Menu
2019-09-25T12:08:41+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
olhos no futuro

Facebook avança em planos para o cérebro do usuário em negócio bilionário

Empresa comprou a startup CTRL-Labs, que desenvolve um software para medir a atividade neural de uma pessoa e determinar o movimento que o usuário pensa em fazer

25 de setembro de 2019
12:02 - atualizado às 12:08
Mark Zuckerberg
Mark Zuckerberg, CEO do Facebook - Imagem: Shutterstock

O Facebook avançou em seus planos para o cérebro do usuário. O vice-presidente da divisão de Realidade Virtual e Realidade Aumentada do Facebook, Andrew Bosworth, anunciou em seu perfil na rede social que a empresa comprou a startup CTRL-Labs.

  •  LEIA HOJE: Estão oficialmente abertas (por tempo limitado ou enquanto durarem as vagas) as inscrições para o melhor curso de análise gráfica para enriquecer em qualquer mercado. Entre aqui e aproveite!

A iniciativa desenvolve um software que permite ao usuário controlar dispositivos apenas com o pensamento. Com uma pulseira, é startup hoje consegue medir a atividade neural de uma pessoa e determinar o movimento que o usuário está pensando em fazer. A atividade neural é então "traduzida" em um movimento não físico, mas na tela de um computador, por exemplo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Segundo a Bloomberg, a rede social desembolsou entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão (o equivalente a R$ 4,1, pela cotação de ontem) pela empresa, que tem quatro anos de existência e capital fechado. À publicação, a empresa não quis comentar o negócio.

Mas as ações do Facebook nesta terça-feira, no primeiro dia de pregão pós-anúncio, tiveram queda de 2,97%, a US$ 181, 28. Nesta quarta, os papeis da companhia também operavam em baixa: por volta das 12h, eram negociados a 179,73. Veja nossa cobertura de mercados.

Aquisição importante

A imprensa americana diz que a compra a CTRL-Labs pode um dia ser uma parte essencial por conta da chamada realidade aumentada. Com a tecnologia aplicada a um óculos, por exemplo, seria importante que o usuário pudesse controlar sua atividade online sem uma ferramenta física.

O próprio Facebook tem trabalhado em sua própria tecnologia de realidade aumentada. Em 2017, conforme lembra a publicação, a empresa anunciou uma interface casando a atividade entre cérebro e computador que pode um dia permitir que as pessoas transforme pensamentos em textos na tela. A tecnologia da CTRL-Labs resolveria um problema similar, disse a Bloomberg.

"A pulseira decodificará esses sinais [dos neurônios] e os converterá em um sinal digital, que seu dispositivo poderá entender, dando a você o controle sobre sua vida digital", escreveu Bosworth em seu perfil.

A aquisição da CTRL-Labs é feita um momento especialmente desafiador para o Facebook. A empresa passa por um um escrutínio público nos últimos meses por conta do uso indevido de informações pessoais de usuários.

A questão tem um impacto não só na imagem, mas também financeiro. Em julho, a empresa teve de fechar um acordo de US$ 5 bilhões com a Comissão Federal de Comércio - órgão de defesa do consumidor dos Estados Unidos.

A cifra impactou no lucro líquido do segundo trimestre deste ano da empresa, que caiu 49%, para US$ 2,6 bilhões. Por outro lado, o Facebook teve expansão na receita, em 28%, e na base de usuários, 8%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Ações para uma vida

Conheça os 5 maiores investimentos da carteira do bilionário Warren Buffett

Em junho deste ano, a holding de Warren Buffett detinha na carteira ações de 47 companhias. Mas cinco delas representavam 69% do total em valor de mercado. Confira quais são as queridinhas do “oráculo de Omaha”

QUER GANHAR DINHEIRO?

5 estratégias para lucrar na bolsa olhando apenas os gráficos

Quem souber interpretar esses movimentos pode ter insights valiosos sobre a tendência de preços.

Impasse sem fim

Hoje não? Hoje sim. Parlamento britânico volta a adiar votação sobre acordo do Brexit

Foi um duro golpe para primeiro-ministro Boris Johnson, que poderá se ver obrigado a pedir à União Europeia o adiamento da saída do Reino Unido

Sócios na bolsa

Banco do Brasil atrai mais de R$ 7 bilhões em recursos de pessoas físicas em oferta de ações

Uma parcela de 30% da emissão do Banco do Brasil foi destinada ao varejo, embora a demanda fosse suficiente para cobrir o total da oferta, de R$ 5,8 bilhões

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Um novo modelo para o concurso público

Durante um bom tempo, se você digitasse “Banco do Brasil” no Google, a primeira palavra sugerida para a busca seria “concurso”. Ainda hoje o termo aparece bem à frente nas pesquisas do site do que “investimentos”, por exemplo. A estabilidade de uma carreira no serviço público continua sendo a aspiração de muita gente, ainda mais […]

Governança corporativa

Após vender Via Varejo, GPA dá novo passo para migrar ações ao Novo Mercado da B3

Pão de Açúcar publicou o primeiro aviso da oferta pública de aquisição (OPA) da Almacenes Éxito, que possui ações listadas na Colômbia, dentro da reestruturação das operações do grupo francês Casino na América Latina

Maquininhas de cartão

Luz verde! UBS inicia cobertura de ações da Stone com recomendação de compra

O preço-alvo para as ações da Stone, que são negociadas na Nasdaq, foi definido em US$ 42, o que representa um potencial de alta da ordem de 23%

Briga política

Bolsonaro quer processar deputado que o chamou de ‘vagabundo’

Em áudio vazado de uma reunião interna da legenda, o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, também disse que vai “implodir” o presidente Jair Bolsonaro

Smartphone

Com iPhone 11 mais barato, Apple volta a atrair fila de lançamento

Preços do iPhone 11 ainda são salgados e variam entre R$ 5 mil e R$ 9,6 mil, mas estão um pouco abaixo de 2018, quando a Apple lançou o modelo XR por pelo menos R$ 5,2 mil

Sopa de letrinhas

Entenda como funciona o rating, a nota de crédito dos países e das empresas

A avaliação sobre a capacidade financeira de países e empresas de uma maneira padronizada serve para que os investidores conheçam o nível de risco a que estão se expondo na hora de comprar títulos de dívida. Eu conto para você o conceito que está por trás dessas notas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements