Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-25T14:16:46-03:00
Beatriz Azevedo Pinto
RECOMENDAÇÃO NEUTRA

Esta ação pode subir 38%, mas o Bank of America não recomenda compra; conheça e descubra o motivo

Camil (CAML3) começou a corresponder às expectativas dos investidores com aquisições recentes, mas BofA ainda vê riscos e mantém neutra a recomendação para a ação

23 de novembro de 2021
17:18 - atualizado às 14:16
A ação pode subir 38%, mas isso não é suficiente para o BofA.
Imagem: Shutterstock

Conhecida pelo bom e velho arroz com feijão, a empresa de alimentos Camil (CAML3) começou neste ano a entregar o que prometeu na época da abertura de capital, em 2017. A companhia fechou duas aquisições e agora também atua nos ramos de massas e café.

A diversificação dos negócios é positiva, mas não o suficiente para convencer o Bank of America (BofA) a recomendar a compra das ações da Camil.

Os analistas estimam um preço-alvo de R$ 13 para CAML3, o que representa um potencial de 38% de alta em relação ao fechamento de ontem (R$ 9,37). Ainda assim, o BofA decidiu retomar a cobertura da companhia com recomendação neutra.

O BofA reconhece os avanços da Camil. Após duas aquisições — da empresa Santa Amália, do setor de massas, e da Dejahu, do Equador — e de assumir a marca Café Seleto, da JDE, a companhia estreia uma nova fase financeira e operacional, segundo os analistas.

“Na nossa visão, a Camil está finalmente entregando o que era esperado com o IPO, entrando em novos setores e fortalecendo sua presença internacional”, escreveram os analistas, em relatório. O BofA destaca  ainda que a Camil deve alcançar receita de R$ 9 bilhões neste ano, o que é um marco para a empresa. 

Atualmente, a Camil é líder no setor de arroz, tanto no Brasil como no Uruguai. Além disso, também é forte nas áreas de feijão, açúcar e no mercado de peixes. Com as aquisições, o BofA vê a companhia em um possível ganho de mercado e novas oportunidades de diversificação. 

No entanto, apesar de a Camil ter uma boa oportunidade de crescimento, o BofA observa um risco de execução  das novas atividades da companhia, em especial em um momento de inflação alta.

Os analistas também apontam como  riscos para a companhia a redução no preço das commodities e o ambiente mais competitivo no ramo de açúcar.

Por volta das 16h50 desta terça-feira (23), as ações da Camil eram negociadas em alta de 0,75% no pregão da B3, a R$ 9,44. No ano, o papel acumula perdas na casa dos 13%. 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies