Menu
2019-05-02T12:52:50+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Finanças melhores

Eletrobras quer ficar menos endividada: presidente diz que vai submeter processo de venda de 47 SPEss

Segundo Wilson Ferreira, o processo deve ser submetido ao conselho e anunciado entre abril e maio

3 de abril de 2019
18:45 - atualizado às 12:52
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

Em evento para investidores do Bradesco BBI, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira, disse hoje (3) que vai submeter o processo de venda de 47 Sociedades de Propósito Específico (SPEs) entre abril e maio deste ano. "Aperfeiçoamos a forma de como esses ativos serão ofertados e vamos submeter ao conselho, mas ainda não há um calendário para venda", destacou Ferreira.

Na prática, o ato de vender as SPEs, ou seja, participações que a Eletrobras possui nesse tipo de sociedade é uma das maneiras que a empresa tem para reduzir o seu endividamento, tornar-se mais eficiente e até mesmo mais rentável. Logo, junto com a venda de distribuidoras, a iniciativa pode ajudar a equilibrar o caixa da companhia.

Mas nem tudo são flores. Em uma das tentativas que a empresa fez de vender participações de SPEs em setembro do ano passado, o leilão frustrou um pouco as expectativas da gigante.

Na ocasião, a companhia conseguiu fazer a venda de apenas 11 dos 18 lotes ofertados. Com isso, ela arrecadou cerca de R$ 1,296 bilhão em vez dos R$ 3,1 bilhões que estavam previstos inicialmente.

Capitalização é o foco

O presidente voltou a destacar que o processo de capitalização é uma solução para a empresa e para o consumidor e que ela seria mais importante do que a privatização.

Ferreira disse que os principais argumentos de defesa seriam o fato de que ela teria maior capacidade de gerar resultados, além do que a capitalização poderia ajudar a eliminar a bandeira tarifária.

"Eu acredito que é uma forma mais fácil de trazer a empresa para o mercado de capitais sem abrir mão de algumas coisas. Se capitalizarmos a Eletrobras, continuaremos a ter uma participação relevante na empresa e ainda vamos vender ações na bolsa a valores bem maiores", disse ele.

E ao que tudo indica, o governo também parece mais favorável à capitalização. Segundo o secretário de energia elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ricardo Cyrino, que também estava no painel, "a inclinaçao é para a capitalização, mas isso ainda não foi decidido. O governo tem suas prioridades, mas imagino que a linha da modernização seja um ponto importante".

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Agora vai?

Governo enviará ao Congresso na próxima semana projeto para destravar privatização da Eletrobras

Proposta deve conter os mesmos itens que estavam na Medida Provisória 879, que não foi votada pela Câmara

Olha quem apareceu

Rede de varejo Le Biscuit, da Vinci Partners, estreia no comércio online

Entrada da empresa no mundo online ocorrerá em etapas e segue uma tendência mundial

Olha a oportunidade aí

Movimentos para ofertas de ações no 2º semestre aceleram

Reuniões com os bancos de investimento se intensificam e companhias começam a fechar acordos para levar as ofertas adiante

Eita!

Chefes da Receita Federal ameaçam entrega de cargos por interferência política

De acordo com apuração, seis subsecretários do órgão estão fechados nessa posição

À beira do abismo

Sob pressão financeira, Oi procura bancos para encontrar saída

Operadora precisa levantar R$ 2,5 bilhões, mas ainda não tem ideia de como fará essa captação de recursos

Batalha contra a desaceleração

China divulga reforma de juros para reduzir custo de financiamento de empresas

Movimento anunciado deve reduzir ainda mais as taxas de juros reais para as companhias do país

Entrevista

Criador da CVM diz que mercado brasileiro não precisa de mais regulação

Para Roberto Teixeira da Costa, momento é de libertar a capacidade criativa das pessoas; em entrevista ao Seu Dinheiro, ele fala sobre mercado de capitais, economia brasileira e a figura do analista de investimentos

Seu Dinheiro na sua noite

Lucro, pra que te quero?

Podem me chamar de antiquado ou de romântico, mas sou do tempo em que empresa boa é empresa que dá lucro. Mas reconheço que, diante das mudanças abruptas na forma como consumimos produtos e serviços, olhar para a chamada última linha do balanço das companhias ficou meio fora de moda. No lugar do lucro, o […]

Xiiii...

Oi avisa Anatel que pode ficar sem dinheiro para operar a partir de fevereiro

Diagnóstico da situação da empresa indicou que o dinheiro em caixa da operadora chegou ao “mínimo necessário”

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O furacão das eleições na Argentina e o fantasma da recessão mundial

Seu Dinheiro traz um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements