🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Guilherme Valle
O QUE JÁ ERA BOM, AINDA PODE MELHORAR

Conheça oito ações para comprar na B3 no primeiro trimestre, segundo o BofA

Série de relatórios destaca ações que já têm recomendação de compra e ainda assim podem superar as expectativas; confira a lista completa

Guilherme Valle
3 de janeiro de 2022
18:54 - atualizado às 13:03
Bank of America Merrill Lynch
O BofA também publicou relatório em que analisa o cenário econômico. - Imagem: Shutterstock

O Bank of America (BofA) publicou nesta segunda-feira (3) um relatório em que indica suas oito ações favoritas para 2022 no mercado brasileiro. O documento faz parte da série Top10 Ideas e é revisado trimestralmente. Confira quais são os papéis que o banco tem em alto conceito:

Bradesco (BBDC4)

Apesar do cenário doméstico desafiador, o banco americano espera que o Bradesco continue sólido e registre crescimento robusto neste ano, podendo até atingir os dois dígitos. Por isso, suas ações continuam atrativas.

Isso se deve a uma expectativa de recuperação no setor de saúde, que sofreu com a pandemia, o que deve melhorar os resultados do conglomerado. Espera-se também que o banco seja capaz de gerar ganhos de eficiência.

A alta do juros também foi levada em consideração, mas espera-se que o banco brasileiro seja capaz de emprestar mais caro, de maneira que não haja impacto significativo na margem. O aumento na inadimplência não preocupa tanto, já que a instituição possui provisões grandes o suficiente para não requerer grandes ajustes.

Hapvida (HAPV3)

A fusão entre NotreDame e Hapvida motivou a inclusão da empresa na lista, já que as sinergias entre as duas empresas têm o potencial de turbinar seus resultados em 2022. 

O desenvolvimento de uma estratégia para aumentar a atratividade de seus serviços para empresas de abrangência nacional, o ganho de escala que possibilitará economias nas despesas de vendas e administrativas e o benefício fiscal embasam o otimismo do banco americano com a operadora de saúde.

Multiplan (MULT3)

Apesar das conversas entre Aliansce Sonae e BRMalls terem agitado o noticiário — e o mercado — nos últimos dias, o Bank of America aposta nas ações de outra empresa do segmento de administração de shopping centers: a Multiplan.

A empresa conseguiu voltar aos níveis pré-pandemia no terceiro trimestre de 2021 e a expectativa é que continue a se recuperar. O foco no consumidor de alta renda deve levar a uma recuperação mais rápida das receitas quando comparada a administradoras que têm em seu portfólio propriedades que atendem regiões de menor poder aquisitivo. 

JBS (JBSS3)

A JBS, maior empresa de proteínas do mundo, é mais uma das recomendações do Bank of America. A companhia brasileira tem superado expectativas e registrado bons números operacionais, em grande medida devido ao desempenho do segmento de bovinos nos EUA.

Apesar de uma normalização no mercado norte-americano de carne estar no radar, espera-se que a JBS registre margem superior à de seus concorrentes. Além disso, a intenção da empresa de abrir capital nos EUA e a recente obtenção de grau de investimento, que facilita o gerenciamento da dívida, também são vistas com bons olhos. 

Para o Bank of America, o papel é um dos de maior potencial no segmento de alimentos e bebidas. Em sua análise, poderia atingir R$ 70,00 por ação, o que representa mais de 80% de valorização em relação aos valores de hoje. Isso porque a empresa é capaz de crescer ao passo que remunera bem o acionista através de programas de recompra de ações e distribuição de dividendos.

Multilaser (MLAS3)

Quando falamos em produtos de informática, quem chamou a atenção do banco americano foi a Multilaser. Com suas concorrentes focadas em mercados maiores em outras partes do planeta, a brasileira encontra espaço para crescer

Além disso, a empresa tem se provado capaz de vencer licitações, já que consegue mitigar, em algum grau, a desvalorização do real e os problemas que a cadeia de suprimentos do setor tem enfrentado. Por isso, a expectativa é de um bom desempenho do papel.

Eletrobras (ELET3)

Outra ação que aparece como oportunidade para 2022, na avaliação do Bank of America, é a Eletrobras. A recomendação é motivada pela expectativa de que a estatal poderá concluir sua privatização ainda neste ano, já que se espera que o TCU se pronuncie em março para que o processo possa ser concluído em maio.

PetroRio (PRIO3)

Na avaliação do banco americano, a petroleira adquiriu parcelas de ativos estratégicos que melhoram a eficiência e reduzem o custo da operação. O alto preço do petróleo também colabora no curto prazo. O BofA espera ainda que a PetroRio adquira da Petrobras áreas importantes com alto potencial de exploração, o que deve afetar suas ações positivamente.

Usiminas (USIM5)

O minério de ferro também foi prestigiado pelo Bank of America. Apesar da recente acomodação, o nível de preços ainda elevado da commodity possibilita boas margens para a siderúrgica. 

A demanda doméstica continua sólida, puxada pelo maquinário agrícola. Além disso, um real mais desvalorizado beneficia a companhia ao deixar o aço brasileiro mais competitivo no mercado internacional, ao passo que também protege o segmento de mineração da empresa, que sofre com oscilações no preço da commodity.

Por isso, na avaliação do BofA, ainda há espaço para a valorização dos papéis.

Pano de fundo

Além de avaliar ações, o Bank of America também publicou relatório tratando do cenário econômico. Em sua avaliação da conjuntura brasileira, o banco americano chamou atenção para a tendência de desaceleração da inflação, confirmada pelo IPCA-15 de dezembro abaixo das estimativas do mercado. 

Veja também:

A queda no desemprego também não passou despercebida: de acordo com o IBGE o desemprego ficou em 12,1%, abaixo das expectativas de seus analistas, que esperavam um número em torno de 12,4%. 

Mesmo considerando o 'bônus' das festas de final de ano na quantidade de pessoas empregadas, houve queda sensível no desemprego, que saiu de 12,6% para 12,3% em números dessazonalizados.

O mercado de crédito também foi alvo de análise do banco: em novembro, o crédito cresceu 15,65% quando comparado ao ano passado e superou 53% do PIB. Os bancos públicos são responsáveis por disponibilizar 42,5% do total e os privados ficam com os 57,5% restantes.

O Bank of America ainda destacou, na sua avaliação, que estes números são resultado do avanço na vacinação, de menos restrições e do retorno de atividades que haviam sido interrompidas pela pandemia da Covid-19.

Os R$ 15 bilhões de superávit registrados no mês de novembro foram capazes de inverter o déficit. O resultado foi puxado principalmente pelos governos locais, que fecharam no azul em R$ 11,7 bilhões, o que representa alta expressiva em comparação aos R$ 6,6 bilhões registrados em outubro. Foi a primeira vez desde outubro de 2014 que o país registrou superávit primário (no acumulado do ano).

Já para o ano que vem os R$ 113 bilhões em gastos adicionais que se sucederam à aprovação da PEC dos precatórios levaram o banco a atualizar a projeção de déficit do setor público em 2022, de R$ 49,6 bilhões para R$ 79,6 bilhões.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar