Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-01-10T18:31:09-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
MERCADOS HOJE

Ibovespa perde força e caminha para a sexta queda seguida; dólar fecha em alta e vai a R$ 4,09

Os dados mais recentes do mercado de trabalho nos EUA não provocam grandes reações nas bolsas americanas. Nesse cenário de tranquilidade, o Ibovespa interrompe a sequência de cinco quedas consecutivas e sobe

10 de janeiro de 2020
10:27 - atualizado às 18:31
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O mercado tirou a sexta-feira (10) para concentrar-se na agenda de dados econômicos. Afina, dois indicadores importantes foram reportados mais cedo: a inflação medida pelo IPCA no Brasil e as métricas do mercado de trabalho nos EUA.

E, em linhas gerais, os números ficaram ligeiramente aquém das expectativas dos investidores — fator que trouxe algum desconforto aos mercados durante a manhã, mas sem implicar em perdas às bolsas. Só que, durante a tarde, a situação mudou.

Na segunda metade do pregão, um tom mais cauteloso começou a ser visto nos ativos globais. E, para completar o quadro mais prudente, novas manifestações do governo americano em relação ao Irã, detalhando as sanções econômicas que serão impostas ao país, trouxeram mais cuidado às negociações.

Como resultado, o Ibovespa operava em queda de 0,27% por volta de 17h15, aos 115.630,41 pontos — mais cedo, chegou a subir 0,69%, aos 116.744,90 pontos. Com isso, o índice caminha para a sexta baixa consecutiva.

Nos EUA, as bolsas seguiram caminhos parecidos: agora, o Dow Jones (-0,40%), o S&P 500 (-0,21%) e o Nasdaq (-0,22%) caem, depois de iniciarem o dia com desempenho positivo.

O mercado de câmbio também perdeu impulso: o dólar à vista fechou em alta de 0,20%, a R$ 4,0934, após tocar os R$ 4,0624 durante a manhã (-0,56%). Lá fora, a moeda americana ficou no zero a zero em relação às divisas de países emergentes.

No exterior, o mercado digere os dados do payroll, o relatório do mercado de trabalho dos Estados Unidos. Ao todo, foram criados 145 mil empregos em dezembro, número ligeiramente abaixo da média das projeções dos analistas, de 159,5 mil. A taxa de desemprego ficou estável em 3,5%.

Por mais que a criação de postos de trabalho tenha ficado aquém das expectativas, os dados não despertam preocupação no mercado: a percepção ainda é a de que a economia americana está robusta, sem crescimento do desemprego — o que traz relativa tranquilidade à sessão.

Inflação em alta

Por aqui, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou agora pela manhã o resultado da inflação oficial do mês de dezembro, que ficou em 1,15% — superior ao esperado pelo mercado.

Esse é o maior resultado para o mês desde 2002. No acumulado do ano, o IPCA foi de 4,31%, acima do centro da meta estipulada pelo Banco central (BC), de 4,25%.

As pressões inflacionárias acendem um sinal amarelo nos mercados, mas ainda não trazem pânico aos investidores. Uma aceleração no IPCA em dezembro já era esperada, ainda em função do choque nos preços da carne — e, é bom ressaltar, a inflação ficou dentro da meta em 2019.

Assim, não há uma onda de pessimismo em função do cenário inflacionário do momento. A reação mais intensa aos números do IPCA foi vista no mercado de juros, com os DIs passando por ajustes positivos — os agentes financeiros veem menos espaço para novos cortes na Selic.

Veja como ficaram as curvas mais líquidas nesta sexta-feira:

  • Janeiro/2021: de 4,45% para 4,47%;
  • Janeiro/2023: de 5,67% para 5,68%;
  • Janeiro/2025: de 6,38% para 6,37%;
  • Janeiro/2027: de 6,73% para 6,74%.

Top 5

Veja abaixo os cinco papéis de melhor desempenho do Ibovespa nesta sexta-feira:

  • Metalúrgica Gerdau PN (GOAU4): +2,69%
  • Energias do Brasil ON (ENBR3): +2,43%
  • Eletrobras ON (ELET3): +2,26%
  • Gol PN (GOLL4): +2,18%
  • Cogna ON (COGN3): +2,15%

Saiba também quais são as maiores quedas do índice no momento:

  • Raia Drogasil ON (RADL3): -2,48%
  • Hapvida ON (HAPV3): -2,32%
  • CVC ON (CVCB3): -2,19%
  • Banco do Brasil ON (BBAS3): -1,78%
  • Bradesco ON (BBAS3): +1,72%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mercados Hoje

Ibovespa pega carona com aprovação da PEC dos precatórios e commodities para subir mais de 3%; juros futuros caem com PIB negativo

O Ibovespa aproveitou a melhora do quadro fiscal para buscar recuperação das quedas recentes, deixando em segundo plano o PIB negativo do terceiro trimestre

PAPAI NOEL NA B3

CPFL Energia (CPFE3) pagará R$ 1,5 bilhão em dividendos antes do Natal; parte da grana ainda pode ser sua

Parte do valor corresponde à última fatia dos R$ 1,7 bilhões em proventos anunciados em agosto e divididos em três parcelas

Reconhecida no exterior

Luiza Trajano é a única brasileira entre as 25 mulheres mais influentes de 2021

Luiza é apontada como uma das empresárias e líderes sociais mais notáveis do país, além de inspiração para empreendedores de todos os lugares

VÍDEO

O metaverso numa casca de noz: os analistas do Seleção Empiricus mostram como investir nas tendências do futuro

Confuso com o metaverso? Pois saiba que é possível ganhar dinheiro com ele hoje — e os analistas do Seleção Empiricus mostram como

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) luta para se manter nos US$ 56 mil, mas Solana (SOL) e Cardano (ADA) sobem após notícias positivas; confira

A pandemia de covid-19 pressiona os ativos de risco, como ações e criptomoedas; o bitcoin (BTC) segue em queda

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies