Menu
2019-05-20T19:00:50-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Tapas e beijos

Bolsonaro: Valorizamos sim o Parlamento, que vai dar a palavra final sobre a Previdência

Ainda de acordo com o presidente, sua equipe vai trabalhar para que a reforma saia do Congresso com o menor número possível emendas

20 de maio de 2019
19:00
, Jair Bolsonaro
Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

A cerimônia no Palácio do Planalto era para o lançamento da segunda etapa da campanha publicitária em prol da reforma da Previdência, mas virou mesmo um ato de reaproximação do Executivo com o Legislativo e setores da mídia.

O fim de semana foi marcado por intenso noticiário de desentendimentos entre o Legislativo e o Executivo não só com relação à reforma da Previdência, mas também ao tratamento dispensado aos parlamentares.

Os gestos desta segunda-feira parecem importantes para distensionar as relações em meio a conversas de que a Câmara viraria as costas para o Executivo adotando um tipo de parlamentarismo branco.

O presidente Jair Bolsonaro foi o último a discursos e começou brincando que quem deveria falar era o ministro da Economia, Paulo Guedes, por ser “o pai da criança”.

Mas recobrando o tom sério, já falou de entrada que “valorizamos sim o Parlamento”, que será o responsável por dar a palavra final na reforma da Previdência.

Mesmo não estando presentes, Bolsonaro agradeceu o empenho do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em defender a proposta.

Bolsonaro ressaltou que essa é uma questão econômica essencial para todos aqui no Brasil e que nas suas viagens e mesmo em evento mais cedo no rio, “a gente só ouve, que se aprovarmos a reforma, o Brasil sairá dessa estagnação rumo então à sonhada prosperidade. Isso passa por todos os parlamentares, sem exceção.”

O presidente também disse que até mesmo representantes de Estados governados pela oposição, no reservado, dizem que precisam da reforma da Previdência e que ele acredita que, no fundo, também vão se empenhar para que esse objetivo seja alcançado.

Bolsonaro também disse que não recebe mais parlamentares “por falta de agenda”, mas que apesar de poder discutir possíveis equívocos e melhorias, vai buscar para que a reforma “saia de lá com o menor número possível de emendas”.

Aprovação em junho

Antes do presidente, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, reafirmou a expectativa de que o texto será aprovado no início de junho, “porque os homens e mulheres do Parlamento sabem que ela é fundamental para o presente e futuro do país que amamos”.

Lorenzoni disse que apesar de diferenças ideológicas e de “visões de governabilidade”, o Congresso sabe que há “uma responsabilidade acima de nós, uma responsabilidade com a pátria”.

Aceno à mídia

O ministro da secretaria de governo, general Santos Cruz, afirmou que a comunicação da reforma segue a diretriz do governo que é: comunicação informativa, sem caráter ideológico, informando a população das ações de governo que são importantes para nosso cidadão.

Santos Cruz também disse que sua secretaria está de portas abertas a todos os parlamentares, senadores, deputados, prefeitos, governadores, segmentos sociais e à imprensa. Recentemente, Santos Cruz esteve sob ataque de críticas de filhos e apoiadores de Bolsonaro.

O discurso mais longo foi o de abertura, feito pelo chefe da Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República, Fábio Wajngarten, que dirigiu sua fala aos donos e diretores de grandes grupos de televisão e rádio que estavam presentes (Globo, RedeTV, Record e SBT).

Wajngarten reforçou que o antidoto contra as fakenews é uma mídia responsável e sustentável e destacou a importância de imprensa e redes sociais fortes. Sua fala acena algo já dito por Bolsonaro de dividir melhor o bolo de receita publicitária entre os diferentes meios de comunicação.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements