🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Sob nova direção

Como o novo presidente pretende tornar o Banco do Brasil mais rentável

André Brandão quer fortalecer atuação do BB em áreas como o crédito rural e também ampliar a concessão de crédito em linhas com margens melhores (e com maior risco)

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
5 de novembro de 2020
11:12 - atualizado às 11:28
André Brandão, presidente do Banco do Brasil
André Brandão, presidente do Banco do Brasil - Imagem: Alan Santos/PR

André Brandão assumiu a presidência do Banco do Brasil em setembro, ainda no olho do furacão do coronavírus. Em sua primeira entrevista coletiva de resultados, ele ressaltou os efeitos da crise no balanço, mas sinalizou que o banco pode mais.

O novo presidente afirmou que tem como objetivo melhorar os indicadores de rentabilidade do BB. No terceiro trimestre, o retorno sobre o patrimônio da instituição ficou em 12%, o menor entre os quatro grandes de capital aberto na B3. O lucro do BB foi de R$ 3,5 bilhões, queda de 23,3% na comparação com o mesmo período de 2019 e ficou abaixo das projeções.

Leia também:

Brandão deu algumas pistas de como pretende reduzir a diferença no retorno para os concorrentes privados. Entre os focos está a melhora na experiência do cliente e redução de despesas.

“Não são só palavras ao vento. Nesse mundo novo de maior concorrência é preciso ter uma melhor experiência para o cliente continuar conosco”, disse o executivo, em entrevista realizada por videoconferência.

Do lado das receitas, o Banco do Brasil pretende reforçar a atuação nas áreas em que já possui presença importante. Uma delas é o agronegócio. “Não há outro banco com tanta informação sobre o setor.”

A ideia é ir além do crédito rural e atuar com outros tipos de produtos, como o financiamento de cadeias produtivas, consórcio e seguros. “Não queremos perder mais participação de mercado no setor”

Brandão também aposta em uma maior integração das linhas de negócios do Banco do Brasil. “Podemos criar uma relação cruzada, incluindo metas cruzadas, para extrair mais valor dos clientes no atacado e no varejo.”

O banco também deve ser um pouco mais ousado no crédito para melhorar os níveis de rentabilidade. Brandão disse que o BB pretende explorar linhas de financiamento com melhores margens (e mais risco), como o crédito pessoal e produtos para não-correntistas.

Cielo não está à venda

O presidente do Banco do Brasil disse que os planos de venda de ativos seguem em andamento, mas apenas nos negócios considerados não-estratégicos para a instituição.

O BB não pretende, por exemplo, se desfazer da participação na empresa de maquininhas de cartão Cielo, como o mercado chegou a especular. “A atividade de pagamentos é essencial para o banco. A nossa discussão com o parceiro [Bradesco] está em como melhorar experiência dos clientes”, afirmou.

Em outros negócios, como a unidade de gestão de fundos de investimento (BB DTVM), o banco continua estudando atrair um parceiro estratégico, segundo Brandão.

No pregão desta quinta-feira, as ações do Banco do Brasil (BBAS3) eram negociadas em alta de 0,99% por volta das 11h05. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar