🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
A primeira do governo Bolsonaro

Tesouro Nacional emite US$ 1,5 bilhão em captação de títulos de dívida no exterior

Tesouro costuma ser um dos primeiros a captar no mercado de dívida externa, o que acaba servindo como uma marcação de preços para emissões privadas

Bruna Furlani
Bruna Furlani
21 de março de 2019
11:11 - atualizado às 15:46
dólar na carteira
Notas de dólares - Imagem: Shutterstock

O Tesouro Nacional emitiu nesta quinta-feira, 21, US$ 1,5 bilhão em captação de títulos de dívida (bônus) no exterior, com vencimento em 28 de maio de 2029 (Global 2029). A demanda foi de quatro vezes o montante captado.

As operações do Tesouro no mercado internacional são feitas para dar referência de preço aos emissores privados, já que o país não precisa fazer captação em moeda estrangeira para honrar os vencimentos da dívida internacional.

Geralmente, o Tesouro é um dos primeiros a captar no mercado de dívida externa, o que acaba servindo como uma marcação de preços para emissões privadas. Mas, neste ano, o anúncio veio após alguns emissores privados como Suzano e BTG Pactual, além de Petrobras e Banco do Brasil.

A captação foi liderada pelo Bank of America Merrill Lynch, Bradesco e JP Morgan e ofereceu um retorno de 4,7% ao investidor, abaixo dos 4,95% estimados inicialmente.

"Operação em linha"

Logo após o anúncio do resultado das operações, técnicos do Tesouro consideraram a captação "bem sucedida". De acordo com eles, tanto o cupom quanto o spread são os melhores desde a perda do grau de investimento pelo Brasil.

Os técnicos disseram também que a operação ficou bastante em linha com as expectativas do Tesouro. O órgão vinha acompanhando o mercado e já considerava as condições bastante favoráveis para uma captação.

Na quarta-feira, porém, essa percepção foi reforçada, após a decisão de política monetária do Federal Reserve, que sinalizou que os juros no país podem demorar mais tempo para subir. Vale lembrar  que a taxa de referência para as emissões é dada pelo título do Tesouro dos EUA, que está na faixa dos 2,53%.

O noticiário no Brasil ao longo desta quinta-feira - especificamente, a prisão do ex-presidente Michel Temer, vista por agentes do mercado financeiro como um fator que pode prejudicar o andamento da reforma da Previdência no Congresso - não alterou a demanda pelo título brasileiro no mercado internacional. Conforme os técnicos, a operação foi bem sucedida do início ao fim.

O Tesouro estava fora do mercado desde janeiro de 2018, quando havia emitido o Global 2047, título de referência de 40 anos. Completada a operação desta quinta, o órgão não realizará nenhuma emissão complementar de títulos para o mercado asiático, algo que não vem sendo feito há algum tempo. Agora, o Tesouro volta a monitorar o mercado, aguardando novas oportunidades para emissão.

*Com Estadão Conteúdo.

Compartilhe

Volatilidade à frente

A gasolina mais barata está com os dias contados? BofA lista 8 riscos que podem fazer o petróleo disparar ou desabar nos próximos meses

6 de setembro de 2022 - 17:48

Analistas veem forte volatilidade no futuro da commodity, que está entre a cruz da recessão global e a espada da crise energética na Europa

FRIGORÍFICOS

JBS (JBSS3) é a ação de alimentos favorita do BofA, mas banco vê menor potencial de alta para o papel; ainda vale a pena comprar?

18 de agosto de 2022 - 14:54

Analistas revisaram para baixo o preço-alvo do papel, para R$ 55, devido à expectativa de queda nas margens da carne bovina dos EUA, correspondente a 40% das vendas da empresa

PREVISÕES PARA OS BALANÇOS

Bank of America prevê trimestre difícil para construtoras da B3, mas enxerga três oportunidades no setor — veja quais

26 de julho de 2022 - 13:43

Os analistas do BofA preferem os papéis do segmento de baixa renda que, ainda que mais pressionados pela inflação, podem entregar um crescimento lucrativo

BANCOS EM FOCO

Goldman Sachs (GSGI34) supera expectativas no 2º trimestre, mas Bank of America (BOAC34) não empolga o mercado

18 de julho de 2022 - 17:00

Goldman Sachs (GSGI34) supera expectativas no 2º trimestre, mas Bank of America (BOAC34) não empolga o mercado

INTER OU NÃO TER

De malas prontas pra Nasdaq: será que é hora de comprar Inter (BIDI11)? O Bank of America responde pra você

27 de maio de 2022 - 13:23

O BofA cortou o preço-alvo das units de R$ 36 para R$ 17 — o que representa um potencial de valorização de 29,5% com relação ao fechamento de quinta-feira (26)

AMIZADE COM BARREIRAS

Putin não pode mais contar com a China? Rússia enfrenta limites em sua rota de fuga das sanções; saiba quais

7 de abril de 2022 - 16:16

Embora os chineses sejam contrários às medidas punitivas impostas por EUA e Europa, Pequim não tem muita margem de manobra para ajudar Moscou. Mas algo sempre pode ser feito — saiba o que

PROJEÇÕES OTIMISTAS

Por que o Ibovespa vai terminar 2022 aos 135 mil pontos, segundo analistas do Bank of America

7 de abril de 2022 - 15:42

Caso a projeção se confirme, o Ibovespa chegará ao fim do ano acumulando ganhos de quase 29% em relação ao último pregão de 2021

ROTAÇÃO NO ÓLEO E GÁS

PetroRio é alternativa à Petrobras (PETR4)? Bank of America diz se é hora de comprar ações PRIO3

4 de abril de 2022 - 17:27

Disparada dos preços do petróleo com a guerra entre Rússia e Ucrânia, aquisições e aumento da produção estão no cenário das petroleiras brasileiras

A RAINHA DA CELULOSE

Suzano figura entre as maiores baixas do Ibovespa após queda no lucro, mas BofA aposta em alta de 53% para SUZB3

10 de fevereiro de 2022 - 14:16

O apetite pelos papéis também é reduzido pela queda vertiginosa do dólar nos últimos dias, o que pode diminuir os ganhos com exportações

Está barato

Compre bolsa no Brasil e venda no México, recomenda o Bank of America

9 de fevereiro de 2022 - 9:30

Analistas do BofA decidiram buscar alternativas mais baratas nas bolsas e empresas na América Latina e elevaram a recomendação para as ações brasileiras

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar