Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-25T12:29:35-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Crise política

Para 49% da população, governo Bolsonaro será ruim ou péssimo após saída de Moro, diz pesquisa da XP

Entrevistados veem impacto negativo da saída do ministro para o país, mas aprovação do presidente não sofreu mudança, segundo o levantamento

25 de abril de 2020
10:07 - atualizado às 12:29
Jair Bolsonaro (esquerda) e Sergio Moro

Qual a expectativa para o governo de Jair Bolsonaro com a saída do ministro da Justiça, Sergio Moro? Para 49% da população, o resto do mandato do presidente será ruim ou péssimo, de acordo com pesquisa da XP/Ipespe divulgada na manhã deste sábado.

Outros 25% têm uma expectativa regular para o governo de Bolsonaro e 18% responderam que o restante da gestão será ótima ou boa. Os demais 9% não souberam ou não responderam, segundo a pesquisa.

E você, como avalia o futuro do governo Bolsonaro com saída de Sergio Moro? Deixe sua resposta nos comentários logo abaixo desta reportagem.

Leia também:

O levantamento da XP foi realizado com 800 pessoas entre as 18h de quinta-feira (23) e as 18h de ontem, ou seja, teve início antes da confirmação da saída de Moro, mas já captou parte dos efeitos da ruidosa demissão do ministro.

A pesquisa da XP/Ipespe também perguntou qual seria (após a saída do ministro, a questão foi ajustada para "será") o impacto da saída de Moro para o país.

De acordo com o levantamento, 67% dos entrevistados veem o impacto como negativo, enquanto 10% avaliam que seria/será positivo e 16% disseram que a saída do ministro da Justiça não terá impacto para o país. Os demais 8% disseram não saber ou não responderam.

Aprovação de Bolsonaro

A pesquisa da XP/Ipespe não captou mudanças significativas na aprovação do governo de Jair Bolsonaro com saída de Sergio Moro. 31% dos entrevistados consideram a gestão ótima ou boa e o índice de desaprovação (ruim+péssimo) ficou em 42%.

Outros 24% avaliaram o governo de forma regular e 3% disseram não saber ou não responderam. A margem de erro do levantamento é de 3,5 pontos percentuais.

Na pesquisa realizada entre 13 e 15 de abril, a aprovação do governo era de 30% e a reprovação de 40%; em outra rodada, realizada entre 20 e 22 de abril, a aprovação era de 31% e a reprovação, 42%.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O FISCAL ENLOUQUECEU

Com furo no teto, XP e BTG já esperam que a Selic suba 1,5 ponto percentual na próxima semana

A corretora também reviu suas projeções para o câmbio, inflação e PIB deste e do próximo ano

E-commerce de pneus

Cantu Store não se assusta com a farra fiscal e registra pedido de IPO na CVM

A companhia paranaense conta com 26 filiais em 17 unidades federativas e quatro centros de distribuição, além de duas marcas próprias

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Guedes diz que fica, o puxadinho do teto de gastos e outros destaques do dia

Pelo menos um dos temores do mercado teve um desfecho nesta sexta-feira (22) — Paulo Guedes segue sendo o ministro da Economia, e o país não vai passar o fim de semana na incerteza. Após as baixas recentes na equipe econômica, mas o capitão do navio continua firme. Diante de tantas incertezas e a confirmação […]

SUPEROU AS EXPECTATIVAS

Hypera (HYPE3) inicia temporada de balanços com alta de 50% na receita líquida — veja os destaques da farmacêutica no terceiro trimestre

Apoiadas pelo portfólio cada vez maior de medicamentos e pelas vendas aquecidas, outras linhas do balanço também deixaram para trás as projeções

FECHAMENTO DA SEMANA

‘Fico’ de Guedes não apaga mau humor do mercado com furo no teto de gastos e Ibovespa despenca na semana; dólar volta a R$ 5,70

O principal índice da bolsa brasileira fechou o dia em queda de 1,34%, aos 106.296 pontos — longe das mínimas, mas no menor nível desde novembro de 2020. Na semana, a queda foi feia, e o Ibovespa recuou mais de 7%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies