Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-05T15:39:11-03:00
Sextou com o Ruy

O caso Archegos e o valor da paciência para quem deseja ficar rico com investimentos

A impaciência do fundo Archegos certamente não ajudou o patrimônio dos seus cotistas. Mas você pode fazer muito melhor pelo seu próprio patrimônio sendo mais paciente que a média

2 de abril de 2021
6:31 - atualizado às 15:39
Dólar em queda
Imagem: Shutterstock

Cerca de três vezes por semana a rotina se repete: o celular desperta ainda de madrugada (horário que não tem ninguém na rua, entendido?), coloco meu cronômetro no pulso esquerdo, calço meu par de tênis, minha máscara e saio correndo pela rua.

Não sou atleta e nem tenho essa pretensão. Ganhar a São Silvestre está longe dos meus planos.

Na verdade, minha meta é muito mais simples: tentar superar os primeiros 8 km, ainda que o joelho às vezes reclame.

Em todos esses anos que eu repito a rotina, uma coisa acabou ficando bem clara: quanto mais rápido eu tento correr o primeiro quilômetro, mais difícil se torna completar os outros sete.

Se eu faço os primeiros mil metros em um ritmo de 12 km/h, consigo terminar o percurso sem grandes sofrimentos.

Mas se eu estiver impaciente e começar a corrida em 20 km/h para acabar rápido com aquilo, pode apostar que não vou conseguir fazer nem um quarto do trajeto.

É engraçado como há muitas similaridades nisso com o mundo dos investimentos.

20% ao ano...

Ao contrário do que muita gente imagina, as fortunas em bolsa não são construídas em um ritmo acelerado e com ganhos absurdos em pouco tempo.

Na verdade, os grandes investidores normalmente apresentam taxas de retorno anuais que muitas vezes não impressionam à primeira vista, mas que se mantidas por um longo período de tempo podem proporcionar verdadeiras fortunas.

Parece até mentira, mas a riqueza do maior investidor de todos os tempos, Warren Buffett, foi construída a uma valorização de 20% ao ano.

Não parece ser uma taxa fantástica, e certamente não é o tipo de valorização capaz de deixar alguém rico em dois ou três anos.

Mas adicione um pouco de paciência e o poder dos juros sobre juros proporcionarão uma supervalorização.

… é muito melhor que tudo ou nada

Você deve ter visto no início desta semana que o family office (empresa de gestão de fortunas) Archegos foi forçado a vender ações com prejuízos bilionários por causa de uma estratégia que deu bastante errado.

Basicamente, o fundo operava alavancado, usando empréstimos de bancos para ganhar dinheiro muito mais rapidamente do que pelos métodos tradicionais.

Impaciente esse pessoal da Archegos...

Com uma alavancagem de 50% é possível lucrar duas vezes mais investindo apenas metade do valor necessário – a outra metade você pega emprestado do banco.

No exemplo abaixo, o investimento em uma ação que subisse 20% traria um lucro de 40% para quem operasse alavancado.

Isso certamente aumenta a velocidade de valorização dos investimentos para os investidores impacientes.

Mas tem um grande problema. A mesma alavancagem que dobra seus lucros no melhor cenário, dobra seus prejuízos também se a ação cai.

E nos momentos em que o mercado vira contra você, o banco credor pode simplesmente te forçar a vender suas posições com medo de não conseguir receber nem a parte dele no fim.

Aí já sabe, né? Você vai ser obrigado a vender as suas ações justamente no pior momento possível, com um prejuízo tão grande que vai demorar anos para conseguir recuperar – se é que você vai conseguir recuperar.

Mecanismo de transferência

Assim como eu tenho certeza que só vou conseguir completar o meu trajeto com sucesso se não forçar demais o ritmo no começo, você também precisa entender que não é correndo atrás de lucros enormes de curto prazo que a sua riqueza será construída.

Ganhos extraordinários utilizando métodos não convencionais normalmente estão associados a perdas extraordinárias também.

Correr demais e utilizar atalhos no começo da sua corrida como investidor na tentação de chegar mais cedo no longo prazo pode, na verdade, acabar tornando a distância até ele ainda maior.

Como diz Warren Buffett: "O mercado de ações é um mecanismo de transferência de riqueza dos impacientes para os pacientes."

A impaciência do fundo Archegos certamente não ajudou o patrimônio dos seus cotistas.

Mas você pode fazer muito melhor pelo seu próprio patrimônio sendo mais paciente que a média.

Aliás, o Rodolfo Amstalden, que é a pessoa mais paciente que eu conheço, leva essa filosofia de vida para o PRP, o fundo focado no longo prazo, mas que tem superado com folga o seu benchmark. Eu mesmo tenho uma parte do meu patrimônio investido nele.

O fundo está aberto para captação, e se você quiser conferir, deixo aqui o convite.

Uma ótima Sexta-feira Santa para você e sua família!

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Vídeo Melhores Ações do Mundo

Efeitos da Vacina na Bolsa – Analista compara o desempenho de duas gigantes dos EUA, a Coca-Cola (COCA34) e a Netflix (NFLX34)

Muito se fala dos efeitos da vacina na Bolsa de Valores. Nesse vídeo o analista da Empiricus, Enzo Pacheco, compara duas ações que seguiram caminhos diferentes na Bolsa nos últimos meses e explica os motivos.

Blink!

Qual a expectativa para CASH3? O que esperar de Cosan a partir do IPO da Raízen? Confira as respostas do Felipe Miranda na nova edição do Blink!

Em mais uma edição do seu vídeo de ‘rapidinhas’, o CIO da Empiricus fala sobre as expectativas em relação a diversos tickers e responde outras dúvidas dos seus seguidores

DESTAQUES DA BOLSA

Minério de ferro volta a subir e as ações da Vale e das siderúrgicas acompanham

O avanço do aço na China é sinal de boas notícias, o que anima os investidores por aqui.

do campo para a bolsa

AgroGalaxy (AGXY3) estreia em queda de 24%, após precificar ações no piso em IPO

Empresa de agronegócio já havia reduzido substancialmente o tamanho da oferta; analistas apontam risco de a companhia ser espremida por fornecedores

Temores atrapalham recuperação

Setor da construção é como uma Ferrari com freio de mão puxado, diz presidente da CBIC

Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção, o recorde de alta nos custos de materiais é um dos principais problemas no setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies