🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa agora: Petrobras (PETR4) volta a acelerar queda e Ibovespa fecha próximo das mínimas; dólar sobe a R$ 5,20

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
2 de março de 2023
7:12 - atualizado às 18:31

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou não sucumbir à pressão dos ruídos envolvendo o futuro da Petrobras (PETR4) e do cenário fiscal, mas não deu para escapar.

Em um pregão negativo, o principal índice da bolsa brasileira acelerou o ritmo de queda nos últimos minutos e fechou o dia próximo das mínimas.

O resultado da estatal foi considerado histórico, mas a perspectiva de tempos de vacas magras no pagamento de dividendos e o fim do enxugamento do portfólio da companhia derrubaram os papéis da petroleira.

Falas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, também contribuíram para o mau humor. Em dia de divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) que comprovou a desaceleração do crescimento brasileiro, Haddad pareceu disposto a antecipar o envio da proposta do novo arcabouço fiscal — o que parte do mercado leu como uma provocação ao Banco Central.

Confira os destaques do dia:

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Na ponta positiva do índice, a EDP (ENBR3) liderou os ganhos após a proposta de fechamento de capital quase irrecusável feita aos seus acionistas. Confira os melhores desempenhos do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
ENBR3Energias do Brasil ONR$ 22,5214,72%
BRFS3BRF ONR$ 6,743,85%
BRKM5Braskem PNAR$ 20,473,65%
EMBR3Embraer ONR$ 17,382,90%
CASH3Meliuz ONR$ 0,812,53%

Na ponta contrária, o setor de saúde foi pressionado pelos números fracos da Hapvida (HAPV3) na véspera, caindo em bloco. Confira as maiores quedas da sessão:

CÓDIGONOMEULTVAR
QUAL3Qualicorp ONR$ 4,44-5,13%
BBAS3Banco do Brasil ONR$ 37,43-4,03%
RRRP33R Petroleum ONR$ 31,29-4,02%
RDOR3Rede D'Or ONR$ 23,68-3,90%
BEEF3Minerva ONR$ 11,00-3,59%
FECHAMENTO DO DIA

O Ibovespa encerrou o dia em queda de 1,01%, aos 103.325 pontos, pressionado pelas ações da Petrobras (PETR4). 

FECHAMENTO EM NOVA YORK

Os índices em Wall Street encerraram o dia em um tom bem mais otimista do que o visto no início da sessão. Isso porque um dos dirigentes do Federal Reserve, Raphael Bostic, trouxe tranquilidade aos investidores.

Em sua fala, Bostic deixou claro que não vê espaço para que o Fed volte a acelerar o ritmo do aperto monetário, com espaço para uma pauta em breve.

Foi o que o mercado precisava para abandonar o terreno negativo. Os índices ganharam força principalmente na reta final do pregão, renovando as máximas.
Confira os principais índices no fechamento:

  • Nasdaq: + 0,73%
  • S&P 500: +0,76%
  • Dow Jones: + 1,05%
RENOVANDO MÍNIMAS

O Ibovespa intensificou o ritmo de queda nos últimos minutos da sessão. O movimento coincide com a digestão de falas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, sobre o cronograma para o envio do novo arcabouço fiscal, e também com uma piora na cotação das ações da Petrobras (PETR4)

FECHAMENTO

O dólar à vista encerrou o dia em alta de 0,24%, a R$ 5,2039.

ANALISTAS ELEGEM AS AÇÕES DE UM 'BANCÃO' E DE UMA MINERADORA COMO AS MAIS RECOMENDADAS DE MARÇO

Quem acompanhou a bolsa brasileira ao longo de fevereiro presenciou um um verdadeiro massacre. Ações de diversos setores sofreram com as tensões políticas e fiscais, além das reviravoltas corporativas com novos desdobramentos do caso Americanas (AMER3) e outros pedidos de recuperação judicial.

Em meio ao cenário caótico, o Ibovespa — principal índice acionário da B3 — despencou 7,49% no período.

Como boa parte dos ruídos que provocaram esse tombo seguem rondando o mercado, os analistas das corretoras consultadas pelo Seu Dinheiro não deram chance para o azar em março e escolheram ações conhecidas pela solidez para o posto de favoritas do mês.

Com quatro indicações cada, Itaú Unibanco (ITUB4) e Vale (VALE3) são os papéis mais recomendados para o período.

Leia mais.

NÃO SUSTENTOU

Depois de ir pontualmente ao campo positivo, o Ibovespa voltou a perder fôlego. O movimento acompanha o início da primeira coletiva de imprensa do novo presidente da Petrobras (PETR4), Jean Paul Prates.

DESTAQUE DO DIA

Apesar dos rumores de uma eventual venda e fechamento de capital que de tempos em tempos viram manchete, a C&A (CEAB3) parece não ter se deixado abalar e fez muito bem o seu dever de casa no último trimestre de 2022. 

Pelo menos é o que mostram os números do balanço divulgado na noite de ontem (01) e que empolgam o mercado nesta quinta-feira (02).

Por volta das 13h, os papéis CEAB3 apresentavam alta de mais de 15%, a R$ 2,26. Acompanhe a nossa cobertura completa de mercados.

O resultado acima do esperado é ainda mais valorizado diante dos ventos adversos que pressionaram os últimos meses de 2022 — o clima mais frio anormal para o período fez a coleção de verão empacar, a Copa do Mundo fora de época reduziu o fluxo nos shoppings e o cenário macroeconômico mais desafiador que afugenta clientes. 

Leia mais.

A SUSPENSÃO DAS PRIVATIZAÇÕES DA PETROBRAS VAI PEGAR A 3R PETROLEUM DE JEITO?

A ordem do governo foi clara: a Petrobras (PETR4) deve suspender a venda de ativos por 90 dias. E o efeito dela também: os papéis da estatal reagiram em queda à demanda federal e arrastaram outras petroleiras, entre elas a 3R Petroleum. Na ocasião, as ações caíram 7% — será que o mercado castigou demais a RRRP3?

O pedido do Ministério de Minas e Energia (MME) veio em razão da reavaliação da Política Energética Nacional atualmente em curso e da instauração de nova composição do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

Segundo a Petrobras, a ordem respeita as regras de governança da estatal e compromissos assumidos com entes governamentais, "sem colocar em risco interesses intransponíveis da Petrobras".

Os efeitos sobre a 3R Petroleum

Se, para a Petrobras, o pedido não tem efeitos mais profundos, o mesmo não pode ser dito da 3R Petroleum. 

Leia mais.

NO AZUL

O Ibovespa segue ganhando força e passou pontualmente para o campo positivo. Por volta das 14h57, o principal índice da bolsa subia 0.03%

A PETROBRAS (PETR4) PODE NUNCA MAIS DISTRIBUIR DIVIDENDOS ASTRONÔMICOS — E, EM PARTES, ISSO NÃO É CULPA DO LULA NEM DO PT

Alguns motivos ajudam a explicar o lucro recorde de R$ 188,3 bilhões anunciado pela Petrobras (PETR4) na quarta-feira (1º), entre eles a venda de ativos e a atual política de preços da empresa, especialmente para importações. Mas outro fator chave está na cotação do barril de petróleo — que chegou ao pico de US$ 127,98 em março passado — um fato que não deve se repetir.

Logo, vai ser difícil a companhia repetir o feito e bater mais um recorde de lucro, independente da sua administração — aqui não importa se temos Bolsonaro ou Lula no comando. E sem lucro recorde também não existe dividendo inédito no bolso de nenhum acionista.

E, durante teleconferência realizada mais cedo, o novo presidente da estatal, Jean Paul Prates, foi bastante questionado sobre possíveis mudanças na política de distribuição de proventos da empresa daqui em diante.

Vale lembrar que essa foi a primeira aparição dele neste tipo de evento com o mercado.

Leia mais.

FECHAMENTO NA EUROPA
  • Frankfurt: +0,15%
  • Londres: +0,40%
  • Paris: +0,69%
  • Stoxx-600: +0,41%
VAI MUDAR OU NÃO?

Entre desencontros de discursos do ministro da Fazenda, da Petrobras e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a estatal soltou um novo comunicado afirmando que a diretoria não há qualquer discussão na diretoria do grupo executivo de mercado e preços sobre uma alteração na política de preços.

Após começar o dia em forte queda, as ações da companhia reduziram o ritmo do ajuste, favorecendo uma recuperação do Ibovespa.

O PIB E A QUEDA DE BRAÇO ENTRE LULA E BC

A dinâmica do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2022 explica pelo menos em parte por que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou o Banco Central (BC) para a briga nos primeiros meses de seu governo.

A economia brasileira cresceu 2,9% no acumulado de 2022, o último ano de Jair Bolsonaro na presidência. Entretanto, a maior parte do crescimento deu-se no primeiro semestre.

No último trimestre do ano passado, o PIB recuou 0,2% em relação ao período anterior, dando continuidade a uma desaceleração que já vinha sendo antecipada pelos economistas.

Os dados consolidados da economia brasileira em 2022 foram divulgados nesta quinta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia mais.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

O Ibovespa cai 0,32%, aos 104.050 pontos.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
ENBR3Energias do Brasil ONR$ 22,8316,30%
CASH3Meliuz ONR$ 0,857,59%
PRIO3PetroRio ONR$ 35,014,88%
BRFS3BRF ONR$ 6,723,54%
SMTO3São MartinhoR$ 28,312,95%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
QUAL3Qualicorp ONR$ 4,47-4,49%
MULT3Multiplan ONR$ 24,68-2,99%
PETZ3Petz ONR$ 6,18-2,98%
BBAS3Banco do Brasil ONR$ 38,04-2,46%
ABEV3Ambev ONR$ 13,15-2,38%
COMO ANDAM OS MERCADOS

Com o PIB do quarto trimestre um pouco abaixo do esperado e o crescimento da economia em 2,9% em 2022, também menor que as expectativas, somado ao cenário corporativo têm imprimido maior cautela sobre os ativos na bolsa de valores.

O Ibovespa cai 0,40%, aos 103.965 pontos. O dólar à vista sobe a R$ 5,2171 e a curva dos juros futuros ampliam a trajetória de alta.

O índice da bolsa brasileira é tracionada para baixo com a repercussão do balanço da Petrobras (PETR4), que apesar do lucro recorde em 2022, traz incertezas quanto ao pagamento de dividendos bilionários, ainda sujeito à apreciação do conselho de administração em 27 de abril.

Os investidores temem que o governo, acionista majoritário da companhia, vete a distribuição dos proventos, em meio ao pedido do Ministério de Minas e Energia de suspensão da venda de ativos por 90 dias para reavaliação da política de preços.

Os papéis da estatal operam em queda acima de 2% desde a abertura dos negócios.

Contudo, as perdas do Ibovespa são limitadas pelo avanço do setor de commodities metálicas. O minério de ferro encerrou as negociações em Dalian, na China, em alta de 1,56%, com a tonelada a US$ 133,34.

Além da Petrobras (PETR4), os destaques do Ibovespa são a EDP (ENBR3), que dispara mais de 16% com o anúncio do fechamento do capital, e Prio (PRIO3), com alta de quase 5% repercutindo o balanço trimestral, também divulgado ontem (1º) e a alta do petróleo no mercado internacional.

Na ponta negativa, o setor de saúde recua com a alta dos DIs e bancos caem com projeções de resultados mais fracos nos próximos trimestres, ainda repercutindo relatório do Bradesco publicado ontem (1º).

No exterior, a agenda esvaziada nos EUA resulta em cautela moderada dos investidores e bolsas sem direção única. Confira o desempenho de Nova York:

  • Dow Jones: +0,21%;
  • S&P 500: -0,31%;
  • Nasdaq: -0,57%.
JUROS FUTUROS AVANÇAM

Os juros futuros (DIs) intensificaram alta em toda a curva, acompanhando os Treasures, após a ministra do Planejamento, Simone Tebet, afirmar que espera "um gesto positivo a favor do Brasil na próxima reunião do Copom".

A ministra, em conversa com a imprensa momentos antes do relançamento do Bolsa Família, disse ainda que o resultado do PIB mostrou que a inflação brasileira "não é de demanda" e dá oportunidade do Executivo conversar com o Banco Central sobre o assunto.

Esse é mais um ponto em meio à série de críticas ao BC sobre a política de juros e a manutenção da Selic em dois dígitos.

Confira como estão os DIs:

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,35%13,30%
DI1F25DI Jan/2512,82%12,64%
DI1F26DI Jan/2612,98%12,78%
DI1F27DI Jan/2713,20%12,99%

ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas americanas operam em tom misto, à espera de falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed). Os investidores repercutem os pedidos de desemprego da semana, que somaram 190 mil, abaixo da expectativa do mercado.

Confira a abertura em NY:

  • Dow Jones: +0,20%;
  • S&P 500: -0,49%;
  • Nasdaq: -0,91%.

A queda de mais de 2% nos papéis da Petrobras (PETR4) pesam sobre o Ibovespa, que passou a cair 0,12%, aos 104.264 pontos.

PRIO (PRIO3) SOBE COM AVANÇO DO PETRÓLEO E BALANÇO DO 4T22

As ações da Prio (ex-PetroRio; PRIO3) sobem 4,85% e figura entre as maiores altas do Ibovespa. Os papéis acompanham o avanço do petróleo no mercado internacional e a repercussão do balanço trimestral, divulgado ontem (1º) pela companhia.

A petroleira reportou um lucro líquido de US$ 189,819 milhões no quarto trimestre de 2022, uma alta de 19% na comparação com o mesmo período de 2021, quando registrou lucro de US$ 160,095 milhões (ex-IFRS 16). No ano, o lucro acumulado foi de US$ 711,542 milhões, um avanço de 193% em relação ao ano anterior.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) entre outubro e dezembro foi de US$ 168,685 milhões, queda de 23% na comparação anual. Já o indicador ajustado ficou em US$ 116,801 milhões no período, recuo de 47% em relação ao quarto trimestre de 2021.

No acumulado, o Ebitda Ajustado foi recorde e alcançou US$ 900,244 milhões, 71% acima dos US$ 525,401 registrados um ano antes.

*Com informações de Broadcast

MARFRIG (MRFG3) CAI COM BALANÇO

As ações de Marfrig (MRFG3) aliviaram queda, mas ainda recuam 2,44%, a R$ 6,41, com investidores repercutindo o balanço.

Marfrig Global Foods encerrou o quarto trimestre de 2022 com prejuízo líquido de R$ 628 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 650 milhões em igual período de 2021, informou a companhia nesta quarta-feira 1º) depois do fechamento dos mercados.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de R$ 2,2 bilhões, recuo de 52,1% ante o quarto trimestre de 2021, e muito abaixo da expectativa do mercado.

O Ebitda ajustado recuou 46,8%, de R$ 4,181 bilhões para R$ 2,225 bilhões no quarto trimestre de 2022, enquanto a margem do Ebitda ficou em 6% contra 17,5% um ano antes. Já a receita líquida aumentou 56,2% nos últimos três meses do ano, de R$ 23,94 bilhões em 2021 para R$ 37,38 bilhões em 2022.

O Ibovespa sobe 0,30%, aos 105.702 pontos com impulso das commodities metálicas.

O dólar à vista também registra alta a R$ 5,2136.

Oi (OIBR3) CAI COM RETORNO À RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Oi (OIBR3) cai 7,39%, a R$ 1,88 com o retorno da empresa à recuperação judicial.

A Oi anunciou nas primeiras horas de hoje o ajuizamento do pedido de recuperação judicial da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro.

No início de fevereiro, a justiça fluminense aceitou um pedido feito pela empresa de telefonia para proteger-se de seus credores.

Concedida em caráter liminar, a proteção tinha validade de 30 dias - motivo pelo qual um pedido formal de recuperação judicial era esperado a qualquer momento.

Os argumentos apresentados na formalização do pedido de recuperação judicial são parecidos com os da requisição de tutela cautelar.

Leia mais.

SOBE E DESCE DA BOLSA

O Ibovespa sobe 0,10%, aos 104.491 pontos, impulsionado pelo avanço das commodities metálicas.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
ENBR3Energias do Brasil ONR$ 23,0717,52%
PRIO3PetroRio ONR$ 34,844,37%
RRRP33R Petroleum ONR$ 33,522,82%
CASH3Meliuz ONR$ 0,812,53%
CIEL3Cielo ONR$ 4,852,11%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
MRFG3Marfrig ONR$ 6,17-6,09%
BRFS3BRF ONR$ 6,26-3,54%
QUAL3Qualicorp ONR$ 4,56-2,56%
ABEV3Ambev ONR$ 13,20-2,00%
BEEF3Minerva ONR$ 11,21-1,75%

EDP (ENBR3) DISPARA COM FECHAMENTO DE CAPITAL

As ações da EDP Brasil (ENBR3) disparam 17,22%, a R$ 23,03 com o anúncio do fechamento de capital. O papel lidera os ganhos do Ibovespa desde a abertura.

Os controladores estão dispostos a pagar R$ 24 por ação da empresa de energia, o que representa um prêmio de 22% em relação ao fechamento das ações ontem na B3 (R$ 19,63). Desta forma, a OPA pode movimentar em torno de R$ 5,7 bilhões.

No documento, a empresa portuguesa que atua no Brasil no setor elétrico cita “um ambiente internacional particularmente desafiador, devido ao cenário de altas taxas de juros”.

Leia mais.

O Ibovespa inverteu o sinal e sobe 0,38%, aos 104.780 pontos, com o alívio da queda das ações da Petrobras (PETR4).

As commodities impulsionam o índice de bolsa para o tom positivo, com avanço das companhias PRIO (PRIO3), 3R Petroleum (RRRP3).

PETROBRAS (PETR4) RECUA COM INCERTEZAS

Apesar de registrar lucro recorde em 2022, a Petrobras (PETR4) opera em alta volatilidade no Ibovespa. Os investidores seguem cautelosos quando ao pagamento R$ 35,8 bilhões em dividendos, que ainda carece de aprovação pela assembleia em 27 de abril.

As ações preferenciais da estatal, sob o ticker PETR4, caem 0,36%, a R$ 25,21.

A Petrobras (PETR4) registrou um lucro líquido recorde de R$ 188,3 bilhões em 2022, bastante impulsionada pela alta nos preços do petróleo ao longo do ano. Isso representa um aumento de 76,6% em relação ao ano anterior, quando a companhia lucrou R$ 106,668 bilhões — seu maior recorde até então.

ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa abriu em queda de 0,13%, aos 104.249 pontos, enquanto os futuros americanos operam sem direção única.

Os investidores repercutem o crescimento de 2,9% da economia brasileira em 2022, um pouco abaixo das expectativas de avanço de 3% no ano. Além disso, o cenário corporativo deve dar o tom do Ibovespa nesta quinta-feira (2).

Entre os resultados, o destaque vai para Petrobras (PETR4), que registrou lucro recorde de R$ 188,3 bilhões em 2022.

ADRS DE VALE E PETROBRAS

Os recibos de ações (ADRs) das companhias Vale e Petrobras, negociados em NY, operam em tom misto, com a repercussão do balanço da estatal e movimento de correção dos ganhos da sessão anterior da mineradora.

Os índices futuros de NY operam sem direção única, à espera de falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed).

Confira.

  • Vale (VALE3): -0,58%, a US$ 17,22.
  • Petrobras (PBR): +1,44%, a US$ 11,25
EDP BRASIL (ENBR3) VAI FECHAR CAPITAL E OPERAÇÃO PODE MOVIMENTAR ATÉ R$ 12,5 BI

O grupo português EDP pretende fechar o capital da EDP Brasil (ENBR3) na bolsa brasileira. Em comunicado enviado à CVM, a companhia afirma que deu início ao processo de Oferta Pública de Aquisição de ações, conhecido como OPA.

Os controladores estão dispostos a pagar R$ 24 por ação da empresa de energia, o que representa um prêmio de 22% em relação ao fechamento das ações ontem na B3 (R$ 19,63). Desta forma, a OPA pode movimentar em torno de R$ 5,7 bilhões.

Após a abertura do Ibovespa, os papéis engataram uma alta de 17,83% e chegaram a ser negociados por R$ 23,10 por volta das 10h32 — com os investidores em busca do "número mágico" de R$ 24 por ação.

No documento, a empresa portuguesa que atua no Brasil no setor elétrico cita “um ambiente internacional particularmente desafiador, devido ao cenário de altas taxas de juros”.

Leia mais.

MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

PAGAR DIVIDENDOS OU NÃO PAGAR, EIS A QUESTÃO

Lá fora, os mercados da Ásia e do Pacífico tiveram um desempenho predominantemente negativo, com os investidores se preparando para novos aumentos dos juros nos países desenvolvidos à frente, já que os membros do Federal Reserve reiteraram que mais elevações da taxa são necessárias para domar a inflação — o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, por exemplo, afirmou ontem que o Fed continuará trabalhando da mesma forma até que a missão seja cumprida. 

Nem a perspectiva de um crescimento chinês da ordem de 5,5% neste ano, em comparação com os 3% de 2022, parece animar os mercados globais.

Consequentemente, os ativos europeus e os futuros americanos seguem caindo nesta manhã, diante da cautela diante da divulgação de resultados, apresentação dos dados de desemprego e entrega dos números da inflação europeia de fevereiro (como tivemos surpresa na França, Espanha e Alemanha, os investidores estão ansiosos.

A ver…

00:44 — Digerindo o resultado da Petrobras

No Brasil, tivemos ontem o já muito antecipado resultado da Petrobras. Ao longo do pregão, as ações da companhia tiveram um desempenho negativo, mas zeraram as perdas na reta final do dia, virando para uma alta marginal. Trata-se de um curioso movimento de reversão.

Além de indicar certa força do papel, mostra como o mercado estava dividido sobre o resultado, especulando sobre uma possível mudança na política de dividendos. Então vamos aos números.

A Petrobras reportou lucro líquido de R$ 43,3 bilhões no 4T22 (+37,6% vs 4T21) e R$ 188,3 bilhões em 2022 (+76,6% vs 2021). No trimestre, o Ebitda foi de R$ 73 bilhões, enquanto no ano a proxy de geração de caixa potencial (destaque para proxy e potencial) marcou R$ 340,5 bilhões, crescendo 16% e 45%, respectivamente.

De maneira geral, os números vieram em linha com o esperado. Agora, o que chama a atenção é a política de dividendos. Tivemos R$ 35,7 bilhões em dividendos no trimestre, totalizando R$ 216 bilhões em 2022, mais que o dobro pago em 2021.

Para a última distribuição, que deveria ser de R$ 2,7457 por ação, a companhia propôs a criação de uma reserva estatutária de R$ 6,5 bilhões, que seriam retidos da distribuição — ainda não houve esclarecimento sobre o que será feito com a reserva, pende de aprovação pelo conselho. Sabíamos que haveria revisão na política de dividendos, isso não é surpresa.

Eu só espero que o governo se lembre de que União é dona de quase 30% da companhia, enquanto o BNDES e o BNDESPar são donos de mais 8%, sendo o maior beneficiado pela política de dividendos (o acionista malvado da Gleisi é o próprio Lula). Durante o governo Bolsonaro, para vocês terem uma ideia, a Petrobras colocou nos cofres públicos mais de R$ 500 bilhões. Não é irrelevante.

02:11 — Afinal, está ou não desacelerando

Nos EUA, tivemos ontem a divulgação dos dados de fabricação do Institute for Supply Management. O índice dos gerentes de compras de fevereiro ficou em 47,7 pontos, ligeiramente acima dos 47,4 do mês anterior e em linha com as expectativas de mercado. Como a leitura foi abaixo de 50 pontos, temos uma contração na atividade.

Para a manufatura dos EUA, a queda é uma função da mudança pós-pandêmica dos gastos com bens para serviços. Adicionalmente, um dólar americano forte também torna os produtos americanos menos competitivos no exterior. Vemos que os dados econômicos continuam a apresentar um quadro geral confuso.

02:41 — A inflação europeia

Tivemos nesta manhã a inflação na Zona do Euro, que avançou 0,8% em fevereiro na comparação mensal, depois de cair 0,2% em janeiro. Na comparação anual, o índice foi de 8,5% versus 8,2% esperado. Ou seja, ainda temos uma inflação consideravelmente forte na Europa, principalmente porque o núcleo do índice, que exclui os itens mais voláteis, avançou 5,6%, de 5,3% em janeiro, acima das expectativas.

Sabemos agora que, conforme os demais índices de preços europeus desta semana nos disseram, a inflação ao consumidor na Europa está com viés altista. Isso pressiona o BCE a manter seu discurso duro contra a inflação, subindo mais os juros — sobre o tema, os investidores vão conferir a ata da última reunião do BCE, a ser divulgada hoje. Fala de autoridades monetárias também são esperadas. 

03:20 — Um maior crescimento chinês

O entusiasmo dos investidores diminuiu um pouco com a reabertura econômica da China depois que Pequim desmantelou seus rígidos controles Covid-19 em dezembro, enquanto o mercado busca mais evidências para avaliar o ritmo da recuperação econômica. Com isso em mente, a reunião anual do Congresso Nacional do Partido na China pode fornecer mais pistas de estímulos previstos para este ano.

Além disso, teremos a definição de metas econômicas, além da eleição de novos altos funcionários do governo para a área econômica. Espera-se que a China possa almejar meta de crescimento de 6% em 2023 —- a nova meta marcaria uma mudança notável no otimismo dentro do governo em comparação com novembro, quando os formuladores de políticas esperavam um crescimento entre 4,5% e 5,5%.

04:01 — Não agradou

De volta aos EUA, as ações da Tesla despencam mais de 5% no pre-market americano, depois que os investidores não ficaram animados com o anúncio pelo próprio Elon Musk, CEO da empresa, do seu "Plano Master 3". A ideia seria conduzir uma transição total para veículos elétricos. O problema é que isso demandaria US$ 10 trilhões em gastos, visando criar um futuro energético sustentável.

As novas informações deixaram os investidores confusos, uma vez que esperavam o lançamento de um novo modelo com custo mais baixo, uma vez que a companhia tem enfrentado dificuldade para lançar modelos novos. Contudo, veículos da nova geração só devem ser anunciados posteriormente. Sabemos que Musk ama um bom plano ambicioso e muitas vezes maluco. Parece ser o caso aqui.

ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Acompanhando a alta dos Treasures nos EUA, a curva dos juros futuros abriu com viés de alta nesta quinta-feira (2). Confira:

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,31%13,30%
DI1F25DI Jan/2512,68%12,64%
DI1F26DI Jan/2612,84%12,78%
DI1F27DI Jan/2713,06%12,99%

O Ibovespa futuro inverteu os ganhos da abertura e cai 0,09%, aos 105.710 pontos.

O dólar à vista perdeu o fôlego da abertura e opera em viés de queda, a R$ 5,1830.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista abriu a R$ 5,1931, com viés de alta de 0,04%.

ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro abriu em leve alta de 0,14%, aos 105.950 pontos, enquanto os futuros americanos operam sem direção única.

No radar, o presidente Lula concede entrevista coletivas às 9h30 e a expectativa é que o chefe do Executivo dê algumas sinalizações sobre o arcabouço fiscal.

PIB DO 4º TRIMESTRE

O Produto Interno Bruto (PIB), que aponta o crescimento da economia brasileira, do quarto trimestre caiu 0,2% em relação ao trimestre anterior, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O recuo do PIB do quarto trimestre veio maior que a mediana das expectativas dos analistas ouvidos pela Broadcast, que projetavam queda de 0,1%.

Em 2022, a economia cresceu 2,9%, um pouco abaixo das projeções de avanço de 3% em relação ao ano anterior. Em valores correntes, o PIB, que é a soma de bens e serviços produzidos no país, totalizou R$ 9,9 trilhões.

O crescimento anual foi puxado pelos setores de serviços e indústria.

COMMODITIES EM ALTA

A expectativa de reabertura econômica da China continua entre os investidores e refletem no tom positivo do mercado de commodities.

O petróleo sobe 0,68%, a US$ 84,88 o barril.

O minério de ferro, negociado em Dalian, na China, registra alta de 1,56%, com a tonelada a US$ 132,34.

INFLAÇÃO NA ZONA DO EURO

A taxa anual de inflação ao consumidor (CPI, pela sigla em inglês) da zona do euro desacelerou marginalmente entre janeiro e fevereiro, de 8,6% a 8,5%, segundo dados preliminares divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat.

A prévia de fevereiro, no entanto, ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam recuo da taxa do CPI a 8,2%. Em outubro, a inflação anual do bloco atingiu a máxima histórica de 10,6%.

A desaceleração veio mais uma vez com o arrefecimento dos preços de energia, que subiram 13,7% em fevereiro ante um ano antes, depois de avançarem 18,9% em janeiro.

Já o núcleo do CPI, que desconsidera os preços de energia e de alimentos, teve acréscimo anual de 5,6% em fevereiro. Neste caso, a projeção do mercado era de alta de 5,3%.

*Estadão Conteúdo/Broadcast

AMBEV TEM LUCRO ACIMA DO ESPERADO NO 4T22

Desde a revelação do escândalo contábil da Americanas (AMER3), as atenções do mercado se voltaram para os negócios do bilionário Jorge Paulo Lemann. Entre eles, é claro, a Ambev (ABEV3), a empresa que abriu as portas do "sonho grande" do empresário e seus sócios.

Mas a divulgação do resultado da cervejaria no quarto trimestre deve dar motivos para Lemann brindar. Isso porque a Ambev registrou um lucro líquido ajustado de R$ 5,3 bilhões, o que representa um crescimento de 36,4% em relação ao mesmo período de 2021.

O resultado veio acima do esperado pelo mercado, que esperava um lucro por volta dos R$ 4 bilhões em razão do clima mais ameno nos últimos três meses do ano passado, que reduz o consumo de cerveja.

A Ambev conseguiu superar até mesmo a eliminação precoce do Brasil na Copa do Mundo, outro fator que preocupava os analistas. Afinal, com a seleção de Tite fora das fases finais no Catar os bares também perderam movimento.

Leia mais.

BALANÇOS DO DIA

ANTES DA ABERTURA

  • Ambev

DEPOIS DO FECHAMENTO

  • Alupar
  • Caixa Seguridade
  • Grendene
  • Grupo GPS
  • Grupo SBF (Centauro)
  • Ourofino Saúde Animal
  • VTEX
  • ZAMP (Burger King)
AGENDA DO DIA
OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
BrasilIPC-FipeFevereiro5h
Zona do euroInflação ao consumidor (CPI)Fevereiro7h
Zona do euroTaxa de desempregoFevereiro7h
BrasilPIB4T229h
Zona do euroDecisão de juros do BCE--9h30
EUANovos pedidos de seguro-desemprego na semana--10h30
EUACustos trabalhistas unitários4T2210h30
ChinaPMI de serviços CaixinFevereiro22h45
Fonte: Investing.com

DAY TRADE NA B3

Após o fechamento do último pregão, identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant - compra dos papéis da Embraer (EMBR3).

EMBR3: [Entrada] R$ 16.99; [Alvo parcial] R$ 17.61; [Alvo] R$ 18.55; [Stop] R$ 15.95

Recomendo a entrada na operação em R$ 16.99, um alvo parcial em R$ 17.61 e o alvo principal em R$ 18.55 objetivando ganhos de 9.2%.

O stop deve ser colocado em R$ 15.95, evitando perdas maiores caso o modelo não se confirme.

Leia mais.

AÇÕES DA PETROBRAS DISPARAM MAIS DE 3% NO PRÉ-MERCADO EM NOVA YORK

O balanço da estatal brasileira promete dar o que falar nesta quinta-feira.

O primeiro sinal são os recibos de ações (ADRs, na sigla em inglês) negociados nas bolsas de Nova York. Os papéis da Petrobras dispararam 3,43% por volta das 7h40 de hoje.

A empresa teve lucro recorde de R$ 188,3 bilhões em 2022 e aprovou a distribuição de dividendos recheados, mesmo com críticas do governo.

Leia mais.

FUTUROS DE NOVA YORK APONTAM PARA ABERTURA EM QUEDA

Os índices futuros de Nova York começam o dia no vermelho.

Os investidores aguardam as falas de representantes do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos), marcadas para hoje.

Ontem, os operadores já estimavam que a taxa de juros dos EUA a 6% até o final de 2023, o que é considerado alto para os padrões estadunidenses.

Confira:

  • Dow Jones futuro: +0,02%
  • S&P-500 futuro: -0,56%
  • Nasdaq futuro: -0,76%
BOLSAS DA EUROPA CAEM APÓS CPI DA ZONA DO EURO

Os principais índices europeus recuam na manhã de hoje.

Os investidores reagem à divulgação do índice de inflação (CPI, em inglês) da Zona do Euro. A taxa anual do índice desacelerou de 8,6% a 8,5%, acima das previsões de 8,2% do The Wall Street Journal.

O núcleo de preços veio em 5,6%, também acima das projeções de 5,3%.

Confira as bolsas por lá:

  • Londres: -0,33%
  • Frankfurt: -0,48%
  • Paris: -0,45%
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM QUEDA COM MEDO DOS JUROS NOS EUA

Os principais índices asiáticos fecharam majoritariamente em queda nesta quinta-feira (02).

Sinais dos Estados Unidos mostram que os juros por lá podem subir além do que se imaginava. Os operadores já apostam em um patamar de 6% até o final do ano.

Na volta do feriado local, o índice sul-coreano foi o único que subiu, à taxa de 0,62%.

Confira:

  • Xangai: -0,05%;
  • Taiwan: -0,92%;
  • Nikkei: -0,06%;
O QUE FOI NOTÍCIA ONTEM?

Perdeu alguma coisa no pregão de ontem? Veja o nosso Ao Vivo de mercados com as principais notícias que movimentaram o Ibovespa e as bolsas internacionais.

Basta clicar aqui.

OI FORMALIZA PEDIDO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL (DE NOVO)

A formalização do pedido da Oi (OIBR3) para uma nova recuperação judicial parecia apenas uma questão de tempo. Pois ele veio na madrugada nesta quinta-feira (2).

A Oi anunciou nas primeiras horas de hoje o ajuizamento do pedido de recuperação judicial da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro.

No início de fevereiro, a justiça fluminense aceitou um pedido feito pela empresa de telefonia para proteger-se de seus credores.

Concedida em caráter liminar, a proteção tinha validade de 30 dias - motivo pelo qual um pedido formal de recuperação judicial era esperado a qualquer momento.

Leia mais.

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) limita ganhos do Ibovespa; dólar cai a R$ 5,10 e recua mais de 1% na semana

17 de maio de 2024 - 17:35

RESUMO DO DIA: Como uma montanha-russa, o Ibovespa iniciou a semana em alta com a ata do Copom que aliviou, momentaneamente, o temor dos investidores. Mas Petrobras (PETR4) roubou a cena com a demissão repentina de Jean Paul Prates da presidência da estatal. Com isso, o Ibovespa termina a última sessão da semana em baixa […]

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa se recupera do tombo de Petrobras (PETR4) e fecha em alta; dólar cai a R$ 5,13

16 de maio de 2024 - 17:40

RESUMO DO DIA: Após um dia de tensão por conta das mudanças na Petrobras (PETR4), o Ibovespa conseguiu conter as perdas embalado pelas máximas em Wall Street. O principal índice da bolsa brasileira terminou a sessão com alta de 0,20%, aos 128.283 pontos. O dólar fechou a R$ 5,13, com baixa de 0,13% no mercado […]

TEMPOS DE GLÓRIA CHEGARAM?

Nas alturas: Dow Jones ultrapassa os 40 mil pontos pela primeira vez na história 

16 de maio de 2024 - 16:30

Quando começou a operar, Dow Jones era composto apenas por 12 ações. Hoje, o índice tem ações das 30 maiores empresas dos Estados Unidos

DESTAQUES DA BOLSA

De malas prontas: Presidente e dois membros do conselho da CVC (CVCB3) renunciam; ações caem mais de 7% na B3 

16 de maio de 2024 - 13:41

Valdecyr Maciel Gomes renunciou ao cargo depois de três anos na função; movimentação acontece uma semana após balanço do primeiro trimestre

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) rouba as atenções e Ibovespa fecha em queda em dia de NY nas máximas; dólar sobe a R$ 5,13

15 de maio de 2024 - 17:16

RESUMO DO DIA: Sinal vermelho para os mercados: a repentina demissão de Jean Paul Prates da presidência da Petrobras (PETR4) pegou os investidores de surpresa e as atenções se voltaram para os desdobramentos da mudança no comando da companhia. Dado o peso de Petrobras no principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa terminou o pregão […]

VOLATILIDADE

Opções de venda de ações da Petrobras (PETR4) disparam mais de 1000% com ruído em torno da demissão de CEO

15 de maio de 2024 - 15:06

Investidores com posições em opções de venda de ações da Petrobras lucram com o estrago provocado pelo anúncio da saída de Jean Paul Prates

O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Magda Chambriard vai virar a Petrobras (PETR4) de ponta-cabeça? Veja o que pensa a indicada de Lula para suceder Prates

15 de maio de 2024 - 14:06

Compilamos as opiniões da Magda Chambriard sobre os investimentos, os dividendos e o futuro da Petrobras

DANÇA DAS CADEIRAS

Prates não sai sozinho: Petrobras (PETR4) anuncia demissão de CFO e nomeia presidente interina 

15 de maio de 2024 - 13:22

A estatal confirmou Clarice Coppetti, atual diretora executiva de assuntos corporativos, como presidente interina

O DIA QUE NÃO TERMINOU

O que fazer com as ações da Petrobras (PETR4) agora? Saiba se é hora de vender ou se a queda abriu oportunidade

15 de maio de 2024 - 12:42

O ruído em torno da saída de Jean Paul Prates na presidência da estatal já custou a perda de mais de R$ 60 bilhões em valor de mercado

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa avança com ata do Copom, enquanto dólar cai a R$ 5,13; Hapvida (HAPV3) e Natura (NTCO3) chamam atenção após balanços

14 de maio de 2024 - 17:27

RESUMO DO DIA: Dizem que para toda pergunta há uma resposta. Pois bem, o mercado finalmente recebeu a sua hoje, com a divulgação da ata do Copom, após a decisão dividida sobre o corte de 0,25 ponto percentual na taxa Selic. No documento, a explicação foi resumida por uma decisão “técnica”, nada além disso. Afastando […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar