Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-10T11:50:19-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Agora vai?

Fundo Verde, de Luis Stuhlberger, vê mais espaço para alta dos mercados

A vitória de Joe Biden nas eleições nos Estados Unidos, um dos fatores de incerteza que pesavam sobre os mercados, reduz a volatilidade inerente do estilo Trump de governar, segundo a gestora

10 de novembro de 2020
11:49 - atualizado às 11:50
Luis Stuhlberger fundo verde
Luis Stuhlberger, gestor do fundo Verde - Imagem: Leo Martins

Depois do rali dos primeiros dias de novembro puxado pela eleição nos Estados Unidos e os avanços na vacina contra coronavírus, o mercado tem espaço para mais. A análise é da Verde Asset, a gestora de Luis Stuhlberger.

Em sua carta mensal aos investidores, a Verde avalia que a eleição americana parece ter se resolvido da maneira mais favorável para o preço dos ativos.

Leia também:

A vitória de Joe Biden para a presidência, um dos fatores de incerteza que pesavam sobre os mercados, reduz a volatilidade inerente do estilo Trump de governar, segundo a gestora.

Ao mesmo tempo, a manutenção do controle do Senado pelos republicanos reduz os temores de uma agenda governamental muito à esquerda, especialmente envolvendo aumentos de impostos.

O lendário fundo Verde vem tendo um ano difícil em 2020, com uma queda acumulada de 1,96%, contra um CDI (indicador de referência) de 2,45%. Em outubro, o retorno foi negativo em 0,49%, graças à queda das posições em ações da carteira.

Além da eleição americana, no mês passado os mercados voltaram a ser afetados pela incerteza na condução da política fiscal no Brasil e o forte aumento de casos de coronavírus no exterior.

Sobre o risco fiscal, a Verde não vê novidades surgindo no curto prazo. “Os ativos brasileiros continuam a incorporar um prêmio de risco relevante relacionado a isso, o que não deve mudar tão cedo”, escreveu a equipe da gestora.

Quanto à segunda onda de casos de covid-19, a Verde destacou que já há sinais de desaceleração após implementação de medidas um pouco mais restritivas em vários países. “E mais ainda, estamos próximos da vacina — acabam de ser divulgados os resultados preliminares da candidata da Pfizer/BioNTech, mostrando uma eficácia de 90%, um resultado acima das expectativas otimistas dos analistas.”

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Pressão nos juros, Elon Musk mais rico e o brilho das ações das elétricas

As projeções de bancos e economistas para a alta da Selic não param de subir. É possível ver essa tendência semanalmente no boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central, em relatórios de diversas casas de análise e na curva dos juros futuros — que não param de ser revisados para patamares cada vez mais […]

ACIONISTAS FELIZES

Farra dos dividendos: Santander (SANB11), Klabin (KLBN11) e Porto Seguro (PSSA3) anunciam proventos; banco espanhol vai pagar R$ 3 bilhões aos acionistas

Confira mais detalhes sobre os valores por ação, previsão para o pagamento e a data-limite para entrar na festa de cada uma das três empresas

MERCADOS HOJE

Ibovespa volta a cair mais de 2% na véspera da decisão do Copom; inflação salgada e fiscal deteriorado comandaram o dia

O mercado financeiro aguarda ansioso pelas palavras do BC, que devem pesar a recente deterioração do cenário fiscal e a elevação dos preços. O Ibovespa teve novo dia de perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies