🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai com cautela em NY, mas commodities ‘ajudam’ a defender os 120 mil pontos; dólar cai a R$ 4,90

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
13 de novembro de 2023
7:11 - atualizado às 20:02

RESUMO DO DIA: O Ibovespa começou a semana em tom negativo, na esteira da cautela dos investidores internacionais sobre a economia dos Estados Unidos.

Por aqui, a agenda da semana promete ser mais esvaziada com o feriado nacional do Dia da Proclamação da República na quarta-feira (15), deixando as movimentações sobre a Reforma Tributária e Orçamento de 2024 em segundo plano. 

Com poucas novidades na capital federal, a temporada de balanços seguiu movimentando o mercado acionário. Além disso, o avanço das commodities também ajudou o Ibovespa a atingir os 120 mil pontos.

Já em Wall Street houve reação ao rebaixamento da perspectiva da nota de crédito (rating) dos Estados Unidos pela Moody’s. A revisão foi anunciada na última sexta-feira (10) depois do fechamento dos mercados.

Na Europa, as bolsas encerraram o dia em alta, com os investidores de olho na reunião entre os presidentes de China e EUA, Joe Biden e Xi Jinping, nesta semana. 

O Ibovespa fechou o pregão com queda de 0,13%, aos 120.410 pontos.

O dólar terminou a sessão a R$ 4,9078, com recuo de 0,14%, no mercado à vista.

Confira o que movimentou os mercados nesta segunda-feira (13):

BALANÇOS ESPERADOS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Uma série de empresas divulgam os resultados do terceiro trimestre a seguir, depois do fechamento do mercado.

Entre as companhias, os balanços mais esperados são de BRF (BRFS3), CSN (CSNA3), JBS (JBSS3), Natura (NTCO3), Magazine Luiza (MGLU3) e Raízen (RAIZ4).

Confira quais são as empresas que divulgam os resultados nesta segunda-feira (13):

NOMECÓDIGOTELECONFERÊNCIA
AgrogalaxyAGXY314/11, 11h
Alliar (Alliança)AALR314/11
AllosALOS314/11, 14h
Ânima EducaçãoANIM314/11
Banco PinePINE414/11
BanrisulBRSR614/11, 11h
BiommBIOM314/11
BradesparBRAP4Data a definir
BRFBRFS314/11
BrisanetBRIT314/11, 9h
ClearSaleCLSA314/11
CosanCSAN314/11
CSNCSNA314/11
CSN MineraçãoCMIN314/11
DesktopDESK314/11
DotzDOTZ414/11
EnevaENEV314/11
EnjoeiENJU314/11
EspaçolaserESPA314/11
EucatexEUCA414/11
Grupo SBF (Centauro)SBFG314/11
Hidrovias do BrasilHBSA314/11
ItaúsaITSA4Data a definir
JBSJBSS314/11, 9 às 10h
Localiza Rent a CarRENT314/11, 12h
Magazine LuizaMGLU314/11
Marfrig Global FoodsMRFG314/11
Mater DeiMATD313/11
MelnickMELK314/11
Mills EstruturasMILS314/11, 11h
MultilaserMLAS314/11
Natura &CoNTCO314/11
NeogridNGRD314/11
OncoclínicasONCO314/11
Positivo TecnologiaPOSI314/11
RaízenRAIZ414/11
Sequoia LogísticaSEQL314/11
Track&FieldTFCO414/11, 9h
TupyTUPY314/11
UnicasaUCAS314/11, 14h
ViveoVVEO314/11, 15h
ViverVIVR314/11
YDUQSYDUQ314/11
MAIORES ALTAS E QUEDAS DO PREGÃO

Apesar do tom negativo de NY e a agenda local mais esvaziada, o Ibovespa sustentou os 120 mil pontos com o avanço de mais de 1% do minério de ferro e do petróleo Brent.

Entre os destaques da ponta positiva do pregão, Lojas Renner (LREN3) figurou entre as maiores altas.

Os investidores da varejista de moda tentaram recuperar as perdas da última sessão, quando o mercado repercutiu o balanço do terceiro trimestre e a ação caiu mais de 4%.

As Lojas Renner (LREN3) teve lucro líquido de R$ 172,9 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 32,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar do resultado mais fraco já esperado, os analistas do Itaú BBA destacaram a baixa rentabilidade do segmento financeiro da Renner, a Realize, que registrou um Ebitda negativo.

Petrobras (PETR4) também recuperou as perdas e ganhou fôlego com o avanço do petróleo.

Confira as maiores altas do pregão:

CÓDIGONOMEULTVAR
PETZ3Petz ONR$ 3,943,41%
LREN3Lojas Renner ONR$ 13,393,32%
TOTS3Totvs ONR$ 32,602,52%
ELET3Eletrobras ONR$ 38,282,49%
PETR4Petrobras PNR$ 35,572,45%

Na ponta negativa Magazine Luiza (MGLU3) liderou as perdas com expectativas sobre o balanço, que deve ser divulgado ainda.

B3 (B3SE3) recuou após o BTG Pactual rebaixar a recomendação das ações de compra para neutra. O preço-alvo de R$ 14 foi mantido pelo banco.

Confira as maiores quedas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 1,73-3,89%
B3SA3B3 ONR$ 12,49-3,63%
CVCB3CVC ONR$ 2,95-2,96%
FLRY3Fleury ONR$ 16,45-2,72%
BBDC4Bradesco PNR$ 14,71-2,19%
FECHAMENTO DO IBOVESPA

O Ibovespa fechou o pregão em queda de 0,13%, aos 120.410 pontos.

As perdas foram limitadas pelo avanço das commodities. O minério de ferro encerrou as negociações em Dalian, na China, em alta de 1,68%, com a tonelada cotada a US$ 132,57. Já os contratos mais líquidos do petróleo Brent terminaram o pregão com avanço de 1,33%, com o barril cotado a US$ 82,52 na Intercontinental Exchange (ICE).

Por aqui, a agenda segue mais esvaziada com o feriado nacional na quarta-feira (15). Sendo assim, as pautas econômicas em Brasília, como a Reforma Tributária na Câmara dos Deputados e o Orçamento de 2024 devem ficar em 'stand-by' e receber apenas emendas.

Mais cedo, o Banco Central confirmou a divulgação do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, na próxima sexta-feira (16).

FECHAMENTO DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York encerram a segunda-feira (13) em tom majoritariamente negativo.

  • S&P 500: -0,08%, a 4.411,55 pontos;
  • Dow Jones: +0,16%, a 34.337,87 pontos;
  • Nasdaq: -0,22%, a 13.767,74 pontos.

Os investidores repercutiram a revisão de perspectiva de nota de crédito pela Moody's. A agência de classificação de risco rebaixou a perspectiva do rating dos Estados Unidos de estável para negativa.

Segundo a Moody's, essa mudança decorre de riscos fiscais que podem não ser compensados pelo perfil de crédito americano.

Além disso, o risco de paralisação das atividades do governo norte-americano (shutdown) volta à mesa. O Legislativo precisa aprovar um projeto de lei de financiamento das contas públicas até 17 de novembro.

JUROS FUTUROS EM ALTA

Os juros futuros (DIs) se afastaram das máximas, mas seguem estendendo os ganhos em toda a curva na esteira dos rendimentos dos Treasurys.

Acompanhe o desempenho dos DIs na reta final do pregão:

CÓDIGONOME ULT MIN MAX ABE FEC
DI1F24DI Jan/2411,99%11,99%11,99%11,99%11,99%
DI1F25DI Jan/2510,74%10,71%10,79%10,71%10,74%
DI1F26DI Jan/2610,51%10,48%10,61%10,49%10,51%
DI1F27DI Jan/2710,65%10,59%10,75%10,62%10,62%
DI1F28DI Jan/2810,86%10,81%10,95%10,88%10,84%
DI1F29DI Jan/2911,00%10,95%11,09%10,97%10,99%
DI1F30DI Jan/3011,11%11,08%11,19%11,11%11,09%
FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar fechou a R$ 4,9078, com queda de 0,14%, no mercado à vista.

A moeda-norte americana foi pressionada pelo rebaixamento da perspectiva de crédito, de estável para negativa, dos Estados Unidos pela agência de classificação de risco Moody's. A revisão foi realizada na última sexta-feira (10), depois do fechamento dos mercados, e repercutiu hoje nos mercados.

FECHAMENTO DO PETRÓLEO

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent terminaram o pregão com alta de 1,33%, com o barril cotado a US$ 82,52 na Intercontinental Exchange (ICE).

Já os futuros do WTI para dezembro encerraram com avanço de 1,41%, a US$ 78,26 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex).

A commodity repercutiu a revisão de projeções sobre oferta e demanda da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep). O cartel elevou a previsão de alta de demanda global em 2023 em 100 mil barris por dia (bpd), o que totaliza 2,5 milhões de bpd. A previsão para 2024 ficou inalterada.

ENERGÉTICAS DISPARAM NA B3

As ações das companhias de energia elétrica disparam na B3.

Os papéis da Rede Energia (REDE3) constituem a maior alta do pregão, com avanço de 45,83%, a R$ 8,75. Light (LIGT3) sobe 14,03%, a R$ 6,91; Copel (CPLE6) registra alta de 10,27%, a R$ 24,38.

MAGAZINE LUIZA (MGLU3) INVERTE SINAL

As ações da Magazine Luiza (MGLU3), que começaram o dia entre as maiores altas do Ibovespa, inverteram o sinal para queda e operam com queda de 5,56%, a R$ 1,71.

Os investidores passaram a operar mais cautelosos com a companhia em meio à espera do balanço do terceiro trimestre. A varejista divulga os resultados nesta segunda-feira (13) depois do fechamento dos mercados.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

O Ibovespa segue aos 120 mil pontos, com queda de 0,11% em meio à instabilidade das bolsas de Nova York.

Por aqui, a agenda segue mais esvaziada com o feriado nacional na quarta-feira (15). Há pouco, o Banco Central confirmou a divulgação do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, na próxima sexta-feira (16).

No Ibovespa, Totvs (TOTS3) lidera os ganhos do dia, com alta de 3%. Lojas Renner (LREN3) tenta recuperar as perdas da sessão anterior, quando os investidores repercutiram o balanço da companhia. Petrobras (PETR4) avança na esteira do petróleo.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
TOTS3Totvs ONR$ 32,853,30%
LREN3Lojas Renner ONR$ 13,383,24%
PETR4Petrobras PNR$ 35,562,42%
PETR3Petrobras ONR$ 38,161,98%
VIVT3Telefônica Brasil ONR$ 50,881,56%

Na ponta negativa, Magazine Luiza (MGLU3) recua com os investidores mais cautelosos com o resultado da companhia, que deve ser divulgado hoje depois do fechamento dos mercados.

CÓDIGONOMEULTVAR
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 1,69-6,11%
BHIA3Casas Bahia ONR$ 0,50-3,85%
B3SA3B3 ONR$ 12,47-3,78%
CVCB3CVC ONR$ 2,94-3,29%
BBDC4Bradesco PNR$ 14,67-2,46%

AGÊNCIA CONFIRMA INTERDIÇÃO DE MINA DE VALE (VALE3)

Há pouco, a Agência Nacional de Mineração (ANM) confirmou a interdição e suspensão imediata de atividades em pilhas da Mina de Fábrica Nova, em Mariana (MG), que pertence à empresa Vale (VALE3).

A medida foi realizada na última sexta-feira (10). Segundo nota divulgada à imprensa, a decisão da ANM deve-se a não comprovação de estabilidade das estruturas.

Ainda segundo a agência reguladora, a equipe do órgão segue realizando vistoria no local em parceria com a Defesa Civil. "Assim que for apresentado laudo atestando a estabilidade das estruturas, a ANM decidirá sobre a manutenção ou não da intervenção", diz a nota.

Não há data prevista para a retomada das atividades da Mina.

CAIXA COMEÇA A RECEBER APOSTAS PARA A MEGA DA VIRADA

A Caixa Econômica Federal começou a registrar nesta segunda-feira (13) as apostas para a Mega da Virada de 2023.

O sorteio marcado para a noite de 31 de dezembro promete um prêmio recorde na história das loterias do Brasil: R$ 550 milhões.

E a premiação não é cumulativa. Se ninguém acertar as seis dezenas, o valor será dividido entre quem acertar cinco números.

Na improbabilidade de ninguém fazer pelo menos uma quina, o rateio alcançará quem fizer a quadra.

Leia mais.

VALE (VALE3) CAI

Apesar da alta de mais de 1% do minério de ferro, as ações da Vale (VALE3) recuam 0,52%, a R$ 71,18.

Os papéis inverteram para queda após a notícia de que a Agência Nacional de Mineração (ANM) aconselhou a evacuação do povoado de Santa Rita Durão, em Mariana (MG) e a interdição da Mina de Fábrica Nova, também na mesma cidade.

As informações são do portal Uol. O Seu Dinheiro entrou em contato com a mineradora, mas ainda não obteve resposta.

M.DIAS BRANCO (MDIA): AÇÃO CAI FORTE APÓS BALANÇO DO 3T23

Tradicional fabricante de massas e biscoitos, a M.Dias Branco (MDIA3) fez um anúncio para deixar os acionistas com água na boca. Junto com os resultados do terceiro trimestre, a empresa informou que vai aumentar o percentual dos dividendos em relação ao lucro (payout).

O problema é que os números da companhia — dona de marcas como Adria e Piraquê — no trimestre acabaram deixando o mercado com indigestão.

Assim, as ações da M.Dias Branco (MDIA3) reagiam em forte queda de 8,64%, a R$ 32,02, por volta das 15h nesta segunda-feira na B3.

O balanço não desceu bem mesmo com alguns números positivos. O lucro líquido da companhia, por exemplo aumentou 32,8% em relação ao terceiro trimestre do ano passado e somou R$ 259 milhões.

Leia mais.

A PROJEÇÃO DA OPEP PARA A OFERTA DE COMBUSTÍVEIS DO BRASIL

Há menos de um mês a Petrobras (PETR4) anunciou uma redução nos preços da gasolina, ignorando a guerra entre Israel e Hamas, que colocou o petróleo na rota dos US$ 100 o barril de novo — e, segundo a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), pode haver espaço para mais

Isso porque a produção de combustíveis no Brasil deve encerrar 2023 acima do ano anterior. O cartel divulgou projeções nesta segunda-feira (13) e elevou em 25 mil barris por dia (bpd) a expectativa para a oferta de combustíveis líquidos por aqui neste ano, para uma média de 4,1 milhões de bpd. 

Se essa marca for alcançada, representará um avanço de 400 mil bpd ante o ano anterior, de acordo com os números da Opep. 

A revisão apresentada hoje, segundo a organização, foi motivada pela forte produção do Brasil em setembro.

Leia mais.

DÓLAR INSTÁVEL

O dólar voltou a flertar com a alta há pouco. Ante o real, a moeda norte-americana tem leve alta de 0,01%, a R$ 4,9154.

Contudo, na comparação com divisas globais, como euro e libra, o dólar perde força. O indicador DXY cai 0,23%, aos 105.620 pontos.

PETROBRAS (PETR4) SOBE

Em recuperação das perdas da sessão anterior e com o apoio do petróleo, as ações da Petrobras (PETR3;PETR4) operam em alta de 2% hoje.

PETR4Petrobras PNR$ 35,472,16%
PETR3Petrobras ONR$ 38,001,52%

Os contratos mais líquidos do Brent operam em alta de 1,58%, a US$ 82,72 o barril. Mais cedo, a Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) elevou a previsão de alta de demanda global em 2023 em 100 mil barris por dia (bpd), o que totaliza 2,5 milhões de bpd.

MARISA (AMAR3) SOBE QUASE 8%

As ações da Marisa (AMAR3), em recuperação judicial, opera com alta de 7,69%, a R$ 3,36, na B3.

Os investidores operam à espera dos resultados do terceiro trimestre da companhia. Inicialmente, o balanço seria divulgado nesta segunda-feira (13) depois do fechamento dos mercados. Contudo, em comunicado ao mercado, a empresa adiou a divulgação do balanço para o próximo dia 16.

LOJAS RENNER (LERN3) EM RECUPERAÇÃO

Os investidores de Lojas Renner (LREN3) tentam recuperar as perdas da última sessão, quando o mercado repercutiu o balanço do terceiro trimestre e a ação caiu mais de 4%.

As Lojas Renner (LREN3) teve lucro líquido de R$ 172,9 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 32,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar do resultado mais fraco já esperado, os analistas do Itaú BBA destacaram a baixa rentabilidade do segmento financeiro da Renner, a Realize, que registrou um Ebitda negativo.

Hoje, os papéis LREN3 sobem 3,32%, a R$ 13,38, em ajuste.

WALL STREET RECUPERA

Os índices de Wall Street retomaram o fôlego há pouco e inverteram, com exceção de Nasdaq, para a queda.

  • S&P 500: +0,09%;
  • Dow Jones: +0,34%;
  • Nasdaq: -0,07%.
FECHAMENTO NA EUROPA

Os índices europeus fecharam em alta, à espera de novos dados de inflação e o encontro entre os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da China, Xi Jinping.

Confira o fechamento dos principais índices:

  • FTSE 100 (Londres): +0,88%, a 7.425,29 pontos;
  • CAC 40 (Paris): +0,60%, a 7.087,06 pontos;
  • DAX (Frankfurt): +0,73%, a 15.346,15 pontos;
  • Euro Stoxx 600: +0,75%, a 446,62 pontos.

Na quarta-feira (15), o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido deve ser divulgado. A expectativa é de que a inflação desacelere de 6,7% em setembro para 4,7% em outubro.

DÓLAR INVERTE SINAL

O dólar inverteu sinal há pouco e opera em leve queda, com a recuperação dos índices de Nova York.

A moeda norte-americana cai 0,08%, a R$ 4,9108.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

O Ibovespa tenta sustentar os 120 mil pontos com commodities apesar da cautela de NY.

Com a semana mais esvaziada em razão do feriado do Dia da Proclamação da República na quarta-feira (15), o foco dos investidores é a temporada de balanços.

Magazine Luiza (MGLU3), por exemplo, opera em alta em meio a expectativas sobre o balanço, que deve ser divulgado ainda hoje depois do fechamento dos mercados. Petrobras (PETR4) recupera as perdas com apoio do petróleo.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 1,873,89%
TOTS3Totvs ONR$ 32,712,86%
LREN3Lojas Renner ONR$ 13,322,78%
PETR4Petrobras PNR$ 35,622,59%
BEEF3Minerva ONR$ 6,982,05%

Na ponta negativa, B3 lidera as perdas com rebaixamento de recomendação do BTG Pactual.

E as maiores quedas do pregão:

CÓDIGONOMEULTVAR
B3SA3B3 ONR$ 12,44-4,01%
IRBR3IRB Brasil ONR$ 43,12-2,29%
RDOR3Rede D'Or ONR$ 24,12-2,07%
FLRY3Fleury ONR$ 16,56-2,07%
RENT3Localiza ONR$ 55,53-2,03%
B3 (B3SA3) JÁ SUBIU 15% NO MÊS E BTG DIZ SE HÁ ESPAÇO PARA MAIS — PAPEL LIDERA QUEDAS DO IBOVESPA HOJE

As ações da B3 (B3SA3) acumulam ganho de cerca de 15% nas duas primeiras semanas de novembro — só na última sexta-feira (10), o papel subiu 5% — será que há espaço para a dona da bolsa brasileira subir mais? 

Para o BTG Pactual, a resposta não. O banco rebaixou da B3 de compra para neutra justamente pelas altas expressivas da ação. O preço-alvo para 2024, contudo, foi mantido em R$ 14 — o que representa um potencial de valorização de 8% sobre o último fechamento. 

"Vemos agora um potencial de valorização mais forte em outros nomes como por exemplo XP e BR Partners. Como resultado, estamos rebaixando a ação para Neutro", diz o BTG em relatório. 

Por volta de 12h30, as ações B3SA3 caíam 3,70%, cotadas a R$ 12,48, liderando a ponta negativa do Ibovespa. Acompanhe a nossa cobertura de mercados. 

Leia mais.

COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa opera em queda e tenta sustentar os 120 mil pontos, com commodities. Os contratos mais líquidos do petróleo avançam após a Opep aumentar a projeção de oferta até o final do ano e o minério de ferro avançou mais de 1%.

Porém, o tom negativo impera sobre o índice brasileiro, com a piora das bolsas de Nova York. Por lá, os investidores operam mais cautelosos após a agência de classificação Moody's rebaixar a perspectiva de crédito dos Estados Unidos de estável para negativa.

Por aqui, a semana promete ser mais esvaziada com o feriado de Proclamação da República na quarta-feira (15).

Os investidores seguem atentos à apresentação de emendas ao texto da Reforma Tributária aprovada no Senado Federal na última quarta-feira (8) e que agora tramita, novamente, na Câmara dos Deputados.

Os juros futuros (DIs) acompanham o avanço dos rendimentos dos Treasuries e opera em alta em toda a curva.

Também devido à cautela de NY e de olho no cenário fiscal doméstico, o dólar volta a ganhar força ante o real. A moeda norte-americana sobe a R$ 4,9191, com avanço de 0,09%.

GRIPE AVIÁRIA NO BRASIL

O Ministério da Agricultura informou, em atualização na plataforma oficial nesta segunda-feira (13), que um novo foco de influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP, vírus H5N1) em ave silvestre foi detectado no Brasil.

No total, há 146 casos da doença em animais silvestres no País e três focos em produção de subsistência, de criação doméstica, somando 146 ao todo.

De acordo com a pasta, há outras seis investigações em andamento, com coleta de amostra e sem resultado laboratorial conclusivo.

As notificações em aves silvestres e/ou de subsistência não comprometem o status do Brasil como país livre de IAAP e não trazem restrições ao comércio internacional de produtos avícolas brasileiros, conforme prevê a Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA).

Na B3, os frigoríficos operam sem direção única, com os investidores repercutindo os resultados do terceiro trimestre e notícias corporativas.

Confira o desempenho das companhias do setor:

CÓDIGONOMEULTVAR
JBSS3JBS ONR$ 21,19-0,56%
MRFG3Marfrig ONR$ 7,57-0,39%
BRFS3BRF ONR$ 12,200,41%
BEEF3Minerva ONR$ 6,961,75%

CAUTELA REFLETE NOS TREASURYS

Os juros projetados dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos mais longos operam em alta nesta segunda-feira (13), com os investidores mais cautelosos após a Moody's rebaixar a perspectiva de classificação de crédito dos Estados Unidos de estável para negativa.

Além disso, o risco de paralisação das atividade do governo voltou à mesa, com data limite de 17 de novembro. Até lá, o Legislativo precisa aprovar um projeto de leu de financiamento das contas públicas.

O T-note de 10 anos sobe a 4,672%; de 30 anos opera em alta a 4,782%.

ESTE GRANDE BANCO DOS EUA ESTÁ NA MIRA DOS ANALISTAS

Ouvir as palavras “problema” e “banco” na mesma frase joga o investidor de volta à crise do que atingiu o setor no começo do ano. Mas não são os chamados “bancos médios” dos Estados Unidos que estão em foco — e sim o Morgan Stanley, um dos grandes bancões do mercado.

A instituição, que conta com mais de US$ 1,362 trilhão em ativos sob gestão, apareceu no radar dos analistas. Muitos poderiam pensar em outros nomes, como é o caso do Goldman Sachs — que também não está indo lá muito bem desde o começo do ano

Mas é o Morgan Stanley a bola da vez dos problemas: a ação caiu mais de 14% nos últimos meses e recua 10% nos seis anteriores. Para efeitos de comparação, no mesmo intervalo de tempo, os papéis do Goldman Sachs e do JP Morgan avançam 0,92% e 7,29%, respectivamente. 

Morgan Stanley: a queda de um banco gigante?

Os sinais começaram no ano passado, quando a instituição financeira anunciou a demissão de 2% da equipe global, o que representa 1.600 de um total de 81.567 funcionários. 

Leia mais.

GIRO DO MERCADO

O Bitcoin (BTC) segue em forte recuperação, subindo cerca de 105% em 2023 e chegando a alcançar a marca dos US$ 37 mil.

O analista da Empiricus Research, Paulo Camargo, participa do Giro do Mercado desta segunda-feira (13) para comentar o que tem incentivado o recente rali das criptomoedas.

E o mercado de capital do Brasil está perto de completar 2 anos sem nenhum IPO (Initial Public Offering), a maior seca em 25 anos.

Fernando Ferrer também participa da edição de hoje para comentar o que tem afastado as empresas da bolsa de valores brasileira e o que esperar dos próximos meses.

Acompanhe:

IBOVESPA RENOVA MÍNIMA

Com abertura negativa das bolsas de Nova York, o Ibovespa renovou a mínima intradiária há pouco e perdeu os 120 mil pontos.

O índice cai 0,57%, aos 119.878 pontos.

ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York operam em queda após a abertura. Os investidores repercutem o rebaixamento da nota de crédito (rating) dos Estados Unidos pela agência de classificação de risco (Moody's), na última sexta-feira (10).

Confira o desempenho dos índices agora:

  • S&P 500: -0,44%;
  • Dow Jones: -0,05%;
  • Nasdaq: -0,70%.
FII THE ONE (ONEF11) RECEBE NOVA PROPOSTA MILIONÁRIA POR ESCRITÓRIO EM SP

Os investidores do fundo imobiliário The One (ONEF11) tiveram as esperanças renovadas nesta segunda-feira (13) após o FII receber uma nova proposta milionária para vender parte de suas lajes corporativas.

Agora sob administração da Hedge Investments — e não mais da Rio Bravo —, o FII recebeu outra proposta do VBI Prime Properties (PVBI11) para vender quatro andares de seu escritório homônimo em São Paulo, no Itaim Bibi, por aproximadamente R$ 197,53 milhões.

A ideia do comprador é adquirir todas as unidades nos 1º, 2º, 7º e 10º andares do empreendimento. As unidades correspondem a cerca de 6.015 metros quadrados, incluindo as vagas de garagem e outras áreas ligadas às unidades.

É importante ressaltar que esta é a terceira tentativa do PVBI11 de comprar parte do edifício do ONEF11, mas a primeira desde que a Hedge assumiu a administração do fundo.

Leia mais.

M.DIAS BRANCO (MDIA3) LIDERA PERDAS DA B3

Com queda de 7,21%, a R$ 32,52, as ações da M.Dias Branco lideram as perdas da B3.

Os investidores reagem aos números do balanço trimestral divulgado na última sexta-feira (10), depois do fechamento dos mercados.

A companhia registrou lucro líquido de 259 milhões, um crescimento de 32,8% na comparação com o período de julho a setembro de 2022.

O lucro antes dos juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês), somou R$ 440,7 milhões, 32,3% maior na base anual. Contudo, os números vieram abaixo do esperado pelo mercado — o que pressiona as ações da M.Dias Branco hoje.

NATURA (NTCO3) CAI DE OLHO EM BALANÇO

Também na expectativa do balanço do terceiro trimestre, que deve ser divulgado ainda hoje depois do fechamento dos mercados, as ações da Natura (NTCO3) recuam na B3.

Os papéis caem 2,01%, a R$ 13,66.

O avanço dos juros futuros (DIs), na esteira dos rendimentos dos Treasurys, também pressiona o desempenho da companhia.

MAGAZINE LUIZA (MGLU3) SOBE

Na expectativa do balanço do terceiro trimestre, as ações da Magazine Luiza (MGLU3) opera em alta de 1,11%, a R$ 1,81.

Os números dos resultados entre julho e setembro serão divulgados nesta segunda-feira (13), depois do fechamento dos mercados.

BRF (BRFS3) DESISTE DE VENDER NEGÓCIOS DE PET FOOD; AÇÃO CAI

A decisão da BRF (BRFS3) de deixar de alimentar os pets brasileiros ficou, mais uma vez, no passado. A companhia anunciou nesta segunda-feira que deve manter as operações da divisão de comida para bichinhos de estimação. 

Os motivos para a desistência não foram revelados. O processo de venda do negócio de alimentos para cães e gatos foi anunciado no fim de fevereiro

Na época, a expectativa era de que a BRF (BRFS3) embolsasse até R$ 2 milhões. 

Contudo, a partir de agora, a história é outra: a companhia deve seguir impulsionando o crescimento nesse segmento, com aumento de distribuição no canal especializados e fortalecimento da estratégia das marcas focadas no mercado pet. 

Leia mais.

ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa abre em queda de 0,28%, aos 120.225 pontos.

O tom negativo é puxado pelo índices futuros de Nova York, que recuam após a Moody's atribuir perspectiva negativa a rating dos Estados Unidos.

Por outro lado, as perdas devem ser limitadas pelo avanço das commodities. No cenário doméstico, a semana deve ser mais esvaziada com o feriado nacional de Proclamação da República na quarta-feira (15).

ADRS DE VALE E PETROBRAS
  • Vale (VALE): 0,00%, a US$ 14,59;
  • Petrobras (PBR): +0,72%, a US$ 15,34
MERCADO DE COMMODITIES

As commodities operam em tom positivo nesta segunda-feira (13).

O minério de ferro encerrou as negociações em Dalian, na China, em alta de 1,68%, com a tonelada cotada a US$ 132,57.

Os contratos mais líquidos do petróleo avançam após a Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) elevou a previsão de alta de demanda global em 2023 em 100 mil barris por dia (bpd), o que totaliza 2,5 milhões de bpd.

Os futuros do Brent sobem 0,23%, a US$ 81,62 o barril. Já o WTI avança 0,18%, com o barril cotado a US$ 77,31.

PETROBRAS (PETR4) GANHA CAUSA TRABALHISTA NO STF

A Petrobras (PETR4) obteve uma vitória no Supremo Tribunal Federal (STF) com a conclusão do julgamento dos recursos pendentes de uma causa trabalhista com valor bilionário.

A primeira turma do STF deu ganho de causa à Petrobras e reconheceu a validade do acordo coletivo de trabalho entre a estatal e os sindicatos por 3 votos a 1.

O processo se refere à metodologia de apuração do complemento de Remuneração Mínima Por Nível e Regime (RMNR). A decisão também favorece a Vibra (VBBR3), a antiga BR Distribuidora, que foi privatizada em 2019.

A Petrobras sofre diversas ações relacionadas ao RMNR. No último balanço, a estatal contava com R$ 698 milhões em provisões, mas indicava outros R$ 39,264 bilhões como perda possível.

Leia mais.

MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

A CHANCE DE MAIS UM SHUTDOWN: O DRAMA POLÍTICO AMERICANO

Investidores estão concentrados no exterior para monitorar o índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos, considerado talvez o evento mais crucial desta semana.

Esse interesse intensificado surge à medida que o mercado busca orientação em relação às taxas de juros, especialmente após o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmar em uma conferência do Fundo Monetário Internacional que o Fed não hesitará em ajustar a política monetária caso os dados respaldem tal ação.

Embora as previsões do mercado apontem para uma probabilidade inferior a 20% de um aumento nas taxas em dezembro, um relatório de inflação mais robusto do que o esperado pode redefinir as expectativas.

A reunião programada para o meio da semana entre o presidente Biden e o líder chinês, Xi Jinping, também será objeto de atenção minuciosa por parte dos investidores.

As ações asiáticas registraram queda nesta segunda-feira, contrariando a tendência de alta observada na sexta-feira em Wall Street.

Nos próximos dias, é crucial acompanhar o drama político em torno do possível shutdown nos Estados Unidos, especialmente após a Moody's rebaixar a perspectiva de classificação do governo norte-americano de estável para negativa, devido a riscos fiscais — um impacto que se refletirá plenamente no mercado ao longo desta semana.

No cenário doméstico, há definições em Brasília, a temporada de resultados e dados adicionais de atividade a serem considerados.

A ver…

00:53 — Vai ou racha

No Brasil, chegamos à fase final da temporada de divulgação de resultados empresariais.

Enquanto examinamos os indicadores financeiros das empresas, também é crucial monitorar os dados de atividade, incluindo o IBC-Br (indicador considerado uma proxy do PIB) e o volume de serviços, que influenciarão a dinâmica da semana.

Vale ressaltar que esta semana será mais curta devido ao feriado de Proclamação da República, resultando na ausência de pregão na quarta-feira.

No retorno das atividades, na quinta-feira, estaremos atentos à evolução da meta fiscal brasileira, que pode ser ajustada para um déficit de 0,5% em 2024. Algumas fontes indicam até duas propostas mais desfavoráveis: um déficit de 0,75% ou de 1% do PIB para o mesmo ano.

É importante reconhecer que não é apenas a meta em si que merece atenção, mas sim o plano estratégico para controlar e direcionar esse déficit, visando sua convergência para superávit nos anos subsequentes.

A resolução dessa controvérsia está prevista até o dia 16 de novembro, um dia antes do prazo para decidir sobre o possível shutdown nos Estados Unidos.

A manutenção da meta representaria uma vitória para Haddad e sua equipe econômica, enquanto qualquer alteração consagraria Rui Costa, da Casa Civil, como vencedor dessa disputa.

Esses embates são prejudiciais para a estabilidade das expectativas e podem exercer pressão adicional sobre o Banco Central local, que já alertou sobre os riscos relacionados a revisões fiscais.

01:48 — Perspectiva negativa

Nos Estados Unidos, as ações subiram na sexta-feira, sem conseguir repercutir a notícia que surgiu após o fechamento do mercado: a Moody's alterou a perspectiva do rating "Aaa" dos EUA de estável para negativa.

Segundo a agência de classificação de risco, essa mudança decorre de riscos fiscais que podem não ser compensados pelo perfil de crédito americano.

Essa decisão ocorre em uma semana crucial, com os congressistas americanos prestes a deliberar sobre a possibilidade de um novo shutdown a partir do dia 17.

No cenário de taxas de juros mais elevadas, sem medidas eficazes de política fiscal para reduzir as despesas públicas ou aumentar as receitas, os déficits fiscais dos EUA tendem a permanecer muito elevados, enfraquecendo consideravelmente o perfil da dívida.

A contínua polarização política no Congresso dos EUA aumenta o risco de sucessivos governos não chegarem a um consenso sobre um plano fiscal para conter o declínio da acessibilidade da dívida.

Além disso, é crucial monitorar os dados de inflação programados para amanhã, que devem indicar um aumento de 3,3% em relação ao ano anterior.

Na quarta-feira, teremos também o índice de preços ao produtor. Um número acima do esperado pode exercer pressão sobre os ativos de risco, repetindo o padrão observado entre agosto e outubro.

Por outro lado, resultados abaixo das expectativas podem desencadear uma alta ao longo da semana.

02:43 — Um aninho de vida

O ChatGPT fez sua estreia há um ano, em novembro de 2022. Alimentado por um extenso modelo de linguagem treinado com dados da Internet, este chatbot tem a capacidade de gerar texto que imita de forma surpreendente a linguagem humana.

No entanto, sua vantagem reside na vastidão de informações à sua disposição, superando as limitações de uma pessoa real.

Os mais otimistas vislumbram que o ChatGPT e seus crescentes concorrentes no universo de chatbots transformarão profundamente o trabalho, as comunicações, as artes criativas e praticamente todas as outras disciplinas.

A IA generativa, abrangendo a categoria tecnológica à qual o ChatGPT pertence, está projetada para adicionar até US$ 4,4 trilhões em valor à economia global anualmente, graças aos incrementos de produtividade.

Contudo, desde o lançamento do ChatGPT no ano passado, governos de diversas nações têm buscado estabelecer barreiras de proteção em resposta ao rápido avanço dessa tecnologia.

As principais potências mundiais, incluindo os EUA, a União Europeia e a China, expressaram sérias preocupações, alertando para os potenciais danos "catastróficos" que a IA poderia causar aos seres humanos se não fosse devidamente controlada.

03:29 — Estrangulamento logístico

Um dos principais operadores portuários globais tornou-se a mais recente vítima de uma série de ataques cibernéticos devastadores e de alto perfil ao redor do mundo neste ano.

A DP World está atualmente em processo de recuperação gradual de suas operações portuárias na Austrália, após ciberataques que resultaram em um fechamento em larga escala e provocaram reuniões de crise governamentais no último fim de semana.

O incidente resultou na retenção de dezenas de milhares de contêineres, criando preocupações sobre possíveis atrasos durante a temporada festiva de fim de ano, com expectativas de interrupções persistentes por mais alguns dias.

Os ataques de ransomware estão em ascensão, apresentando novos desafios para empresas e entidades em um momento em que a maioria das atividades é conduzida online.

As evoluções tecnológicas, o advento do open banking e a ampliação das transações remotas intensificaram a criticidade da segurança cibernética.

A incapacidade de atender a essas demandas pode expor organizações ao risco de comprometimento de seus sistemas.

Assim, a segurança cibernética emerge como um dos temas mais prementes desta década.

04:20 — Um encontro de gigantes

As relações entre os Estados Unidos e a China, marcadas por diversos pontos de inflexão no ano passado, encontram-se em um dos períodos mais tensos, possivelmente comparável a 1972, quando ambas as nações estabeleceram laços diplomáticos.

sse contexto inclui incidentes como o incidente com um balão espião chinês, encontros militares no Estreito de Taiwan e disputas diplomáticas abrangendo questões como roubo de tecnologia, hacking e comércio.

Nesse cenário desafiador, os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da China, Xi Jinping, têm uma reunião marcada em São Francisco para esta semana.

Com a continuidade das taxações comerciais implementadas pela administração Trump, ainda em vigor, os mercados estarão atentos a sinais de desescalada das tensões bilaterais.

Apesar das baixas expectativas, especialistas e autoridades dos Estados Unidos alertam que não se deve esperar uma melhoria acentuada nas relações após a reunião.

Antecipa-se que os líderes abordarão questões polêmicas, como comunicações militares, direitos humanos e a situação no Mar do Sul da China.

Embora as expectativas sejam moderadas, a reunião pode abrir caminho para futuras discussões sobre soluções para questões que impactam ambos os países. Qualquer sinal de melhoria nas relações seria positivamente recebido pelos mercados.

JUROS FUTUROS EM ALTA

Os juros futuros (DIs) iniciaram o dia em alta acompanham a retomada de avanço dos rendimentos dos Treasurys e com os investidores locais de olho no fiscal.

Com a semana mais esvaziada e com feriado na quarta-feira (15), dia da Proclamação da República, a expectativa é tramitação da Reforma Tributária na Câmara dos Deputados.

Confira o desempenho dos DIs após a abertura:

CÓDIGONOME ULT MIN MAX ABE FEC
DI1F24DI Jan/2411,99%11,99%11,99%11,99%11,99%
DI1F25DI Jan/2510,75%10,71%10,75%10,71%10,74%
DI1F26DI Jan/2610,53%10,48%10,54%10,49%10,51%
DI1F27DI Jan/2710,65%10,59%10,66%10,62%10,62%
DI1F28DI Jan/2810,88%10,81%10,88%10,88%10,84%
DI1F29DI Jan/2911,02%10,95%11,02%10,97%10,99%
IBOVESPA FUTURO ABRE EM LEVE QUEDA

O Ibovespa futuro iniciou a semana em leve queda.

O índice futuro abriu em queda de 0,16% nesta segunda-feira, aos 121.660 pontos.

O dólar à vista também abriu em leve queda.

A moeda norte-americano caía 0,14%, cotada na faixa de R$ 4,90.

PESQUISA FOCUS

O Banco Central acaba de divulgar a mais recente edição do boletim Focus.

Para 2023, a única alteração desta semana é um leve ajuste para baixo nas estimativas inflacionárias.

Confira como estão as principais projeções macroeconômicas do Brasil.

  • IPCA: A estimativa para a inflação oficial de 2023 caiu de 4,63% para 4,59%. Para 2024, a expectativa dos economistas de mercado passou de 3,91% para 3,92%.
  • PIB: A projeção para a expansão da economia brasileira este ano manteve-se em 2,89%.
  • Dólar: Pela quinta semana seguida, a expectativa é de que a taxa de câmbio feche o ano a R$ 5,00 por dólar.
  • Taxa Selic: A estimativa para a taxa básica de juros ao fim de 2023 permaneceu em 11,75% ao ano pela 14ª semana consecutiva.
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta segunda-feira.

Os investidores estão na expectativa de uma reunião de cúpula entre presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da China, Xi Jinping.

A bolsa de Hong Kong liderou os ganhos, encerrando o dia em alta de 1,30%.

Também subiram as bolsas de Taiwan (+0,94%), Xangai (+0,25%) e Tóquio (+0,05%).

A exceção foi a bolsa de Seul, que fechou em baixa de 0,24%.

BOLSAS DA EUROPA ABREM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Europa abriram em alta nesta segunda-feira.

Os investidores já estão na expectativa do encontro bilateral entre os presidentes da China, Xi Jinping, e Joe Biden, dos Estados Unidos.

Eles devem se reunir apenas na quarta-feira (15), às margens da reunião de cúpula da Apec.

Veja como estavam as principais bolsas europeias por volta das 7h35:

  • Londres: +0,60%
  • Frankfurt: +0,27%
  • Paris: +0,48%
FUTUROS DE NOVA YORK AMANHECEM NO VERMELHO

Os índices futuros das bolsas de valores de Nova York amanheceram no vermelho nesta segunda-feira).

Os investidores reagem ao rebaixamento da perspectiva do rating dos Estados Unidos pela agência de classificação de risco de crédito Moody’s.

Na sexta-feira (10), já com as bolsas de Nova York fechadas, a Moody's cortou a perspectiva do rating AAA dos EUA de estável para negativa.

Veja como estavam os índices futuros de Nova Ork por volta das 7h20:

  • Dow Jones: -0,07%
  • S&P-500: -0,27%
  • Nasdaq: -0,34%
IBOVESPA ESTÁ DE VOLTA AOS 120 MIL PONTOS

O Ibovespa está de volta aos 120 mil pontos.

O principal índice de ações da B3 subiu 1,29% na última sexta-feira, fechando em 120.568 pontos.

Na semana passada, a alta acumulada da bolsa brasileira passou de 2%.

Já o dólar começa a nova semana na faixa de R$ 4,91.

Veja o que movimentou o último pregão.

AMERICANAS ADIA REPUBLICAÇÃO DE BALANÇOS DE NOVO

Não será hoje que o mercado ficará por dentro das demonstrações financeiras da Americanas (AMER3) referentes a 2021 e 2022.

A varejista adiou novamente a republicação dos balanços.

Não é a primeira vez. A divulgação chegou a ser anunciada para 31 de outubro. Foi então adiada para hoje (13) à noite, depois do fechamento da bolsa.

No início da madrugada desta segunda-feira, entretanto, a Americanas adiou mais uma vez o anúncio.

Leia mais.

AGENDA DA SEMANA

*A matéria foi atualizada na manhã de segunda-feira (13) para incluir o novo adiamento do balanço da Americanas.

Mais uma temporada de balanços vai chegando ao fim e os investidores continuam ajustando suas carteiras aos resultados das empresas. Com o fim do período de divulgação dos dados empresariais, as atenções se voltam para o campo dos indicadores na próxima semana. 

O balanço da Americanas (AMER3), um dos mais esperados dos últimos tempos, foi adiado mais uma vez. Mais detalhes aqui.

Para o público brasileiro, a bolsa terá uma pausa na quarta-feira (15) devido ao feriado do dia da Proclamação da República, o que tende a reduzir a liquidez dos demais dias. Com os últimos balanços sendo divulgados nos dias de pregão restantes, a volatilidade promete ser grande. 

Leia mais.

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai 3% na semana com peso da política monetária dos EUA e Petrobras (PETR4); dólar sobe a R$ 5,16

24 de maio de 2024 - 17:38

RESUMO DO DIA: A semana que parecia não ter fim acabou, mas sem alívio nos mercados: o Ibovespa completou seis pregões consecutivos de queda. O principal índice terminou o dia com baixa de 0,34%, aos 124.305 pontos. Na semana, o recuo acumulado foi de 3%. Já o dólar à vista avançou 0,27% ante o real […]

DESTAQUES DA BOLSA

Os números do PagBank (PAGS34) que ‘brilharam’ os olhos dos analistas e fazem as ações subirem na B3 e em NY 

24 de maio de 2024 - 14:53

A companhia teve um lucro líquido recorrente de R$ 522 milhões no primeiro trimestre, um crescimento de 33% na base anual

FUNDOS IMOBILIÁRIOS HOJE

Alianza Trust (ALZR11) fecha compra de imóveis do Oba Hortifruti; veja se há impacto nos dividendos do fundo imobiliário

24 de maio de 2024 - 11:47

A operação foi realizada na modalidade de “sale & leaseback”. Ou seja, os ativos serão locados pelo próprio vendedor

COMO SE ESPERAVA

Conselho de administração aprova e Magda Chambriard assume a presidência da Petrobras (PETR4)

24 de maio de 2024 - 9:41

Reunião do conselho de administração da Petrobras ocorreu na manhã desta sexta-feira; Magda Chambriard sucede Jean Paul Prates à frente da empresa

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) e mau humor de Nova York pesam e Ibovespa cai pela quinta vez consecutiva; dólar tem leve queda 

23 de maio de 2024 - 17:33

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou romper o ciclo de quedas, mas a aversão ao risco dominou os investidores após dados econômicos mais fortes que o esperado nos Estados Unidos. Pela quinta vez consecutiva, o principal índice da bolsa brasileira fechou em queda de 0,74%, aos 124.729 pontos. O dólar fechou próximo da estabilidade […]

GRUPO DOS EXCLUÍDOS

B3 enquadra Infracommerce (IFCM3) para abandonar a condição de ‘penny stock’, mas solução ainda não foi encontrada  

23 de maio de 2024 - 10:35

Entre o período de 22 de março e 7 de maio deste ano, a dona da bolsa de valores acompanhou as cotações da companhia

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai 1% e volta aos 125 mil pontos com NY após ata do Fed; dólar sobe a R$ 5,15

22 de maio de 2024 - 17:10

RESUMO DO DIA: Os olhos dos investidores ficaram concentrados no exterior com a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed). Por aqui, o Ibovespa acompanhou a deterioração das bolsas de Nova York, além da repercussão do noticiário corporativo local — que segue agitado com o fim da temporada de balanços. O índice terminou o […]

DESTAQUES DA BOLSA

Por que as ações da XP despencam 15% após o balanço do primeiro trimestre?

22 de maio de 2024 - 12:17

A corretora reportou lucro líquido de R$ 1 bilhão no período, alta de 29% ante os R$ 796 milhões registrados no início do ano passado

AÇÃO ESTÁ CARA?

XP tem apenas um motivo para rebaixar a recomendação das ações da Embraer (EMBR3) — e é por causa de uma assimetria

22 de maio de 2024 - 11:54

Para os analistas, a companhia deixou de atravessar os céus abertos e atingiu a ‘altitude de cruzeiro’ neste momento

EM BUSCA DE SALVAÇÃO

Unidas por Lemann? Americanas (AMER3) propõe grupamento de ações para deixar de ser ‘penny stock’ e abre espaço para aumento bilionário de capital

22 de maio de 2024 - 10:35

Na última terça-feira (21), as ações fecharam a R$ 0,53 na B3; veja o que muda para o acionista

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar