Menu
2019-11-19T13:49:54-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
possíveis novatas

Hapvida, SulAmerica e Totvs devem entrar para o Ibovespa em janeiro, diz BTG

Futura carteira é válida até abril; a própria B3 ainda não divulgou nenhuma prévia da composição do índice; segundo analistas do BTG, nenhum papel deve deixar o Ibovespa

19 de novembro de 2019
11:38 - atualizado às 13:49
Sede da B3 em São Paulo
Sede da B3 em São Paulo - Imagem: Shutterstock

O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa, deve ganhar três novas ações em janeiro de 2020: a operadora de planos de saúde Hapvida (HAPV3), o grupo de seguros SulAmerica (SULA11) e a empresa de desenvolvimento de software de gestão Totvs (TOTS3).

A projeção é da equipe de análise do BTG Pactual e refere-se a carteira com validade até abril do próximo ano. É de praxe a bolsa rebalancear os papéis do Ibovespa a cada quadrimestre, assim como lançar prévias da futura composição - o que ainda não foi feito.

Nas contas dos analistas do BTG, as ações da Hapvida devem entrar com uma participação de 0,60% no Ibovespa e os papéis da SulAmerica terão participação de 0,77% no índice. Já os ativos da Totvs farão parte de 0,46% da carteira.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Em comum, as três companhias fizeram grandes oferta de ações e aquisições neste ano. A Hapvida levantou R$ 2,3 bilhões em julho e, no primeiro semestre, comprou os grupos São Francisco e o América. Os papeis acumulam alta de 74% desde janeiro.

Já o SulAmerica, cujos papeis tem alta de 84% no ano, vendeu por R$ 3 bilhões sua operação de automóveis e os chamados pelo setor de ramos elementares (que protegem o patrimônio, como casas e prédios) para a Allianz Seguros. Os recursos reforçaram o caixa da companhia, que mira operações nos ramos em que atua.

A Totvs, depois de captar R$ 1 bilhão em uma oferta subsequente de ações, comprou uma companhia focada em crédito B2B, entre clientes e fornecedores: a Supplier. A aquisição, feita em outubro, deve acelerar a estratégia de criar novos mercados. No ano, a valorização dos ativos é da ordem de 139%.

Quem mais pode entrar

Existe ainda uma chance de os papéis do Carrefour Brasil (CRFB3) aparecerem entre as novidades, mas se a renovação da carteira acontecesse hoje eles não entrariam, escreveram os analistas, em um relatório a clientes. Não é a primeira vez que o BTG coloca o Carrefour como uma possibilidade.

Antes da nova composição do Ibovespa, a bolsa divulga três prévias - a primeira no dia 2 de dezembro. O BTG não espera que nenhuma ação deixe o índice no próximo rebalanceamento.

Para as ações de uma empresa estarem no Ibovespa é preciso que elas estejam entre os ativos mais negociados da bolsa nos últimos 12 meses, tanto em volume quanto em presença nos pregões.

Cada ação tem um peso diferente, que leva em conta o seu valor de mercado em negociação na bolsa, o chamado free float. Ou seja, quanto maior o valor de mercado das ações negociadas de uma determinada empresa, maior a sua participação no índice.

A carteira atual tem 68 ações ou units (certificados de ações) de 65 empresas. As ações preferenciais do Itaú Unibanco (ITUB4) possuem hoje a maior participação no Ibovespa, com 9,4%.

Magazine Luiza, Petrobras e B3

Os especialistas do BTG ainda apontam uma possível alteração no peso de companhias que já fazem parte do índice: Magazine Luiza, Petrobras e B3.

Para eles, deve aumentar o peso dos papéis do Magazine Luiza no Ibovespa devido a mais recente oferta de ações da companhia.

No início de novembro, a varejista levantou R$ 4,3 bilhões na bolsa. Para os analistas, no próximo dia 28 a empresa deve ganhar 25 pontos-base na composição da carteira, tornando-se a 14ª companhia mais relevante da bolsa.

Petrobras e B3 devem perder participação: respectivamente, 0,33 pontos percentuais e 0,8 p.p. Mas será um movimento irrelevante, visto que os papéis dessas empresas têm alta liquidez, lembram os analistas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

UM DOS IPOs DO ANO

Presidente da XP diz que não descarta listar a companhia na bolsa brasileira

O executivo disse que a ideia sempre foi fazer uma listagem no Brasil, visto que a empresa sempre se posicionou “como disruptora do mercado local, democratizando investimentos”

POLÍTICA

Justiça derruba suspensão de deputados do PSL; Joice pode perder liderança

Nesta quarta-feira, Joice foi confirmada líder do PSL na Câmara e em sua primeira coletiva no cargo afirmou que vai buscar uma pacificação na bancada

Até que enfim!

Agência de risco S&P eleva perspectiva para nota do Brasil para “positiva”

Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A última superquarta do ano

Nesta última superquarta de 2019, o mercado ficou em compasso de espera pelas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e do Banco Central brasileiro. No meio da tarde, o Fed anunciou a manutenção das taxas de juros, interrompendo um ciclo de três reduções consecutivas. Mas como o resultado já […]

Sessão tranquila

Sem surpresas com o Fed, dólar cai a R$ 4,11 e Ibovespa fecha em leve alta

A primeira parte do script imaginado pelos mercados foi cumprida à risca: o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa de juros no país na faixa de 1,50% e 1,75% ao ano, conforme era esperado pelos agentes financeiros. E, sem nenhuma surpresa, o dólar à vista encontrou espaço para continuar caindo, enquanto […]

Menor juro da história

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,5% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Juros

Banco Central reduz juros para 4,5% ao ano, mas não garante novos cortes

Com a nova redução de 0,5 ponto percentual em decisão unânime tomada pelo Copom, a Selic renova a mínima histórica

Antes tarde do que nunca?

No dia do IPO da XP, CVM lança proposta para facilitar listagem de BDR

Se já estivesse em vigor, a regra permitiria a listagem de recibos de ações da XP na bolsa brasileira. CVM também pretende liberar investimento em BDR para o varejo

SEM BUROCRACIAS

Em evento na CNI, Bolsonaro faz acenos ao empresariado ao criticar “burocracias”

“Cada instrução normativa deve ser muito bem pensada. Deve atender ao interesse do Brasil. Não de grupos”, disse o presidente

MAIS MAGRINHA

Venda de 51% da Gaspetro com 20 distribuidoras deverá ser por IPO, diz Petrobras

“As conversas continuam com a Mitsui e a nossa expectativa é realizar a transação no mercado de capitais. Em 2015 a Petrobras vendeu 49% da empresa para a Mitsui e agora vamos vender nossa parte em bolsa”, disse Castello Branco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements