Menu
2019-10-02T14:40:35+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
um ano do seu dinheiro

Fausto Botelho explica por que espera queda na bolsa e alta no bitcoin

Em transmissão ao vivo no Seu Dinheiro, o especialista também explicou alguns conceitos de análise técnica; se você perdeu, dá uma olhada no resumo e na gravação

26 de setembro de 2019
6:27 - atualizado às 14:40

O colunista do Seu Dinheiro Fausto Botelho é um dos mais importantes especialistas em análise técnica do país. Se você andou acompanhando os vídeos mais recentes que ele publica por aqui, já sabe da visão que ele tem sobre a bolsa americana e as criptomoedas, sobretudo o bitcoin.

Segundo o Fausto, de uns tempos para cá, os gráficos têm mostrado que o S&P500, o principal índice da bolsa de Nova York, está entrando em um movimento de reversão, podendo, de cara, se desvalorizar entre 30% e 40%.

Isso muito provavelmente teria reflexos na bolsa brasileira. Apesar de as condições no Brasil apontarem para uma continuidade na alta nos preços das ações, o Ibovespa, principal índice da nossa bolsa, não deve passar ileso pelos problemas que vêm lá de fora.

Sendo assim, o Fausto acredita que o momento não é para tentar ganhar dinheiro com ações, pois este mercado está mais arriscado do que costuma ser. Mas nas suas análises, ele também avalia outros tipos de ativos, como ouro, dólar e commodities - afinal, a análise técnica não precisa ser aplicada somente no mercado de ações.

Mas o mercado que tem feito os olhos do analista brilharem mesmo é o de criptomoedas. Suas perspectivas para o bitcoin e outros criptoativos são muito positivas, não só pelo que mostram os gráficos, mas também com base na disrupção que a tecnologia traz.

Curso do Fausto Botelho no Seu Dinheiro

Nesta quinta-feira (26), o Fausto participou de uma transmissão ao vivo aqui no Seu Dinheiro para falar um pouco sobre essa sua visão, explicar alguns conceitos de análise técnica e também falar do curso on-line que ele está oferecendo em parceria com a gente.

O X-Trader será o primeiro curso on-line da carreira de mais de 40 anos do Fausto Botelho. Ele sempre deu aula presencial, mas desta vez nós o convencemos a vir para a internet e ensinar os princípios da análise técnica para os nossos leitores onde eles estiverem.

A análise técnica é um dos métodos mais comuns de avaliação daqueles ativos que compõem a parcela de risco da carteira de investimentos, como ações, moedas, derivativos e criptomoedas (você pode saber mais sobre análise técnica aqui).

No curso do Fausto, você vai aprender análise gráfica desde o início e também conhecer os indicadores mais importantes, para que, no final, você também se torne um analista técnico. O Fausto vai ensinar, ainda, o método que ele mesmo desenvolveu a partir dos gráficos para ganhar dinheiro nos mercados.

O que rolou na live

Se você perdeu a transmissão ao vivo do Fausto nesta quinta, você pode conferi-la novamente a seguir. Só não repare na minha cara de sono! Mais adiante, eu faço um resumo do que rolou, e das explicações do Fausto para a sua visão a respeito de S&P500 e bitcoin.

Por que o S&P500 reverteu a trajetória de alta

A análise técnica se baseia na média das opiniões dos agentes de mercado, que acaba se concretizando nos preços dos ativos.

Segundo Fausto Botelho, a tendência de alta do S&P500 que começou logo depois da crise das hipotecas subprime (2008) está sendo revertida.

Desde 2009, quando o mercado atingiu o fundo do poço devido à última crise, o S&P fez três movimentos de alta que totalizaram 360% de valorização (240% se descontar a inflação). De acordo com a Teoria de Dow e a Teoria de Elliot - duas teorias que se aplicam à análise gráfica -, esses três movimentos de alta ocorrem antes de uma reversão.

Tivemos também um processo que costuma acontecer nos topos de mercado, o chamado topo duplo, que indica a perda de força dos comprados (investidores bullish, que acreditam na alta) ou dos vendidos (investidores bearish, que acreditam na queda). O analista técnico deve sempre ficar de olho nessa “guerra” diária entre comprados e vendidos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O topo duplo mostra que os comprados estão tentando romper o topo do mercado e não conseguem. É uma informação de que o movimento de compra (de alta) está fraco. O S&P500 chegou a bater no topo e voltar cinco vezes recentemente. Numa delas, chegou inclusive a romper o topo e voltar, o chamado “bull trap”, indicação mais importante de análise técnica, segundo Fausto Botelho.

Quando o mercado rompe o topo e não segue para um rali, isso indica que há algo errado: que o mercado está supercomprado, em níveis altos demais. A tendência de alta do S&P já foi revertida. A questão é que o exército dos comprados tem generais com bala na agulha - caso dos presidentes de bancos centrais, que continuam estimulando a alta.

A chance de a queda do S&P, daqui para frente, ser suave é nula. Assim que o mercado começar a cair, será forte como foi na crise dos subprime. A previsão sobre quanto vai cair é extraída da série Fibonacci, outro conceito aplicado em análise técnica.

A Teoria de Elliot, que trabalha com esse conceito, tem por base a ideia de que o mercado sobe em cinco movimentos: três movimentos de alta intercalados por dois de baixa. Já o mercado de baixa é composto de três movimentos: dois de queda, intercalado por um de alta. E o mercado é fractal - esses padrões se repetem entre uma onda e outra.

A queda do S&P será proporcional à alta desde 2009. Traçando as três ondas de alta deste movimento, o nível mais próximo do topo é o mínimo para o qual o S&P corrigiria no seu movimento de queda, e corresponde a uma retração entre 30% e 40% (dependendo do patamar em que o S&P500 começar o movimento de queda).

Isso representaria uma perda de cerca de um terço da riqueza do mundo, conforme o Fausto já falou neste vídeo.

E o Brasil?

O Brasil tem muito potencial econômico agora, mas o mundo está muito globalizado. Caíram as barreiras das línguas, do dinheiro, dos investimentos. Não há maneira de passar incólume por uma queda das bolsas americanas, pelo menos não enquanto elas forem as bolsas mais importantes do mundo.

Por isso, o Fausto acredita que o momento não é de estar comprado em ações. Parece estar arriscado demais.

Perspectivas de Fausto Botelho para o bitcoin

A queda recente do bitcoin pode se dever ao anúncio do Google sobre o lançamento do seu computador quântico, que poderia ser capaz de quebrar a criptografia da criptomoeda

Outra coisa que pode ter afetado o bitcoin foi o lançamento da Bakkt, a bolsa de criptomoedas, que teve menos operações que o esperado, e isso pode ter decepcionado um pouco o mercado.

Mas esses fatos não mudam a análise do Fausto, que é de uma forte alta dos bitcoins. Ele acredita que a criptomoeda pode substituir o padrão dólar existente hoje.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

De olho na economia

Armínio Fraga vê ‘obscurantismo’ e ambiente ‘envenenado’ como entraves à economia

Fraga destacou que o Brasil nunca investiu tão pouco na sua história e que para destravar o investimento será preciso dar mais clareza em áreas que vão além da econômica, como “temas de natureza distributiva”

Novidades à vista?

Petrobras negocia potencial consórcio para leilão de pré-sal, diz presidente

Muitas das maiores petroleiras do mundo, entre elas ExxonMobil, Royal Dutch Shell e BP, além da própria Petrobras, estão registradas para participar da disputa, marcada para 6 de novembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

As duas faces do dólar

No filme “As duas faces de um crime”, o eterno canastrão Richard Gere faz o advogado oportunista que defende um jovem acusado de assassinato. A coisa complica quando ele descobre que o garoto interpretado por Edward Norton sofre de múltiplas personalidades. Eu me lembro do filme toda vez que tento encontrar alguma explicação para o […]

Na gringa

Campos Neto: O que foi prometido está sendo entregue

Em encontros no exterior, presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, passa a mensagem de que existe um plano de reinvenção do país com dinheiro privado

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: O cabo de guerra no PSL

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Situação delicada

Papéis da Boeing caem 7% em NY com notícia de que companhia pode ter “enganado” FAA

De acordo com o periódico, o piloto Mark Forkner teria reclamado que o sistema conhecido como MCAS, na sigla em inglês, o teria deixado em apuros dois anos antes dos acidentes que tiraram a vida de várias pessoas

Boas novas

Ações da Eletrobras sobem após MME dizer que pode encaminhar PL sobre privatização da empresa até início de novembro

De , a proposta do governo federal para a privatização da Eletrobras ainda é a capitalização, com a diluição da participação da União na holding elétrica

nos eua

Reservas são vistas como seguro e não se fala em mudar isso, diz presidente do BC

Campos Neto mencionou que o que se lê sobre os altos custos para se manter as reservas internacionais no Brasil “não é a realidade” e que nos últimos 15 anos, os custos se igualaram às receitas

no velho continente

Há ‘sinais leves’ de supervalorização dos mercados, diz presidente do Banco Central Europeu

Draghi destaca ainda que o setor financeiro não bancário da zona do euro continua tomando risco, mas pontua que a resiliência do setor bancário permanece “sólida”

entrevista

‘Huck vai deixar de ser celebridade e ser líder?’, questiona FHC

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) assiste com ceticismo as articulações do apresentador global

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements