Menu
2020-04-02T15:01:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Crescimento de ganhos

Lucro de companhias abertas sem Vale, Petrobras e Oi cresce 7% em 2019, diz estudo

Lucro cresceu 7,16% em 2019, passando de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no ano passado, segundo levantamento da Economática

2 de abril de 2020
15:01
Ações negociadas na bolsa de valores
Painel de ações negociadas na bolsa de valores - Imagem: Shutterstock

O lucro das empresas de capital aberto cresceu 7,16% em 2019. A cifra passou de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no período, segundo levantamento da Economática, que não considera Petrobras, Vale e Oi.

A análise é feita com base nos demonstrativos financeiros entregues à CVM por 260 empresas não financeiras e retira as três do universo para não distorcer os números totais, já que os dados foram bem diferentes entre elas no ano passado. Os cálculos consideraram valores nominais sem ajuste de inflação.

Incluindo os bancos, o lucro chegou a 13,64%: de R$ 169,2 bilhões para R$ 192,3 bilhões. Nesse caso, foram analisados os dados de 283 empresas. Os bancos, inclusive, foram o setor mais lucrativo em 2019. Juntas, as 23 instituições lucraram R$ 91,3 bilhões, valor 21,77% superior ao de 2018 quando as mesmas instituições lucraram R$ 75,0 bilhões.

Dos 25 setores analisados, 13 tiveram crescimento de lucratividade no ano de 2019. O setor de bancos foi o que apresentou o maior crescimento nominal de lucratividade, seguido pelo setor de Alimentos e Bebidas. Doze setores tiveram redução de lucratividade no ano de 2019 com relação a 2018 e o setor com maior queda foi o de siderurgia e metalurgia com redução de R$ 4,5 bilhões. O setor de telecomunicações teve a segunda maior queda nominal com recuo de R$ 2,86 bilhões. Em 2019 somente quatro setores registraram prejuízo consolidado. O setor com maior prejuízo foi o de papel e celulose com perda de R$ 2,25 bilhões.

Entre as dez empresas mais lucrativas, quatro foram do setor de bancos e duas do setor de alimentos e bebidas. Os quatro bancos da lista (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander) acumularam R$ 81,5 bilhões de lucro no ano de 2019, valor 17,98% superior ao do ano de 2018 quando o lucro foi de R$ 69,0 bilhões. Em alimentos e bebidas, o lucro da Ambev chegou a R$ 11,0780 bilhões em 2019 ante R$ 1,025 bilhão em 2018. Já JBS teve lucro de R$ 6,068 bilhões, contra R$ 25 milhões no ano anterior.

Entre as empresas com maiores prejuízos no ano de 2019 apareceram Embraer e OSX, categorizadas como do setor de veículos e peças.

Se adicionadas à amostra a Petrobras, Vale e Oi, o lucro de 286 empresas em 2019 foi de R$ 216,8 bilhões, valor 11,61% inferior ao de 2018. A Petrobras foi a empresa mais lucrativa no ano de 2019 com R$ 40,1 bilhões, valor 55,7% superior ao do ano de 2018. Já a Oi foi a empresa com maior prejuízo em 2019 com R$ 9,00 bilhões, seguida pela Vale, com R$ 6,67 bilhões.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Agenda BC#

BC estende regras para débito automático a contas de pagamento pré-pagas

A diretoria do Banco Central decidiu estender para as contas de pagamento pré-pagas (aquelas cujos recursos devem ser depositados previamente) as regras sobre autorização e cancelamento de débitos em conta que já estavam previstas para contas de depósitos e para contas-salário

Aprovação concedida

Tim e Vivo recebem aprovação da Anatel e do Cade para compartilhamento de rede

Serão compartilhadas infraestrutura de redes móveis para as tecnologias 2G, 3G e 4G

Empresa diz que não comenta

MPT-RS pede interdição de planta da JBS no Estado por surto de coronavírus

A JBS respondeu, sobre a ação civil pública movida nesta quarta, que não comenta processos judiciais em andamento

seu dinheiro na sua noite

Despiorou

Acabou a crise? Nesta quarta-feira, os mercados mantiveram o otimismo dos últimos dias. As bolsas subiram aqui e lá fora, ao mesmo tempo em que o dólar assistiu a mais um dia de alívio, chegando perto dos R$ 5 novamente. Está até difícil entender de onde sai tanto apetite por risco, dado que a pandemia […]

ANÁLISE

Quarentena de pijama? Não, no mundo cripto tem muita coisa rolando

Nas próximas linhas, Helena Margarido vai mostrar a você um mercado que caminha na contramão de todo establishment e permanece com alta demanda em meio à crise atual: a revolução está somente começando.

Ninguém segura

A corrida dos touros: Ibovespa sobe pelo quarto dia e volta aos 93 mil pontos; dólar cai a R$ 5,09

O Ibovespa teve mais um dia de ganhos e chegou ao maior nível desde 6 de março, sustentado pelo otimismo global. O dólar à vista caiu forte, chegando a R$ 5,01 na mínima da sessão

tombo histórico

Abinee reporta queda de 30,3% na produção do setor eletroeletrônico em abril

Essa foi a maior queda verificada na série histórica iniciada no início de 2002, segundo o presidente da entidade, Humberto Barbato

Empresários de comércio e serviços

76% de 400 micro e pequenos empresários esperam queda de faturamento

A pesquisa ouviu empresários dos setores de comércio e serviços. Parcela de 26% dos entrevistados espera recuo de 31% a 50%, enquanto 22% têm expectativa de queda até 30%

Compartilhamento de serviços

Cade nega recurso da Claro e mantém aprovação de operação entre Tim e Telefônica

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou recurso apresentado pela Claro contra o aval do órgão a operação de compartilhamento de redes entre a TIM e a Telefônica Brasil

Ajuda financeira

Maia diz ter informação que socorro a Estados e municípios será pago até dia 9

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia afirmou que a primeira parcela do socorro a Estados e municípios deve ser entregue aos entes até a próxima terça-feira, 9

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements