Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-16T12:03:19-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Entrevista

BC deve cortar Selic em 1 ponto, de preferência ainda hoje, diz Giufrida, da Garde

Com o dólar nas alturas e a bolsa derretendo, o mercado de juros hoje é o que parece reunir mais fundamentos, segundo o sócio da gestora

16 de março de 2020
12:03
Marcelo Giufrida Garde
Marcelo Giufrida, sócio da Garde Asset Management - Imagem: Reprodução YouTube

Diante da insperada decisão do Banco Central norte-americano (Fed) de cortar os juros novamente de forma extraordinária, aqui no Brasil o BC deverá ser mais agressivo e cortar a taxa básica (Selic) em 1 ponto percentual. A afirmação é de Marcelo Giufrida, sócio da gestora Garde Asset Management.

Para o experiente gestor, o BC brasileiro não deveria sequer esperar a reunião do Copom – prevista para acontecer amanhã e quarta-feira – e anunciar a redução de preferência ainda hoje.

Diante do pânico nos mercados provocado pela crise do coronavírus, como a Garde vem se posicionando para aguentar o solavanco? Giufrida me disse que a gestora reduziu as posições de risco, mas que esse movimento acaba sendo pouco perceptível diante da alta volatilidade recente.

Com o dólar nas alturas e a bolsa derretendo, há pouco espaço para investidas mais ousadas. De todo modo, ele vê hoje o mercado de juros como o que parece reunir mais fundamentos. Ou seja, depois da disparada das taxas no mercado futuro na última semana há espaço para apostas na queda.

“O choque do coronavírus é recessivo, e o país ainda tem juro positivo e inflação comportada” – Marcelo Giufrida, Garde Asset Management

O sócio da Garde também vê oportunidades no mercado de ações, embora em menor grau. “Algumas empresas hoje estão valendo menos que o seu próprio caixa”, disse.

Jogo sem árbitro

O problema é que, ao contrário do mercado de juros, “a bolsa é um jogo que não tem árbitro”, na definição de Giufrida. Isso significa que a valorização das ações depende sempre de ter um comprador na outra ponta.

Para o sócio da Garde, dos três principais mercados, o câmbio é mais complicado no momento. De um lado, a desaceleração da economia global pressiona a conta corrente do país, o que reforça a tendência de alta do dólar. Do outro, o BC deve atuar para conter uma desvalorização mais aguda da moeda, que já passou por um forte ajuste.

“Temos dólar hoje mais como seguro, com uma posição levemente comprada”, me disse Giufrida.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Olimpíadas da bolsa

Ibovespa acima dos 140 mil pontos? Para a maioria dos assessores da XP, isso deverá ocorrer ainda em 2021

A pesquisa entrevistou profissionais do ramo para obter a visão dos assessores e, principalmente, dos seus clientes sobre os rumos da bolsa brasileira

Um olho no peixe...

EUA: Casa Branca comemora avanço do PIB no 2º trimestre, mas alerta para incertezas econômicas

O governo defendeu sua proposta de investimentos em infraestrutura como instrumento importante para manter o ritmo de crescimento

roxinho com mais crédito

Nubank promete aumentar limite em cartão de crédito de 35 milhões de clientes

Segundo a companhia, até o final de 2021, 10 milhões de clientes serão impactados pela novidade do cartão; três milhões em agosto

A vida depois da pandemia?

Ações da Multiplan sobem 5% após balanço que mostra recuperação dos shoppings

Resultados mostram avanço nas vendas e nas receitas de aluguel, à medida que a vacinação avança e os shoppings reabrem

Balanço sólido

Lucro líquido da Mastercard dispara 46% e vai a US$ 2 bilhões no segundo trimestre; resultado superou previsões dos analistas

O resultado foi impulsionado, segundo o CEO da empresa, pela contínua recuperação dos gastos domésticos e internacionais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies