🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero com especialização em Macroeconomia e Finanças (FGV) e pós-graduação em Mercado Financeiro e de Capitais (PUC-Minas). Com passagens pelo portal R7, revista IstoÉ e os jornais DCI, Agora SP (Grupo Folha), Estadão e Valor Econômico, também trabalhou na comunicação estratégica de gestoras do mercado financeiro.
SAINDO DO PET SHOP

A BRF (BRFS3) desistiu de alimentar o seu pet — saiba por que a empresa vai vender sua divisão de comida para bichinhos de estimação

Segmento de pet food da (BRFS3) será vendido por meio de um processo competitivo, quando a oferta mais vantajosa é considerada

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
28 de fevereiro de 2023
12:33 - atualizado às 13:03
BRF ração Mogiana Hercosul pets
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Não faz muito tempo, a BRF (BRFS3) tinha um sonho ambicioso: alimentar humanos e também seus pets, de olho em um mercado gigantesco em que cães e gatos já viraram membros da família e consomem milhões. Foi assim que a dona da Sadia e da Perdigão entrou no segmento de alimentos para animais domésticos e comprou duas empresas do segmento em 2021.

Mas, ao contrário do que era esperado após as aquisições recentes, a BRF confirmou que agora deseja se desfazer da divisão de comida para bichinhos, que pode chegar a valer R$ 2 bilhões.

De acordo com o comunicado disponível na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o negócio será vendido por meio de um processo competitivo. Ou seja: quem fizer a oferta mais vantajosa pelos ativos leva.

"Sendo que esse processo está em estágio inicial, com conversas preliminares com potenciais interessados", diz o documento, que também informa que a assessoria financeira é do Santander.

A reação das ações da BRF (BRFS3)

A notícia da venda parece ter agradado o mercado, já que as ações da BRF (BRFS3) subiam 2,37% por volta das 11h27, cotadas a R$ 6,48 no pregão desta terça-feira (28).

De acordo com dados compilados pela plataforma TradeMap, das 15 recomendações existentes para o ativo, cinco são de compra e 10 são de manutenção.

Ainda que a BRF não tenha esclarecido melhor os motivos da venda, a leitura do mercado é de que a empresa busca focar nas linhas principais do negócio, além de buscar um nível mais saudável de alavancagem.

  • O Seu Dinheiro acaba de liberar um treinamento exclusivo e completamente gratuito para todos os leitores que buscam receber pagamentos recorrentes de empresas da Bolsa. [LIBERE SEU ACESSO AQUI]

Em relatório, o Itaú BBA afirma que vê a notícia como positiva, já que, considerando o valor estimado da negociação, ela se daria com um prêmio sobre os múltiplos EV/Ebitda da companhia.

A equipe destaca também o suporte à desalavancagem, tida como necessária e ainda distante de um nível considerado "ótimo".

Os analistas apontam, ainda, o ambiente competitivo do mercado e os desafios macroeconômicos do Brasil.

"Se a aquisição for concluída no valor referido, o valuation do ativo seria de aproximadamente 8 vezes o EV/Ebitda, gerando um prêmio de 60% sobre o atual EV/Ebitda da BRF. Nossas estimativas acreditam em uma faixa de R$ 200 milhões a R$ 300 milhões para o Ebitda da divisão", escrevem os analistas.

Também em relatório, a XP Investimentos aponta a Nestlé como a candidata favorita para levar o negócio de pet food da BRF, afirmando que poucas companhias deste segmento teriam fôlego para adquirir uma operação desse porte.

A XP tem recomendação de compra para BRFS3, com preço-alvo de R$ 20,60 — potencial de alta de 218%.

Como a BRF (BRFS3) entrou no mercado de comida para pets

Até 2021, a BRF tinha uma participação bem pequena no mercado de ração para cães e gatos, sendo dona apenas das marcas Balance e Gud, sem representar uma ameaça às gigantes do setor, como a Mars e a própria Nestlé.

Mas em apenas 10 dias ela conquistou 10% desse mercado com duas aquisições, acelerando seu plano estratégico, que apontava o segmento pet como uma de suas prioridades até 2030.

Em junho de 2021, a BRF comprou a Hercosul, dona das marcas Biofresh, Three Dogs, Three Cats, Primocão, Primogato, Apolo e Átila. A empresa também vendia seus produtos para a África e países da América Latina, sendo dona de 4% do market share desse mercado.

Na época, o valor do negócio não foi revelado.

Poucos dias depois, a BRF veio com outra cartada e mostrando que sua aposta no setor de comida para animais domésticos era alta — foi a vez de comprar a Mogiana Alimentos, com um perfil complementar ao grupo Hercosul e 6% de participação no mercado.

Com sede em São Paulo, a Mogiana tem duas fábricas no interior do estado e exporta para a América Latina e Europa. Ela atua no segmento premium, com marcas como Guabi Natural, Gran Plus, Faro, Herói e Cat Meal.

E foi assim que a BRF conquistou em poucos dias uma fatia considerável de um mercado em forte expansão. Estima-se que para isso o desembolso tenha sido de R$ 1,35 bilhão.

Mas se tudo era tão bom, por que desistiu?

Essa é uma das principais dúvidas que ficam após a revelação de que a BRF deseja se desfazer de sua linha de comida para pets. Afinal, é difícil entender por que a empresa investiu — ainda que sem revelar os valores — em algo que parecia tão promissor e preferiu vender tudo menos de dois anos depois.

Algumas das possibilidades seriam os desafios macroeconômicos, com a alta dos juros e da inflação como obstáculos para boa parte das empresas, já que freiam o consumo e encarecem dívidas.

E hoje, o nível de endividamento da BRF também não é dos melhores, o que pode explicar os motivos que levaram a companhia a desistir de brigar pela liderança do segmento de comida para pets.

Nas projeções do Itaú BBA, a venda dessa divisão reduziria a dívida líquida da empresa para R$ 16,5 bilhões (incluindo leasing passivo) e diminuiria a estimativa de dívida líquida/Ebitda para o ano em 0,3 vez, de 3,6 vezes para 3,3 vezes.

O banco tem preço-alvo de R$ 9,00 para BRFS3 para o fim deste ano — potencial de alta de 39,3%.

Compartilhe

VITÓRIA!

Prio (PRIO3) fica com 100% de Wahoo: como a vitória deve aumentar a produção da petroleira; ações sobem na bolsa

12 de abril de 2024 - 13:05

A empresa recebeu uma decisão favorável da Câmara de Comércio Internacional em um processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30, no campo de Wahoo

REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDAS

Light (LIGT3) assina acordos com credores, em novo passo em direção ao fim da recuperação judicial; ações caem na B3

12 de abril de 2024 - 11:46

Foram celebrados dois acordos com credores e debenturistas envolvendo as subsidiárias Light Sesa e Light Energia; entenda o que vem pela frente

ENGORDOU O PATRIMÔNIO

CEO da Nvidia fica quase R$ 3 bilhões mais rico em um dia. Conheça o bilionário que quase dobrou de fortuna em 2024

11 de abril de 2024 - 18:03

Jensen Huang é a 19º pessoa mais rica do planeta, de acordo com a revista Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 79,5 bilhões (R$ 404 bilhões)

ENTENDA O CASO

Justiça embarga obras de complexo bilionário da JHSF (JHSF3) no interior de São Paulo

11 de abril de 2024 - 16:01

A decisão aconteceu após pedido do Ministério Público, que afirma que a JHSF e outras duas companhias burlaram regras de licenciamento ambiental

DESISTIU DA BATALHA?

Gafisa (GFSA3): Esh Capital diminui participação após perder disputa sobre assembleia; ações caem 6% na B3

11 de abril de 2024 - 11:24

A gestora de Vladimir Timerman reduziu a participação na Gafisa de 20% para 4% do capital

FOI DADA A LARGADA

Oferta de ações da Boa Safra (SOJA3): companhia pretende levantar até R$ 388 milhões com nova emissão

11 de abril de 2024 - 9:48

Empresa pretende usar os recursos para expandir o negócio de armazenamento; controladores se comprometeram a colocar dinheiro novo na oferta

VOO DE FRANGO?

BRF (BRFS3) volta a ser empresa “de dono” e mais que dobra de valor na B3. O que está por trás da disparada — e o que esperar das ações

11 de abril de 2024 - 6:13

Agora “oficialmente” sob controle da Marfrig, BRF acumula alta de mais de 170% em 12 meses na B3; saiba o que os analistas pensam da empresa de proteínas

DINHEIRO NO BOLSO

Santander (SANB11) vai depositar R$ 1,5 bilhão na conta dos acionistas; saiba mais sobre os proventos anunciados pelo banco

10 de abril de 2024 - 18:37

Terá direito ao provento quem estiver na base de investidores do banco ao final do pregão de 19 de abril

PISOU NO ACELERADOR

Cury (CURY3) inicia o ano lançando quase R$ 2 bilhões e executivo diz por que a construtora foi na contramão do mercado

10 de abril de 2024 - 18:24

De acordo com Leonardo Mesquita, vice-presidente comercial da construtora, a decisão de lançar mais no início do ano já é adotada há alguns anos e tem um propósito

CHIPS DE IA

Após prejuízo bilionário, Intel promete lançamento de chip “mais rápido que o da Nvidia” para acirrar disputa em inteligência artificial

10 de abril de 2024 - 18:17

A companhia lançou nesta semana um novo semicondutor voltado para IA que promete oferecer “melhorias significativas de desempenho para tarefas de treinamento”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies