Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-05T15:46:21-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
A primeira do governo Bolsonaro

Tesouro Nacional emite US$ 1,5 bilhão em captação de títulos de dívida no exterior

Tesouro costuma ser um dos primeiros a captar no mercado de dívida externa, o que acaba servindo como uma marcação de preços para emissões privadas

21 de março de 2019
11:11 - atualizado às 15:46
Notas de dólares
Notas de dólares - Imagem: Shutterstock

O Tesouro Nacional emitiu nesta quinta-feira, 21, US$ 1,5 bilhão em captação de títulos de dívida (bônus) no exterior, com vencimento em 28 de maio de 2029 (Global 2029). A demanda foi de quatro vezes o montante captado.

As operações do Tesouro no mercado internacional são feitas para dar referência de preço aos emissores privados, já que o país não precisa fazer captação em moeda estrangeira para honrar os vencimentos da dívida internacional.

Geralmente, o Tesouro é um dos primeiros a captar no mercado de dívida externa, o que acaba servindo como uma marcação de preços para emissões privadas. Mas, neste ano, o anúncio veio após alguns emissores privados como Suzano e BTG Pactual, além de Petrobras e Banco do Brasil.

A captação foi liderada pelo Bank of America Merrill Lynch, Bradesco e JP Morgan e ofereceu um retorno de 4,7% ao investidor, abaixo dos 4,95% estimados inicialmente.

"Operação em linha"

Logo após o anúncio do resultado das operações, técnicos do Tesouro consideraram a captação "bem sucedida". De acordo com eles, tanto o cupom quanto o spread são os melhores desde a perda do grau de investimento pelo Brasil.

Os técnicos disseram também que a operação ficou bastante em linha com as expectativas do Tesouro. O órgão vinha acompanhando o mercado e já considerava as condições bastante favoráveis para uma captação.

Na quarta-feira, porém, essa percepção foi reforçada, após a decisão de política monetária do Federal Reserve, que sinalizou que os juros no país podem demorar mais tempo para subir. Vale lembrar  que a taxa de referência para as emissões é dada pelo título do Tesouro dos EUA, que está na faixa dos 2,53%.

O noticiário no Brasil ao longo desta quinta-feira - especificamente, a prisão do ex-presidente Michel Temer, vista por agentes do mercado financeiro como um fator que pode prejudicar o andamento da reforma da Previdência no Congresso - não alterou a demanda pelo título brasileiro no mercado internacional. Conforme os técnicos, a operação foi bem sucedida do início ao fim.

O Tesouro estava fora do mercado desde janeiro de 2018, quando havia emitido o Global 2047, título de referência de 40 anos. Completada a operação desta quinta, o órgão não realizará nenhuma emissão complementar de títulos para o mercado asiático, algo que não vem sendo feito há algum tempo. Agora, o Tesouro volta a monitorar o mercado, aguardando novas oportunidades para emissão.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

PROMESSA DESCUMPRIDA

Reforma administrativa não sai antes das eleições, admite relator da proposta na Câmara

O deputado Arthur Maia afirmou que faltou empenho do executivo para garantir que o texto fosse aprovado no Congresso

FOGUETE SEM FREIO

Boeing tropeça e SpaceX, de Elon Musk, garante mais três viagens tripuladas com a Nasa

O plano original era alternar missões com as duas empresas, mas o Starliner, foguete da Boeing, deve ficar impedido de voar até 2023

ALÍVIO NO BOLSO

Sem dizer quanto, Bolsonaro promete que Petrobras (PETR4) anunciará redução no preço dos combustíveis nesta semana

O presidente, que é um dos críticos mais ferrenhos da política de preços da estatal, afirmou que a queda deve seguir por algumas semanas

INVESTIDORES ATENTOS

4 fatos que mexem com o Ibovespa na próxima semana — incluindo Copom e IPO do Nubank

O principal índice acionário brasileiro terá um calendário cheio de eventos e dados econômicos para digerir ao longo dos próximos dias

Alívio no Orçamento

Com receita acima do esperado, Economia reduz estimativa de rombo nas contas públicas em 2022

Considerando todo o setor público, o que inclui Estados e Municípios, as novas projeções da pasta preveem até mesmo um saldo positivo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies