2019-04-04T13:58:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Esqueça os militares

Para o ex-ministro do STF Nelson Jobim, o foco do governo na reforma da Previdência deve ser o Judiciário

Jobim concedeu uma entrevista ao Broadcast/Estadão nesta semana e, para ele, os militares não oferecem riscos à reforma

14 de fevereiro de 2019
11:27 - atualizado às 13:58
nelson-jobim
Jobim foi ministro da Defesa e da Justiça e presidente do STF - Imagem: Thiago Teixeira/Estadão Conteúdo

Enquanto Bolsonaro faz o ajuste fino da reforma da Previdência, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim, resolveu ser direto ao ponto sobre sua opinião em relação ao tema. Para ele, o verdadeiro foco de resistência à reforma está nas corporações do serviço público, como o Judiciário e o Ministério Público.

O ex-ministro concedeu uma entrevista ao Broadcast/Estadão nesta semana e, na sua avaliação, os militares não representarão dificuldades ao governo de Jair Bolsonaro no processo de mudanças nas regras de aposentadorias, ao contrário do que muita gente fala.

Jobim foi ministro da Defesa e da Justiça e presidente do STF. Na entrevista, ele também defendeu que o núcleo da reforma seja atingir os privilégios de corporações que têm uma "capacidade de articulação tremenda" e não apenas uma questão de "números".

"Os militares não vão ter dificuldade. O ponto é o Ministério Público, o Judiciário, enfim, as corporações que hoje se aposentam com vantagens que são estendidas à atividade", Nelson Jobim, ex-ministro do STF.

Comunicação, comunicação, comunicação

Na visão de Jobim, o governo necessitará de uma ampla capacidade de comunicação com a sociedade para explicitar as mudanças propostas. Caso contrário, a reforma corre o risco de ficar apenas no papel.

"Isso não é fácil. É preciso até dar um respaldo político aos próprios parlamentares para votarem isso. Porque esse pessoal (de corporações) vai se mobilizar", avalia. Mesmo com estas ponderações, Jobim diz ter "confiança" na aprovação da reforma da Previdência.

Vale lembrar que o governo já está de olho nessa estratégia de comunicação. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, vêm trabalhando seus discursos em defesa da reforma e já declararam guerra às "fake news da reforma".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

SOB NOVA DIREÇÃO

Passou, mas não foi unânime: indicado para comandar a Petrobras (PETR4) é aprovado por comitê — confira a próxima etapa

Caio Mário Paes de Andrade é o quinto gestor da estatal no governo de Jair Bolsonaro, mas seu nome ainda não recebeu aprovação final

VAI FICA DENTRO OU FORA DESSA?

Prepara-se: Metaverso vem aí com jogos, ensino e comércio eletrônico — e deve movimentar US$ 5 trilhões

De acordo com a empresa de consultoria McKinsey, os gastos globais no metaverso podem chegar a US$ 5 trilhões até 2030. Desse total, o e-commerce é visto como o meio que oferece a maior oportunidade, com um valor de mercado previsto de US$ 2,6 trilhões.

CARREIRA DOS SONHOS

Google (GOGL34) é eleita a empresa dos sonhos dos brasileiros; Nubank (NUBR33) e Itaú (ITUB4) também estão na lista

A gigante de tecnologia se mantém na liderança como empresa dos sonhos dos brasileiros na última década; a Google é desejada principalmente entre os mais jovens

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Político pesa no Ibovespa, projeções melhores para VIIA3 e outros destaques do dia

A inflação global elevada e as apostas cada vez maiores de que o mundo deve enfrentar um cenário de recessão econômica continuam alimentando os ursos do mercado financeiro nos quatro cantos do mundo, monopolizando a atenção dos investidores.  Mesmo com um cenário marcado por uma forte aversão ao risco, os principais índices de Wall Street […]

AUMENTA O SOM

Ex-ministro Milton Ribeiro diz ter recebido ligação de Bolsonaro sobre busca e apreensão — ouça o áudio

O telefonema ocorreu em 9 de junho, antes do ex-chefe da pasta da Educação ter sido alvo da operação da Polícia Federal (PF), deflagrada na quarta-feira (22)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies