Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-03-16T19:50:00-03:00
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Circuit breaker é o novo normal

16 de março de 2020
19:49 - atualizado às 19:50
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Caro leitor,

É força de expressão, claro, mas é o que está parecendo. Hoje foi mais um dia daqueles para os mercados. Bolsa despencando e dólar voando. Mas não foi um dia como todos os outros da semana passada, não senhor. Temos novidades: desta vez, o dólar fechou acima dos R$ 5 pela primeira vez na história. Para a moeda americana, parece até que se aplica a máxima “o céu é o limite”.

Já para o Ibovespa, podemos aplicar uma outra pensata, muito popular no mercado financeiro, mas válida, na verdade, para qualquer área da vida: às vezes o fundo do poço tem um alçapão. E abaixo do alçapão ainda tem um porão.

O principal índice de ações brasileiro atingiu hoje sua mínima do ano, menor cotação desde junho de 2018, fechando aos 71.168,05 pontos. Pela manhã, a bolsa chegou a ativar o circuit breaker pela quinta vez no mês, paralisando suas negociações novamente.

O culpado dessa nova semana de caos, continua sendo, é claro, o avanço do coronavírus no mundo, que agora já contaminou mais gente fora do que dentro da China. Aqui no Brasil, chegamos a 234 casos confirmados e mais de 2 mil suspeitos.

Mas não foi só isso. Os investidores também levaram a mal o corte extraordinário de juros feito pelo banco central americano ontem à noite. Na sua cobertura de mercados de hoje, o Victor Aguiar explica por que esse evento, que normalmente deveria trazer alívio aos ativos de risco, acabou pesando ainda mais nas bolsas.

Pergunte ao Seu Dinheiro

O que fazer diante do caos dos mercados? É isso que todo investidor quer saber neste momento. E nós, aqui no Seu Dinheiro, procuramos não só trazer a informação mais completa e clara possível como também te dar as diretrizes nessa hora de forte volatilidade. Na próxima quinta-feira, 19 de março, faremos uma transmissão ao vivo às 10h com o nosso colunista e sócio-fundador da Empiricus, Rodolfo Amstalden, que vai responder às dúvidas dos nossos leitores Premium sobre as tensões nos mercados e o que fazer com os investimentos. Veja como enviar a sua pergunta.

É para cortar já

A reunião extraordinária do Fed no último domingo substituiu o encontro que estava marcado para o próximo dia 18, quando teríamos a primeira superquarta de 2020, com decisões sobre juros no Brasil e nos Estados Unidos. Agora, o mercado já espera corte de juros na próxima reunião do Copom, e há quem acredite que o Banco Central não deve esperar. O UBS defende corte de um ponto percentual nesta quarta-feira, derrubando a Selic para 3,25% ao ano; já o gestor da Garde Marcelo Giufrida, que bateu um papo com o Vinícius Pinheiro, acha que o BC não deve nem esperar a quarta-feira: deveria fazer o corte ainda hoje.

Estímulos para a economia 

Além do corte de juros, o Fed também anunciou uma série de políticas de estímulo, em ação coordenada com outros bancos centrais de países desenvolvidos. E hoje, o Banco Central brasileiro também decidiu se mexer, anunciando medidas para facilitar a renegociação de dívidas e flexibilizar as exigências de capital dos bancos. A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) também apresentou iniciativas para aumentar o prazo de vencimento de dívidas de pessoas físicas e empresas.

A ideia aqui é ajudar a segurar as pontas dos trabalhadores e negócios que já estão sendo fortemente impactados pelo coronavírus, principalmente os de pequeno e médio porte. Agora à noite, o Ministério da Economia também anunciou um pacote de combate aos efeitos do coronavírus.

Pelos ares

O setor aéreo é um dos que mais vem sofrendo com a crise gerada pelo avanço do coronavírus no mundo. Também pudera. Além de as pessoas estarem cancelando viagens, voos estão sendo suspensos e governos estão fechando fronteiras, ou pelo menos restringindo a circulação de pessoas. A União Europeia anunciou, nesta quarta, a restrição a viagens não essenciais durante 30 dias no continente. Já a Azul anunciou a suspensão de voos internacionais e a redução da sua capacidade em até 25% neste mês.

Ao resgate

Ainda na toada de socorrer as empresas que estão sofrendo com a disseminação da doença, o presidente Jair Bolsonaro disse, numa entrevista hoje, que o governo buscará uma solução para as companhias aéreas e que deixá-las quebrar seria “a pior alternativa que existe”.

Sem motivos para sorrir

Mas não são só essas empresas que estão sofrendo neste momento. O calvário da Smiles, por exemplo, combina as consequências das restrições e da menor demanda por viagens com um anúncio nada animador: o de que a sua incorporação pela Gol foi cancelada.

Liderando pelo (mau) exemplo

Depois de descumprir a quarentena no fim de semana, ao ter contato físico com manifestantes pró-governo em Brasília, Jair Bolsonaro continuou contrariando as orientações do Ministério da Saúde hoje, ao deixar o Palácio da Alvorada pela manhã. O presidente deveria permanecer em isolamento após ter tido contato com pessoas com infecção confirmada por coronavírus. Não satisfeito, Bolsonaro ainda minimizou a gravidade da pandemia , falando em “superdimensionamento” e que “não é tudo isso que dizem”.

O foco é sobreviver 

Em um cenário de instabilidade e incerteza mundial, o foco do investidor agora deve ser a sobrevivência, diz nosso colunista Felipe Miranda. No texto de hoje, ele comenta suas sugestões de alocação para o atual cenário, destacando que o momento é de ser conservador e proteger seu patrimônio.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

diante da crise

Cortes de emprego nos EUA disparam em março com coronavírus

Número saltou de 56.660 em fevereiro para 222.288 em março

dinheiro no caixa

Petrobras reverte provisão de R$ 634 milhões

Estatal informou que celebrou um acordo dando fim a um litígio arbitral proposto por um investidor da Sete Brasil

tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

Se o coronavírus colocou a população sob isolamento domiciliar, também levou quem estava “isolado” a abrir as portas. Estou falando de diversos fundos de investimento que estavam fechados para novos investidores e agora estão reabrindo para captação. Uma das gestoras que entrou nessa onda foi a Truxt, que tem R$ 12 bilhões na carteira. Em […]

efeitos da crise

BCE adia revisão de estratégia política monetária para 2021

Eventos públicos do BCE e dos bancos centrais nacionais do Eurosistema que estavam planejados para o primeiro semestre deverão ocorrer apenas na segunda metade de 2020

Conteúdo Patrocinado

De volta ao jogo: Ivan Sant’Anna retorna para a bolsa

A volta do Ivan é algo como se o Michael Jordan voltasse hoje a jogar na NBA, ou se o Fenômeno retornasse ao futebol nesta semana.

esquenta dos mercados

Esperança com resolução para crise do petróleo anima mercados, mas covid-19 segue no radar

Mesmo com o alívio das bolsas do exterior, os investidores seguem monitorando os números de casos de covid-19 e as medidas do governo para suporte da população

expectativa

Acredito que Rússia e Arábia Saudita farão acordo sobre petróleo, diz Trump

Republicano confirmou que se encontrará com empresas petrolíferas nesta sexta-feira, 3

diante da crise

Câmara aprova projeto que permite adiar recolhimento de INSS de funcionários

Proposta prevê que as companhias deixem de recolher a contribuição previdenciária dos trabalhadores por 60 dias, prorrogáveis por mais 30

medida emergencial

Governo permite redução salarial de até 70% e suspensão de contratos

Governo pagará uma parte do seguro-desemprego a que o trabalhador teria direito se fosse demitido; empresas sob os regimes de lucro real e lucro presumido, com receita bruta acima de R$ 4,8 milhões, serão obrigadas a arcar com 30% do salário do funcionário para poder suspender o contrato

Entrevista exclusiva

Truxt reabre fundos para captação com foco em ações de “sobreviventes” na B3

Queda generalizada de ações abre oportunidade de compra, mas recuperação das bolsas nos EUA deve ocorrer primeiro, me disse José Tovar, CEO da gestora que possui R$ 12 bilhões em patrimônio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu