Menu
2019-10-14T14:09:41-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
O lucrão voltou

Quebrando jejum que durava mais de um ano, BB Seguridade volta a ter lucro líquido acima de R$ 1 bilhão

Resultado veio acima das expectativas e fez a diretoria ampliar a dose de otimismo em relação aos números em 2019

6 de maio de 2019
19:34 - atualizado às 14:09
Fachada do edifício sede do Banco do Brasil em Brasília.
Resultados da BB Seguridade vieram fortes no 1º trimestre - Imagem: Fernando Bizerra/Agência Senado

Ô, o bilhão voltou! A BB Seguridade, holding que concentra os negócios de seguros do Banco do Brasil, superou uma sequência de jejum ao registrar no 1º trimestre de 2019 um lucro líquido ajustado de R$ 1,01 bilhão. O resultado, acima das estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, marcou um crescimento de 11,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a companhia registrou R$ 907,389 milhões de lucro.

E a holding do BB tem motivos de sobra para justificar a alta no lucro. O balanço divulgado nesta segunda-feira, 6, mostra que o desempenho foi apoiado na evolução de 60,8% do resultado financeiro das empresas do grupo, combinando fatores como deflação do IGP-M e alta do IPCA, que juntos jogaram os resultados com planos de previdência para o alto.

A companhia encerrou março com patrimônio líquido de R$ 7,792 bilhões, cifra 20,5% menor em um ano. Antes os três meses anteriores, foi 14,1% maior. O retorno ajustado (RSPL) foi a 58,9% no primeiro trimestre, crescimento de 18,5 pontos porcentuais em um ano, de 40,4%. Nos três meses anteriores, estava em 41,4%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A BB Seguridade somava R$ 7,803 bilhões em ativos totais no primeiro trimestre, queda de 20,4% em um ano. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, o montante se reduziu em 28,4%.

Otimismo é a palavra de ordem

Os resultados trimestrais animaram a diretoria da BB Seguridade. Diante do lucro acima do esperado, a empresa manteve suas projeções anuais, esperando um crescimento entre 5% e 10% no lucro em 2019.

Sobre as reservas de previdência, a companhia diz esperar um salto de 7% a 10% no ano, sendo que no primeiro trimestre o aumento ficou em 9,0%.

Já sobre os prêmios relativos às áreas de seguro de vida, habitacional e rural, a empresa espera alta de 7% a 12% neste ano. De janeiro a março, cresceu 17,5%, também acima da expectativa.

Nem tudo são flores

O lucro pode ter subido, mas a BB Seguridade acabou amargando alguns reveses no trimestre. O primeiro deles é com relação ao patrimônio líquido, que encolheu 20,5% na comparação anual e fechou o trimestre em R$ 7,792 bilhões.

O segundo revés veio através dos prêmios e arrecadações, que encolheram 12% na comparação anual e fecharam março em R$ 11,189 bilhões. Destrinchando esses dados, a empresa apresentou alta de 15% em seus prêmios de seguros emitidos no canal bancário. Já os seguros de vida, habitacional e residencial cresceram 9,0%, 10,1% e 9,6%, respectivamente.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Engordando o caixa

Dona de Le Lis Blanc e Dudalina, Restoque anuncia oferta de ações que pode chegar a R$ 278 milhões

Preço final da oferta da Restoque só será definido no dia 18 de dezembro, após a conclusão do processo de bookbuilding, quando o procedimento de coleta de intenções é realizada

olho nos dados

Vendas do comércio no varejo reduzem ritmo e sobem 0,1% em outubro

Esse é o sexto mês consecutivo de crescimento, com um acréscimo de 2,7% no período; já no varejo ampliado, o volume de vendas cresceu 0,8% em relação a setembro de 2019

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

As taxas do Tesouro Direto abriram em queda nesta quarta-feira (11). O Tesouro IPCA+ 2024 (NTN-B Principal) é negociado com taxa de 2,20% ao ano mais IPCA, por um valor mínimo de R$ 58,99. O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (NTN-B) é negociado com taxa de 3,40% ao ano mais IPCA e aplicação mínima […]

Mais de 11 milhões de ações

BMG aprova programa de recompra de até 10% das ações em circulação

programa de recompra de ações do BMG entra em vigor nesta quarta-feira (11) e tem prazo de validade de um ano – até 8 de dezembro de 2020.

em brasília

Pacote de Moro e 2ª instância avançam

Bancada lavajatista não encarou esse sinal verde como uma vitória porque o pacote anticrime avalizado pela CCJ “carimbou” a mesma versão autorizada pela Câmara, que desidratou o projeto original

Aproximando banco do cliente

Banco Votorantim anuncia reposicionamento de marca e passa a se chamar BV

O Banco também apresentou um novo posicionamento de marca com a assinatura “leve para a sua vida”. A ideia é aproximar os clientes do banco, seguindo o case de sucesso das fintechs.

Não vai ter veto

Bolsonaro propõe fundo eleitoral de R$ 2,5 bi

Distribuição da verba para candidatos fica a critério das cúpulas partidárias, que, em geral, privilegiam políticos com mandato. Existe, ainda, o Fundo Partidário, que banca atividades do dia a dia das legendas

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Olho nos BCs, na Oi e na XP

Hoje será mais uma super quarta-feira, com decisões importantes dos bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos sobre suas taxas básicas de juros. No caso do BC brasileiro, o mercado quer conferir se o discurso vai mudar ou não após a recente escalada do dólar. O dia começa também com novidades relevantes sobre a […]

Vai mudar

Banco do Brasil reduz diretoria executiva e anuncia novos nomes para o conselho

Banco estatal passará por uma redução de sua diretoria executiva e reestruturação nas atribuições de cada cargo. Agora, a diretoria do banco será composta por 26 posições

será que vai prosperar a ameaça?

EUA ainda discutem tarifas; Brasil espera decisão antes do Natal

Até agora, a ameaça ficou limitada ao tuíte do presidente dos EUA, no qual ele sugeriu que Brasil e Argentina estavam desvalorizando suas moedas para aumentar a competitividade dos seus produtos no mercado internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements