🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-02-11T00:25:37-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
A RAINHA DA CELULOSE

Suzano figura entre as maiores baixas do Ibovespa após queda no lucro, mas BofA aposta em alta de 53% para SUZB3

O apetite pelos papéis também é reduzido pela queda vertiginosa do dólar nos últimos dias, o que pode diminuir os ganhos com exportações

10 de fevereiro de 2022
14:16 - atualizado às 0:25
Linha de produção da Suzano SUZB3
Linha de produção da Suzano - Imagem: Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

O dia seguinte à divulgação de um balanço trimestral pode trazer alegrias ou tristezas às empresas - o resultado depende de como os números serão recebidos pelos investidores. O caso da Suzano (SUZB3) parece ser o segundo.

As ações da maior produtora mundial de celulose de eucalipto, que divulgou os resultados do quarto trimestre na noite de ontem, recuaram 4,01%, a R$ 58,17, no início da tarde desta quinta-feira (10), reduzindo as perdas ao longo da sessão. Os papéis fecharam o dia em queda de 3,70%, a R$ 58,36.

O apetite pelos papéis também foi reduzido pela queda vertiginosa do dólar nos últimos dias, o que pode diminuir os ganhos com exportações. Mais de 90% da receita da Suzano é atrelada à moeda norte-americana.

A produtora de papel e celulose tem uma situação peculiar, já que, embora o dólar alto seja positivo para a receita, o efeito cambial no balanço da companhia é o oposto. Isso porque a maior parte da dívida também está em moeda estrangeira.

Celulose em alta, lucro em baixa

Com o peso do dólar alto no quarto trimestre sobre a dívida, o lucro líquido da Suzano foi de R$ 2,3 bilhões nos últimos três meses de 2021. O número reverte o prejuízo de R$ 959 milhões apurado no trimestre anterior, mas é 61% menor do que o registrado no mesmo período de 2020.

Como o lucro acaba sendo muito afetado pela variação do dólar na dívida — embora não tenha efeito no caixa — a maioria dos analistas prefere observar os resultados da Suzano pelo Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, da sigla em inglês).

O Ebitda ajustado avançou 60% em relação ao quarto trimestre de 2020, para R$ 6,3 bilhões. No acumulado anual, que chegou a R$ 23,5 bilhões, a alta foi de 57%.

Vale destacar que a empresa vem atuando para reduzir o peso do endividamento, que encerrou o ano em 2,4 vezes o Ebitda, menor nível desde a compra da Fibria, fechada em 2019. 

Entre os principais produtos da companhia, as vendas de celulose foram de 2,7 milhões de toneladas nos três últimos meses do ano, leve alta de 2% em relação ao 4T20 e acima das expectativas dos analistas do Bank of America.

Já a comercialização de 371 mil toneladas de papel no mesmo período - 5% a mais na comparação anual -, veio abaixo das projeções do banco de investimentos.

“Os volumes e os preços realizados decepcionaram, o que levou a uma receita do negócio de papel 4% abaixo dos nossos números”, escrevem os analistas.

BofA recomenda compra

Ainda assim, o Bank of America vê um valuation atrativo na ação e mantém a recomendação de compra para SUZB3. O banco espera que o preço médio da celulose, que subiu 33% no último ano, continue avançando na China durante as próximas semanas e beneficie a empresa.

“Embora vejamos a oferta de entrada pressionando os preços gradualmente, o estoque já está cotado em uma correção ao suporte da curva de custo, o que oferece uma importante almofada de segurança” destacam os analistas.

O preço-alvo do BofA para as ações da Suzano é de R$ 89,00, com potencial de alta de 53% em relação à cotação atual dos papéis da Suzano na B3.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOITE CRIPTO

Na luta: bitcoin (BTC) opera em alta, mas performance não dá inveja; confira cotações

Apesar do avanço, o último mês foi o pior da história do bitcoin. A queda de 37,9% se consolidou como a mais terrível da história, desbancando maio de 2021, quando o recuo foi de 35,4%

PROBLEMAS FINANCEIROS

Tenda (TEND3) negocia com credores e consegue sinal verde para flexibilizar endividamento

Os detentores de debêntures da empresa aceitaram mudar os termos das dívidas em troca de garantias – e remuneração – extras

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies