Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-08T16:35:52-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MER CADOS HOJE

Pronunciamento de Lira prega ‘paz’, mas Ibovespa segue em queda de quase 4% e dólar encosta em R$ 5,30

O Ibovespa deve enfrentar um dia tenso pela frente enquanto o mercado aguarda a resposta dos demais Poderes ao chefe do Executivo

8 de setembro de 2021
10:36 - atualizado às 16:35
Congresso Mercados Baixa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O discurso agressivo do presidente Jair Bolsonaro durante as manifestações não trouxe surpresas, mas serviu para ampliar a tensão na capital federal. Depois de novos ataques feitos às instituições, principalmente aos ministros da Suprema Corte, os demais Poderes sentem necessidade de responder os ataques feitos pelo chefe do Executivo. 

Com uma hora de atraso, Arthur Lira, presidente da Câmara, pregou harmonia entre os Poderes, e disse que a Câmara dos Deputados deve atuar como um agente pacificador das tensões entre Executivo e Judiciário. 

Lira também voltou a defender a Constituição e o modelo eletrônico de votação, reforçando que o voto impresso, pauta de reivindicação das manifestações, já está superado e que não haverá mudanças. O presidente da Câmara reforçou compromisso com a agenda de reforma e afirmou que as redes sociais 'superdimensionam' a crise atual e que a solução virá em 2022, com novas eleições. 

Durante o pronunciamento de Lira, o Ibovespa chegou a recuar mais de 3%, mas minimizou a queda após a fala do deputado. O discurso de Luiz Fux, chefe do STF, foi mais duro, cobrando medidas do Congresso e nomeando o comportamento do presidente com anidemocrático.

Para Rafael Passos, sócio e analista da Ajax Capital, acredita que o discurso do presidente da Câmara suaviza, mas não resolve, e as coisas só devem começar a andar quando tivermos certeza de um diálogo entre os Poderes. Por volta das 16h30 o principal índice da bolsa brasileira operava em queda firme de 3,84%, aos 113.343 pontos. O dólar à vista tem alta de 2,71%, a R$ 5,3186.

Com a elevação do risco político, os juros futuros também seguem em tendência de alta, elevando as apostas para a Selic ao fim do ano, mas desaceleraram o ritmo após a tentativa de conciliação feita pelo presidente da Câmara :

  • Janeiro/22: de 6,87% para 6,94%
  • Janeiro/23: de 8,68% para 8,73%
  • Janeiro/25: de 9,82% para 9,96%
  • Janeiro/27: de 10,28% para 10,42%

Sem clima para governar?

As palavras proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro durante as manifestações que marcaram o dia 7 de setembro são os grandes estressores da bolsa nesta quarta-feira, mesmo após o pronunciamento de Lira. pesam sobre os negócios e o pronunciamento do presidente da Câmara, Arthur Lira, que está atrasado, aumenta a cautela dos investidores. Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, também irá se pronunciar nesta tarde.

Longe de apresentar um discurso conciliador, Bolsonaro agravou a tensão política que cerca a capital federal. Uma ruptura institucional não parece provável, mas a tensão entre os governos segue se elevando de forma drástica. 

O chefe do Executivo voltou a atacar os demais Poderes e sinalizou que não irá acatar as decisões da Suprema Corte, citando nominalmente o ministro Alexandre de Moraes. Além disso, o presidente voltou a levantar dúvidas, sem provas, sobre a vulnerabilidade das eleições do próximo ano. 

Hoje o presidente se reuniu com os ministros do governo no Planalto e sinalizou que deve convocar o Conselho da República, o órgão é o responsável por prestar assessoria em momentos de crise e possui representantes de todos os poderes. 

Por aqui, o mercado aguarda agora a resposta dos demais Poderes aos ataques do presidente, mas a leitura é de que não existe clima para governar ou aprovar as reformas previstas pela equipe econômica. 

Na leitura de Passos, da Ajax Capital, a movimentação vista ontem, sustentada pela base eleitoral de Bolsonaro, deve seguir dando força para que o presidente continue a ‘guerra institucional’, que compromete as reformas. “Uma pena. Essa antecipação eleitoral compromete muito a agenda local, infelizmente”. 

Você pode conferir também uma análise, no nosso Instagram, sobre o desconto da bolsa diante dos temores políticos "aparentemente exagerados", segundo analistas, refletidos no mercado. Confira abaixo e aproveite para nos seguir no Instagram (basta clicar aqui). Lá entregamos aos leitores análises de investimentos, notícias relevantes para o seu patrimônio, oportunidades de compra na bolsa, insights sobre carreira e empreendedorismo e muito mais.

VAGA GRATUITA: Acesse nosso grupo no Telegram, com análises de investimentos, notícias em tempo real importantes para o seu patrimônio, insights para sua carteira e muito mais. É só clicar aqui.

Sob suspeita

Também existe cautela vindo do exterior. Nos Estados Unidos e na Europa, o medo de que a variante delta atrapalhe o crescimento econômico faz com que os investidores tirem o pé do acelerador. Assim, os índices americanos começam o dia exibindo sinais mistos.

Depois do relatório de emprego, o payroll, decepcionar, as atenções do mercado estão voltadas para outros dados do mercado de trabalho. Hoje foi a vez da divulgação do relatório Jolts, que mostrou a abertura de 10,934 milhões de postos de trabalho em julho.  A queda mais expressiva é do Nasdaq, que recua mais de 1%.

Sobe e desce do Ibovespa

Em dia amplamente negativo para a bolsa, o principal destaque fica com as ações da Localiza e da Unidas, após o Cade dar um sinal verde para a aprovação da fusão entre as companhias. A leitura do mercado é que a operação deve ser aprovada sem grandes restrições. Confira as maiores altas do dia: 

CÓDIGONOMEULTVAR
RENT3Localiza ONR$ 59,807,88%
LCAM3Locamérica ONR$ 26,606,83%
EMBR3Embraer ONR$ 21,801,16%
WEGE3Weg ONR$ 36,700,88%
MRFG3Marfrig ONR$ 21,940,23%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
AMER3Americanas S.AR$ 41,11-6,89%
CASH3Meliuz ONR$ 32,99-6,28%
LWSA3Locaweb ONR$ 23,07-5,88%
VIIA3Via ONR$ 9,37-5,83%
CYRE3Cyrela ONR$ 18,28-5,82%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Clube do livro

“Era para termos entrado no Primeiro Mundo há 30 anos”, escreve Gustavo Franco em seu novo livro “Lições Amargas”; leia a resenha completa

O ex-presidente do Banco Central tece críticas ao Brasil e sua estagnação prolongada e apresenta uma “história provisória da atualidade”

ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO

Onde investir para os próximos 3 anos: 3 indicações para chegar, com consistência, ao primeiro milhão

E não se esqueça: é essencial começar o quanto antes, fazer aportes constantes e diversificar os investimentos

IPO adiado

Bluefit: nem desconto de 20% garante estreia da rede de academias na bolsa

Inicialmente estimado em R$ 600 milhões, IPO da rede de academias de baixo custo agora deverá ter o valor reduzido e envolver apenas investidores institucionais, como fundos e fundações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies