🔴 [EVENTO GRATUITO] COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE AQUI

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
preocupação

Ações de bancos globais caem em meio a problemas de fundo de investimento dos EUA

Credit Suisse e Nomura registram as maiores baixas após alertarem para possíveis grandes perdas causadas pelo Archegos Capital Management

queda
Imagem: Shutterstock

As ações dos principais bancos globais registram queda nesta segunda-feira (29), após alguns deles alertarem para possíveis grandes perdas causadas por um cliente dos Estados Unidos que não conseguiu cumprir com suas obrigações.

Nenhum dos bancos identificou o cliente, mas a revelação de que provavelmente se trata do Archegos Capital Management veio após papéis dos grupos de mídia americanos ViacomCBS e Discovery e do grupo de entretenimento chinês IQIYI amargarem perdas acentuadas na sexta-feira (26), em reação a vendas de US$ 35 bilhões em blocos de ações por este fundo de investimento, deflagradas por uma chamada de margem pelo Goldman Sachs, segundo revelou o jornal "The Wall Street Journal".

Chamada de margem ocorre quando a bolsa ou uma corretora verifica que um cliente pode não cumprir com as obrigações de uma operação que ele iniciou. Nesse caso, ele precisa apresentar uma garantia adicional, seja em dinheiro, ativos ou valores mobiliários, para garantir o cumprimento da operação.

Por volta das 9h46 (de Brasília), a ação do Credit Suisse tinha queda de mais de 14% na Bolsa de Zurique, após o banco suíço dizer em comunicado que um fundo de hedge dos Estados Unidos falhou no pagamento de chamadas de margem feitas na semana passada pela instituição e outros bancos.

O papel da Nomura sofreu impacto ainda maior, fechando em baixa de mais de 16% na Bolsa de Tóquio, após dizer que tem cerca de US$ 2 bilhões a recuperar de um cliente dos Estados Unidos.

Nesta manhã, os alertas do Credit e da Nomura pressionam as ações de grandes bancos europeus, assim como os papéis de bancos dos EUA negociados no pré-mercado de Nova York.

O Deutsche Bank registra queda de mais de 3% em Frankfurt, após o "The Wall Street Journal" informar que ele também desfez negociações da Archegos. O UBS caía mais de 3% em Zurique.

No pré-mercado dos Estados Unidos, o Goldman Sachs registra baixa de 2,38%, enquanto o Morgan Stanley, que também teria saído de posições ligadas ao fundo na sexta-feira, recuava 4,78%.

* Com informações da Estadão Conteúdo, Dow Jones Newswires e MarketWatch

Compartilhe

DESTAQUES DA BOLSA

Por que as ações da PagSeguro (PAGS34) despencam 20% apesar do lucro recorde no 1T22?

9 de junho de 2022 - 14:18

O mercado enxerga além do 1T22 e pode estar precificando novamente as dificuldades que a empresa talvez enfrente nos próximos meses

DERRUBADO PELA COVID

Com presidente do Conselho fura-quarentena e perdas de clientes, Credit Suisse tem desafio de recuperar reputação

17 de janeiro de 2022 - 15:05

Credit Suisse volta a ser abalado com saída de presidente do Conselho que veio para recuperar a imagem do banco, mas foi pego violando as regras da quarentena contra a covid-19

COPO MEIO CHEIO

Units e ações do Inter (BIDI11) disparam com recomendação de compra pelo UBS BB

7 de janeiro de 2022 - 14:28

Além de ter elevado a recomendação de ‘neutro’ para ‘compra’, banco de investimentos projeta valorização de quase 100% para BIDI11

PANE NAS MAQUININHAS

Desafio pela frente? UBS BB rebaixa recomendação de Stone e PagSeguro para neutra e vê pouco potencial de alta nas ações

4 de janeiro de 2022 - 16:32

Competitividade acirrada no setor de meio de pagamentos e taxas crescentes, somadas às despesas administrativas mais altas, pesam sobre as empresas

A ação de 2022?

Onda roxa: Nubank (NU) tem potencial de alta de 70%, dizem bancos estrangeiros

3 de janeiro de 2022 - 12:21

As perspectivas de crescimento na base de clientes e na rentabilidade servem como argumento para o otimismo das instituições — muitas das quais atuaram como coordenadoras do IPO do banco brasileiro

Ao acionista com carinho

Ação da Petrobras (PETR4) pode render 100% só em dividendos nos próximos cinco anos

29 de novembro de 2021 - 11:04

Relação ‘risco-recompensa’ é como comparar um formigueiro ao Everest, avalia o UBS

REFORÇANDO O CAIXA

Depois de anunciar emissão de debêntures, 3R Petroleum lança oferta de ações. Entenda o que a empresa pretende fazer com quase R$ 4 bilhões a mais em seu caixa

25 de outubro de 2021 - 6:32

Empresa de óleo e gás fará ofertas primária e secundária; a previsão é de que o processo de prospecção de investidores interessados se encerre em 4 de novembro

A RECOMENDAÇÃO AGORA É NEUTRA

Não é duplo, mas é dose: Depois do UBS, agora é a vez do BofA rebaixar a recomendação para a Vale (VALE3)

22 de setembro de 2021 - 11:45

Reavaliação do BofA leva em consideração a desaceleração econômica na China e a queda na cotação do minério de ferro nos mercados internacionais

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa Vale de compra para venda com queda do minério, apesar de dividendos

17 de setembro de 2021 - 10:07

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100

Ações descontadas

Presente sólido, futuro promissor: UBS recomenda compra para Raízen (RAIZ4) e vê 50% de alta nas ações

10 de setembro de 2021 - 12:53

Para o UBS, a Raízen (RAIZ4) tem uma avenida de crescimento em energias renováveis, ao mesmo tempo em que já é forte em combustíveis e açúcar

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar