Menu
2021-04-14T18:49:12-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
mercados hoje

Ibovespa segue forte e acima dos 120 mil pontos mesmo após virada em NY

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego para se manter no azul

14 de abril de 2021
10:30 - atualizado às 18:49
Selo Mercados Touro e Urso Alta
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Pegando carona no bom momento das commodities, principalmente das empresas siderúrgicas, o Ibovespa caminha para o seu terceiro dia seguido de valorização, retomando o patamar dos 120 mil pontos.

Por volta das 16h30, o principal índice da bolsa brasileira subia 0,88%, aos 120.345 pontos. O dólar à vista tem um dia de alívio e recua 0,72%, a R$ 5,6765. A tendência positiva se manteve mesmo após a divulgação do Livro Bege nos Estados Unidos, que reacendeu a preocupação com a inflação americana.

O alívio no mercado brasileiro também reflete nos principais contratos de DI, após um dia de intensa alta. Confira as taxas do dia:

  • Janeiro/2022: de 4,78% para 4,76%
  • Janeiro/2023: de 6,71% para 6,65%
  • Janeiro/2025: de 8,41% para 8,36%
  • Janeiro/2027: de 9,02% para 8,98%

A sessão de ganhos tem sido movimentada e o Ibovespa tem se fortalecido ao longo da tarde, mesmo com o cenário interno negativo. Por aqui, além do vencimento de opções, temos um noticiário que segue conturbado em Brasília, com a CPI da Covid, Orçamento de 2021 e a PEC “fura-teto”.

Em Wall Street, as bolsas abriram o dia no azul e intensificaram a alta após o Departamento de Energia do país anunciar uma queda de 5,89 milhões de barris de petróleo nos estoques americanos, o que levou a commodity a uma alta de mais de 5%.

Mas a divulgação do Livro Bege do Federal Reserve, com as principais perspectivas econômicas para a economia americana, azedou o humor em Nova York. Isso porque o documento reforçou que os preços e a inflação devem seguir pressionados no curto prazo.

Ainda que o Federal Reserve e o Banco Central Europeu venham sinalizando que as medidas de estímulo devem se manter - e, inclusive, fizeram isso hoje - o mercado teme por uma guinada no sentido contrário.

As bolsas asiáticas fecharam em alta durante a madrugada e as bolsas europeias seguem o mesmo compasso, todas de olho nos sinais do Federal Reserve de que os juros americanos devem se manter baixos por um longo período de tempo.

Cereja do bolo

O setor de commodities segue garantindo um fôlego extra para o Ibovespa. O petróleo volta a ter um dia de avanço expressivo no mercado internacional - de olho no aquecimento da demanda e na queda dos estoques nos Estados Unidos - e puxa as ações da Petrobras, de grande peso no índice.

As ações das empresas do segmento de siderurgia seguem se destacando e dominam as maiores altas do dia. Não só a expectativa por obras de infraestrutura em todo o mundo alimenta esse movimento, mas também existe uma antecipação pelo encontro das empresas do setor com os principais clientes do governo, para discutir o abastecimento de aço no país.

Já as empresas do ramo de construção avançam após dados operacionais fortes do setor. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOME VALORVARIAÇÃO
USIM5Usiminas PNAR$ 20,924,76%
CVCB3CVC ONR$ 21,254,47%
CSNA3CSN ONR$ 47,004,26%
EMBR3Embraer ONR$ 16,383,93%
VALE3Vale ONR$ 107,313,60%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOME VALORVARIAÇÃO
ENEV3Eneva ONR$ 16,21 -3,40%
PCAR3GPA ONR$ 37,96 -2,94%
BTOW3B2W ONR$ 66,98 -2,90%
QUAL3Qualicorp ONR$ 29,04 -2,16%
COGN3Cogna ONR$ 4,24 -2,08%

Olhos em Brasília

O presidente do Senado federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) autorizou a formação do colegiado que investigará ações do governo federal contra a covid-19, chamada de CPI da Covid.

O requerimento, editado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pretende “apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados” nos primeiros meses de 2021.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, pretendia incluir estados e municípios nas investigações, que foram incluídos na proposta, mas apenas as verbas destinadas pelo governo central aos demais entes federativos.

Para tentar solucionar o problema do Orçamento de 2021, o governo pode seguir com a ideia de uma nova Proposta de Emenda à Constituição que permite que alguns gastos extrapolem o teto de gastos, indo na contramão da agenda liberal pretendida pelo mercado.

A ideia principal seria acomodar as emendas parlamentares presentes no Orçamento. O texto ainda precisa da sanção presidencial para ser aprovado - outro impasse. Enquanto a equipe econômica afirma que Bolsonaro deva retirar alguns pontos por abrirem espaço para pedaladas fiscais, o Congresso pressiona pela aprovação do Orçamento integralmente.

E a Selic?

Os movimentos do Banco Central brasileiro também são monitorados pelo mercado. Hoje, a repercussão fica com as falas do presidente do BC, Roberto Campos Neto.

Em entrevista, Campos Neto reforçou que a alta da Selic deve ser de 0,75 p.p na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que acontece nos dias 4 e 5 de maio, já que o cenário permanece o mesmo estabelecido no último encontro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies