Menu
2019-08-07T17:00:51+00:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Cadê minha encomenda?

FedEx bate mais na Amazon e anuncia fim de acordo para entregas terrestres

Movimento é mais um claro sinal de que a empresa quer se afastar dos negócios de Jeff Bezos em busca de parcerias mais rentáveis

7 de agosto de 2019
14:44 - atualizado às 17:00
FedEx cancela entregas com a Amazon
FedEx - Imagem: Shutterstock

Nem pelo ar, nem pela terra. A companhia de logística FedEx deu outra paulada nos negócios da Amazon nesta quarta-feira (7) ao anunciar que não vai mais realizar entregas terrestres para a gigante do comércio eletrônico. O contrato de prestação de serviços se encerra no fim deste mês.

O movimento é mais um claro sinal de que a FedEx quer se afastar dos negócios de Jeff Bezos em busca de parcerias mais rentáveis. Em junho deste ano, a companhia já havia anunciado que não renovaria o contrato que tinha com a Amazon para entregas aéreas dentro dos Estados Unidos. O acordo expirou no fim de julho.

Assim como meses atrás, os investidores tentam digerir o que significaria o fim desse relacionamento. As ações da Amazon negociadas em Nova York caíam cerca de 1% no meio da tarde enquanto os papéis da FedEx perdiam 1,5%. Os ativos são influenciados em grande parte pelo clima negativo que se instalou nas bolsas mundo afora após o acirramento das disputas comerciais entre Estados Unidos e China.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Em linhas gerais, o mercado financeiro avalia como positiva a postura da FedEx em não mais fazer entregas para a Amazon. Em junho, a agência de classificação de risco Moody's chegou a afirmar em comunicado oficial que a empresa poderá alcançar margens mais generosas dentro de sua rede Express, ampliando o atendimento para novos clientes.

E é justamente esse o intuito da diretoria da FedEx. Em seu comunicado enviado via email para a imprensa norte-americana, os executivos afirmaram que "essa mudança é consistente com nossa estratégia de focar no mercado mais amplo de comércio eletrônico (...) e o recente anúncio relacionado à nossa rede terrestre da FedEx nos posicionou muito bem para fazer".

O outro lado da moeda

O rompimento desse negócio ocorre em um momento de franca competição no setor de logística de entrega, um mercado há muito tempo dominado por FedEx e UPS e que ganhou mais emoção com a chegada da Amazon. Ambas as empresas têm lutado para lidar melhor com a gigante de comércio eletrônico, que é ao mesmo tempo um grande cliente e uma ameaça.

Apesar de não afetar as operações da Amazon ao redor do planeta, o rompimento com a FedEx dentro dos Estados Unidos deve trazer uma pressão aos negócios de Jeff Bezos. Vale lembrar que a Amazon vem trabalhando no compromisso de entregas de curtíssimo prazo e possui o objetivo de concluir pedidos em apenas um dia. Tudo isso dentro de um plano de expansão estratosférico.

Não à toa a companhia tem investido pesado em logística. Para se ter uma ideia, os gastos mundiais com frete pela Amazon cresceram cerca de quinze vezes entre 2009 e 2018. No mesmo período, as vendas líquidas aumentaram sete vezes. Entre as principais medidas estudadas estão a ampliação da empresa própria de entregas, que competirá com as atuais parceiras, e o desenvolvimento de robôs que possam levar as encomendas de forma autônoma.

E não para por aí: Bezos também planeja gastar US$ 1,5 bilhão na construção de um aeroporto nos Estados Unidos que servirá de hub para os aviões cargueiros da empresa.

Ocorre, no entanto, que o plano da Amazon pode não se transformar efetivamente em uma grande ameaça. Ainda que a empresa de Bezos tenha adquirido 70 aviões e 10 mil caminhões, os analistas de mercado estimam que faltariam cerca de US$ 122 bilhões em investimentos para que a gigante do e-commerce alcance a estrutura que a UPS e a FedEx construíram nas últimas décadas.

*Com informações da Business Insider.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Aquecendo o mercado imobiliário

Novo programa habitacional pode ter verba de R$ 450 milhões em 2020

Governo quer substituir o atual programa habitacional por um sistema de “voucher”, um vale que assegurará um crédito às famílias para a casa própria

Destinos no Brasil e América do Sul

Latam Brasil amplia acordo de codeshare com a Qatar Airways

Agora bilateral, a parceria proporcionará aos clientes da Qatar Airways conexões para destinos em todo o Brasil e América do Sul

Seu Dinheiro na sua noite

Não é só a Previdência

Quando Paulo Guedes assumiu o comando da economia no governo Bolsonaro, formou-se no mercado um misto de grande expectativa e curiosidade. Afinal, era a primeira vez que o Brasil teria uma diretriz liberal “puro sangue”. Parte dos investidores esperava que as primeiras medidas de abertura comercial fossem tomadas logo em janeiro, já que não dependiam […]

Mercado paralelo

Unick Forex é alvo de operação da PF por esquema de pirâmide financeira

A empresa vinha sendo investigada por atuar no mercado financeiro paralelo com a captação ilegal de recursos de cerca de um milhão de clientes

Caged saindo do forno

Saldo líquido de emprego formal foi positivo em 157.213 vagas em setembro

Saldo de setembro do Caged decorre de 1,341 milhão de admissões e 1,184 milhão de demissões

Não está sendo fácil

Campos Neto destaca nos EUA choques internacionais que afetaram PIB em 2019

Apresentação do presidente do BC mostra que a projeção do mercado financeiro para o crescimento do Produto Interno Bruto em 2019 é de 0,87%

Crise profunda no PSL

Bolsonaro tenta derrubar líder na Câmara, sofre derrota e destitui Joice Hasselmann da liderança no Congresso

Presidente atuou pessoalmente para tentar derrubar Delegado Waldir, mas movimento foi falho e apenas aprofundou a crise no partido

falam os analistas

UBS eleva preço-alvo da Via Varejo, mas diz que ainda não é hora de comprar a ação da companhia

Analistas do banco suíço avaliam que mudanças promovidas na varejista após a retomada do controle acionário pelo bloco da família Klein ainda não são suficientes para recomendar a compra dos papeis, que ontem fecharam cotados a R$ 7,82

Tá bem na fita

Santander recomenda compra das ações do Banco Pan, chama ativo de “melhor dos dois mundos” e papéis disparam na bolsa

Setor de investimentos do banco espanhol iniciou sua cobertura das ações com um preço-alvo de R$ 14

Balanço SPE

Queda do juro no Brasil é estrutural, diz Ministério da Economia

Entre 2011 e 2013, queda de juros foi feita “na marra” e se tornou insustentável. Agora, Selic menor é vista como sustentável

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements