Menu
2021-06-05T18:11:09-03:00
Estadão Conteúdo
Saúde

Grupo liderado pelo Blackstone fecha negócio para comprar Medline por mais de US$ 30 bi

Se concluída, aquisição pode ser uma das mais alavancadas desde a crise financeira e a mais alavancada da saúde de todos os tempos

5 de junho de 2021
18:11
covid-19 coronavírus hospital médicos
Medline fabrica e distribui equipamentos e suprimentos usados em hospitais em mais de 125 países. - Imagem: Agência Brasil

Um grupo de empresas de capital privado, incluindo o Blackstone Group Inc., está próximo de um acordo para adquirir a gigante de equipamentos médicos norte-americana Medline Industries Inc., avaliada em mais de US$ 30 bilhões. A aquisição é uma das mais alavancadas desde a crise financeira, de acordo com especialistas.

O negócio pode ser fechado já neste fim de semana, caso não haja alterações nas tratativas. O consórcio Blackstone inclui Carlyle Group Inc. e Hellman & Friedman LLC.

Eles venceram a oferta rival do braço de private equity da gigante canadense de investimentos Brookfield Asset Management Inc., segundo pessoas próximas ao acordo.

A transação está avaliada em aproximadamente US$ 34 bilhões. A conclusão do acordo pode fazer com que essa seja a maior compra alavancada de saúde de todos os tempos.

Medline

Com sede em Northfield, Illinois, a Medline fabrica e distribui equipamentos e suprimentos usados em hospitais em mais de 125 países.

Tem cerca de US$ 17,5 bilhões em vendas anuais. Os irmãos James e Jon Mills fundaram a empresa em 1966, abrindo o capital em 1972.

Apesar da negociação, a família continuará sendo a maior acionista da empresa após a compra, e a equipe administrativa permanecerá no local, disseram fontes.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies