul, as rodovias BR-364 e 365 e 12 aeroportos

O Ibovespa e o eu do futuro

A Helena, minha filha de nove anos, e os amigos da escola decidiram escrever uma carta para o “eu do futuro” como trabalho de final de ano – hoje é o último dia de aula. Eu nunca tive esse tipo de atividade quando criança, mas já pensei várias vezes em como seria fazer algo do […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements