Menu
2020-04-02T15:01:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Crescimento de ganhos

Lucro de companhias abertas sem Vale, Petrobras e Oi cresce 7% em 2019, diz estudo

Lucro cresceu 7,16% em 2019, passando de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no ano passado, segundo levantamento da Economática

2 de abril de 2020
15:01
Ações negociadas na bolsa de valores
Imagem: Shutterstock

O lucro das empresas de capital aberto cresceu 7,16% em 2019. A cifra passou de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no período, segundo levantamento da Economática, que não considera Petrobras, Vale e Oi.

A análise é feita com base nos demonstrativos financeiros entregues à CVM por 260 empresas não financeiras e retira as três do universo para não distorcer os números totais, já que os dados foram bem diferentes entre elas no ano passado. Os cálculos consideraram valores nominais sem ajuste de inflação.

Incluindo os bancos, o lucro chegou a 13,64%: de R$ 169,2 bilhões para R$ 192,3 bilhões. Nesse caso, foram analisados os dados de 283 empresas. Os bancos, inclusive, foram o setor mais lucrativo em 2019. Juntas, as 23 instituições lucraram R$ 91,3 bilhões, valor 21,77% superior ao de 2018 quando as mesmas instituições lucraram R$ 75,0 bilhões.

Dos 25 setores analisados, 13 tiveram crescimento de lucratividade no ano de 2019. O setor de bancos foi o que apresentou o maior crescimento nominal de lucratividade, seguido pelo setor de Alimentos e Bebidas. Doze setores tiveram redução de lucratividade no ano de 2019 com relação a 2018 e o setor com maior queda foi o de siderurgia e metalurgia com redução de R$ 4,5 bilhões. O setor de telecomunicações teve a segunda maior queda nominal com recuo de R$ 2,86 bilhões. Em 2019 somente quatro setores registraram prejuízo consolidado. O setor com maior prejuízo foi o de papel e celulose com perda de R$ 2,25 bilhões.

Entre as dez empresas mais lucrativas, quatro foram do setor de bancos e duas do setor de alimentos e bebidas. Os quatro bancos da lista (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander) acumularam R$ 81,5 bilhões de lucro no ano de 2019, valor 17,98% superior ao do ano de 2018 quando o lucro foi de R$ 69,0 bilhões. Em alimentos e bebidas, o lucro da Ambev chegou a R$ 11,0780 bilhões em 2019 ante R$ 1,025 bilhão em 2018. Já JBS teve lucro de R$ 6,068 bilhões, contra R$ 25 milhões no ano anterior.

Entre as empresas com maiores prejuízos no ano de 2019 apareceram Embraer e OSX, categorizadas como do setor de veículos e peças.

Se adicionadas à amostra a Petrobras, Vale e Oi, o lucro de 286 empresas em 2019 foi de R$ 216,8 bilhões, valor 11,61% inferior ao de 2018. A Petrobras foi a empresa mais lucrativa no ano de 2019 com R$ 40,1 bilhões, valor 55,7% superior ao do ano de 2018. Já a Oi foi a empresa com maior prejuízo em 2019 com R$ 9,00 bilhões, seguida pela Vale, com R$ 6,67 bilhões.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Confiança em alta

Casa Branca não vê fator gerador de inflação que Fed não possa controlar

A presidente do Conselho de Consultores Econômicos do governo ressaltou que é importante focar nas tendências para os índices ao invés de oscilações semanais ou mensais

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

ESTRADA DO FUTURO

O que rola nos bastidores de uma startup de sucesso: uma conversa com Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi.

Receita Federal dos EUA

Binance é investigada por manter contas suspeitas de lavagem de dinheiro nos EUA

Desde 2019, a Binance não oferece mais serviços de trading de criptomoedas para quem mora nos Estados Unidos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies