Menu
2020-04-25T12:29:35-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Crise política

Para 49% da população, governo Bolsonaro será ruim ou péssimo após saída de Moro, diz pesquisa da XP

Entrevistados veem impacto negativo da saída do ministro para o país, mas aprovação do presidente não sofreu mudança, segundo o levantamento

25 de abril de 2020
10:07 - atualizado às 12:29
Jair Bolsonaro (esquerda) e Sergio Moro

Qual a expectativa para o governo de Jair Bolsonaro com a saída do ministro da Justiça, Sergio Moro? Para 49% da população, o resto do mandato do presidente será ruim ou péssimo, de acordo com pesquisa da XP/Ipespe divulgada na manhã deste sábado.

Outros 25% têm uma expectativa regular para o governo de Bolsonaro e 18% responderam que o restante da gestão será ótima ou boa. Os demais 9% não souberam ou não responderam, segundo a pesquisa.

E você, como avalia o futuro do governo Bolsonaro com saída de Sergio Moro? Deixe sua resposta nos comentários logo abaixo desta reportagem.

Leia também:

O levantamento da XP foi realizado com 800 pessoas entre as 18h de quinta-feira (23) e as 18h de ontem, ou seja, teve início antes da confirmação da saída de Moro, mas já captou parte dos efeitos da ruidosa demissão do ministro.

A pesquisa da XP/Ipespe também perguntou qual seria (após a saída do ministro, a questão foi ajustada para "será") o impacto da saída de Moro para o país.

De acordo com o levantamento, 67% dos entrevistados veem o impacto como negativo, enquanto 10% avaliam que seria/será positivo e 16% disseram que a saída do ministro da Justiça não terá impacto para o país. Os demais 8% disseram não saber ou não responderam.

Aprovação de Bolsonaro

A pesquisa da XP/Ipespe não captou mudanças significativas na aprovação do governo de Jair Bolsonaro com saída de Sergio Moro. 31% dos entrevistados consideram a gestão ótima ou boa e o índice de desaprovação (ruim+péssimo) ficou em 42%.

Outros 24% avaliaram o governo de forma regular e 3% disseram não saber ou não responderam. A margem de erro do levantamento é de 3,5 pontos percentuais.

Na pesquisa realizada entre 13 e 15 de abril, a aprovação do governo era de 30% e a reprovação de 40%; em outra rodada, realizada entre 20 e 22 de abril, a aprovação era de 31% e a reprovação, 42%.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

REVIRAVOLTA

Ânima oferece mais e Laureate resolve rescindir acordo com a Ser Educacional

Oferta da Ânima é R$ 500 milhões superior e ela se propôs a pagar a multa de R$ 180 milhões

Mercados hoje

Ibovespa abre em alta e dólar opera em baixa

Índice consegue se manter acima dos 100 mil pontos no início da sessão

Abertura de capital

Governo planeja fazer IPO de braço digital da Caixa nos próximos seis meses, diz Guedes

‘O Brasil é uma democracia digital. Na pandemia digitalizamos 64 milhões de pessoas. Quanto vale um banco com 64 milhões de pessoas que foram bancarizadas pela primeira vez e serão leais pelo resto da vida?’, afirmou o ministro

QUEM VAI LEVAR?

Totvs não desiste e estende prazo de oferta pela Linx

Empresa já havia sinalizado que seguiria na disputa com a Stone até o final

Leilão do 5G

Decisão sobre 5G deve ficar para começo de 2021, diz embaixador brasileiro

Após pressões dos EUA contra a companhia chinesa Huawei no leilão do 5G, Nestor Forster afirma que decisão ‘não será tomada em Washington, mas em Brasília’

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies