IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Cotações por TradingView
2019-04-04T13:58:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Esqueça os militares

Para o ex-ministro do STF Nelson Jobim, o foco do governo na reforma da Previdência deve ser o Judiciário

Jobim concedeu uma entrevista ao Broadcast/Estadão nesta semana e, para ele, os militares não oferecem riscos à reforma

14 de fevereiro de 2019
11:27 - atualizado às 13:58
nelson-jobim
Jobim foi ministro da Defesa e da Justiça e presidente do STF - Imagem: Thiago Teixeira/Estadão Conteúdo

Enquanto Bolsonaro faz o ajuste fino da reforma da Previdência, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim, resolveu ser direto ao ponto sobre sua opinião em relação ao tema. Para ele, o verdadeiro foco de resistência à reforma está nas corporações do serviço público, como o Judiciário e o Ministério Público.

O ex-ministro concedeu uma entrevista ao Broadcast/Estadão nesta semana e, na sua avaliação, os militares não representarão dificuldades ao governo de Jair Bolsonaro no processo de mudanças nas regras de aposentadorias, ao contrário do que muita gente fala.

Jobim foi ministro da Defesa e da Justiça e presidente do STF. Na entrevista, ele também defendeu que o núcleo da reforma seja atingir os privilégios de corporações que têm uma "capacidade de articulação tremenda" e não apenas uma questão de "números".

"Os militares não vão ter dificuldade. O ponto é o Ministério Público, o Judiciário, enfim, as corporações que hoje se aposentam com vantagens que são estendidas à atividade", Nelson Jobim, ex-ministro do STF.

Comunicação, comunicação, comunicação

Na visão de Jobim, o governo necessitará de uma ampla capacidade de comunicação com a sociedade para explicitar as mudanças propostas. Caso contrário, a reforma corre o risco de ficar apenas no papel.

"Isso não é fácil. É preciso até dar um respaldo político aos próprios parlamentares para votarem isso. Porque esse pessoal (de corporações) vai se mobilizar", avalia. Mesmo com estas ponderações, Jobim diz ter "confiança" na aprovação da reforma da Previdência.

Vale lembrar que o governo já está de olho nessa estratégia de comunicação. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, vêm trabalhando seus discursos em defesa da reforma e já declararam guerra às "fake news da reforma".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

MARKET MAKERS

O segredo do maior empregador do Brasil: Como atravessar à crise sem desistir do país?

2 de fevereiro de 2023 - 10:50

Num país em que as decisões políticas parecem sobrepujar as melhoras do cenário macroeconômico, a esperança se torna fundamental

AGENDA ESG

Itaú (ITUB4) capta R$ 2 bilhões em títulos sociais para investir em negócios liderados por mulheres

2 de fevereiro de 2023 - 10:33

O banco emitiu R$ 2 bilhões em letras financeiras sociais, também chamadas de social bonds, no mercado local

EXPLORANDO OPÇÕES?

Veja as primeiras explicações da Oi (OIBR3) para o pedido cautelar que pode anteceder seu retorno à recuperação judicial

2 de fevereiro de 2023 - 10:14

Oi (OIBR3) antecipa a possibilidade de um ingressar em um novo processo de recuperação judicial sem nem bem ter saído do primeiro

O MEDO NA ESQUINA

Bitcoin (BTC) se aproxima dos US$ 24 mil e sobrevive ao Fed e ao Facebook — mas as big techs ainda podem melar o rali das criptomoedas; entenda

2 de fevereiro de 2023 - 9:49

A semana dos balanços das empresas de tecnologia tem potencial de movimentar as cotações das maiores moedas digitais do mundo

Eleições 2026?

Em evento do Credit Suisse, Faria Lima ‘elege’ Tarcísio de Freitas presidente da República em 2026

2 de fevereiro de 2023 - 9:18

No evento do Credit Suisse, faltou cadeira para os interessados em ouvir o que o governador de SP tinha a dizer

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies