Menu
2019-10-30T15:44:13+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Meu 1º objetivo

Solteiro, casal ou king size: qual deve ser o tamanho do colchão financeiro da sua reserva de emergência?

O colchão financeiro deve ser o primeiro objetivo financeiro de qualquer pessoa; mas quanto dinheiro deixar na reserva de emergência, afinal?

26 de outubro de 2019
6:00 - atualizado às 15:44
Dinheiro embaixo do colchão representa reserva de emergência
Reserva de emergência funciona como um colchão financeiro, que oferece segurança para acomodar imprevistos. Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Agora que investimento virou tema de conversa de bar e almoço de família, quem tem condição de guardar algum dinheiro já está mais ou menos familiarizado com a expressão "reserva de emergência".

Mas a verdade é que esse assunto é pouco sexy diante da concorrência de tópicos como bolsa de valores e criptomoedas.

As pessoas parecem mais interessadas em saber quais ações podem decolar diante da perspectiva de crescimento da economia brasileira ou em como investir em bitcoin do que em começar do começo: ter um colchão financeiro aplicado em investimentos bem tranquilinhos para situações de emergência.

A verdade é que, mesmo no mundo dos investimentos, se começa de baixo. Não dá para começar a investir se você tem dívidas de juros altos, como a do cartão de crédito; também não dá para começar a comprar em ações, debêntures e cripto se você não tem o básico: uma reserva de emergência.

Seu primeiro objetivo financeiro

Então antes de alçar voos maiores, é essencial fazer o dever de casa: juntar uma boa reserva financeira, nem que isso leve certo tempo, e mantê-la aplicada em investimentos conservadores, mesmo que eles não rendam muito.

É o famoso “dinheiro em caixa”. Assim, quando falamos de caixa, estamos falando justamente da reserva de emergência, e não de dinheiro parado na conta-corrente.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Somente depois de completar a sua reserva de emergência é que os recursos que você conseguir poupar devem ser destinados à chamada diversificação.

Em outras palavras, só o que você juntar além da reserva de emergência deve ir para investimentos com mais risco e com a capacidade de render acima da renda fixa tradicional, como ativos de crédito privado, renda variável, fundos multimercados e até criptomoedas.

A importância da reserva de emergência

Antes de mais nada, quero que fiquem bem claros os objetivos e a importância da reserva de emergência.

Ela se destina a situações como a manutenção do padrão de vida no caso da perda de um emprego; problemas de saúde graves na família; urgências domésticas, como a necessidade de fazer um conserto ou obra emergencial em casa ou no carro, e assim por diante.

Se você precisar mexer na sua reserva de emergência, deve começar a repor esses recursos assim que puder voltar a poupar.

Mas afinal, quanto deixar aplicado na reserva de emergência?

Especialistas recomendam que a reserva de emergência seja suficiente para cobrir os seus gastos por, no mínimo, três meses, mas eu acho esse prazo muito curto.

Eu recomendaria pelo menos um ano, uma vez que, no caso de desemprego, a recolocação no mercado de trabalho pode demorar.

Certa vez eu conversei com uma planejadora financeira que atende famílias com grandes fortunas, e ela foi ainda mais conservadora.

Para ela, quem ainda está construindo patrimônio deve manter o equivalente a três anos de despesas na reserva de emergência.

Já aquelas famílias que já têm um grande patrimônio devem reservar o equivalente a pelo menos cinco anos de despesas, uma vez que esse é o prazo médio dos ciclos econômicos e das crises.

Os recursos da reserva de emergência devem ficar aplicados em investimentos de baixo risco de crédito e alta liquidez, isto é, aplicações seguras e que possam ser resgatadas a qualquer momento.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Diplomacia

Bolsonaro e líderes tentam vender o peixe dos Brics a empresários

Presidentes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul contam a empresários o que têm feito para melhorar o ambiente de negócios

Na ponta do lápis

Natura, brMalls, Qualicorp… os balanços que movimentam os mercados nesta quinta-feira

Resultados das companhias vieram mistos, com dados positivos e negativos para todos os lados. Confira cada um deles

Seu Dinheiro na sua noite

A quarta-feira 13 da Via Varejo

Assim como no cinema, as histórias das empresas com ações na bolsa podem ser divididas em vários gêneros, para todos os gostos. Existem as comédias, estreladas por aquelas companhias que vivem arrancando sorrisos de seus acionistas com crescimento das operações e do lucro. Temos também os faroestes, de empresas em setores que enfrentam forte competição. […]

Corrupção em SP

Lava Jato fecha acordo de leniência de R$ 214 milhões com Andrade Gutierrez

Documento refere-se a ilícitos cometidos pela companhia em obras do Metrô de São Paulo, Prefeitura de São Paulo, CPTM, DERSA, EMTU e CODESP nos governos do PSDB

Medidas do governo

Pesquisa mostra que 57% dos brasileiros reprovam congelamento de salários de servidores

Levantamento da XP mostra também que o conhecimento sobre o pacote de reformas estruturais apresentado no início deste mês é limitado

O Disney Plus vem aí

Te cuida, Netflix: o novo serviço de streaming da Disney já tem 10 milhões de usuários

As ações da Disney dispararam com a informação de que, em apenas um dia, o novo serviço de streaming da companhia já conta com 10 milhões de usuários. E agora, Netflix?

Próximos passos

Banco dos BRICS quer trabalhar com mais empréstimos em moedas locais

NDB tem como foco o financiamento de projetos no Brasil, na Rússia, na Índia, na China e na África do Sul

Trato feito

Grupo Prumo e Siemens AG assinam acordo de cooperação em projetos de energia

Assinatura ocorreu durante a reunião do BRICs, em cerimônia que contou com a presença dos principais executivos das companhias envolvidas

Ficou difícil

Negociação EUA-China trava por questão de compras agrícolas, dizem fontes

Impasse sobre agricultura cria outro obstáculo no caso, conforme Pequim e Washington tentam fechar a fase 1 do acordo

Mantendo relações

Bolsonaro confirma viagem à Índia em janeiro de 2020

Mais cedo, presidente teve reunião com o presidente da China, Xi Jinping, para a assinatura de acordos bilaterais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements