A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-16T15:28:05-03:00
Estadão Conteúdo
Corretora digital

Warren, fintech de ex-sócios da XP, levanta R$ 25 mi

Empresa pretende ampliar as operações com os recursos recebidos. Hoje, tem 60 mil clientes e R$ 300 milhões em ativos administrados

28 de março de 2019
10:12 - atualizado às 15:28
Warren
Imagem: Reprodução/ Instagram

A fintech Warren anuncia hoje que recebeu R$ 25 milhões em uma rodada de investimentos. Fundada por Marcelo Maisonnave e Tito Gusmão, ex-sócios da XP Investimentos, a empresa é uma corretora digital. Seu principal produto é um robô de investimentos, que promete orientar o usuário a fazer aplicações com maior eficiência. A rodada, a primeira da empresa, foi liderada pelos fundos Ribbit Capital e Kaszek Ventures, um dos maiores da América Latina.

"Escolhemos parceiros globais: o Ribbit é um dos principais fundos de fintech do Vale do Silício, enquanto o Kaszek se preocupa muito com produto", diz Gusmão, presidente executivo da Warren. Fundada em 2017, em Porto Alegre, a corretora oferece fundos com diferentes riscos, baseados em ações ou renda fixa, por exemplo - o aporte mínimo é de R$ 100 e a taxa cobrada é de 0,5% ao ano sobre os rendimentos.
"Investir é difícil demais para a pessoa comum, porque é uma sopa de letrinhas, CDB, CDI, LCA…", diz Gusmão. "Nosso robô orienta o usuário a investir em produtos a partir de um objetivo pessoal, como viagens ou aposentadoria."

Com os recursos recebidos pelo aporte, a Warren pretende ampliar operações: hoje, tem 60 mil clientes e R$ 300 milhões em ativos administrados. Segundo Gusmão, a meta é atingir 120 mil usuários e R$ 1,3 bilhão em ativos até o fim do ano.

Robocop

Uma das armas para esse crescimento é uma nova área de negócios, iniciada no começo do ano, que permite a assessores financeiros utilizar os serviços da Warren. "Queremos entregar um Robocop dos investimentos: a máquina orienta a melhor aplicação, o melhor portfólio, enquanto o ser humano cuida do relacionamento", diz. Nessa modalidade, a startup continuará a cobrar taxa do assessor, que por sua vez, poderá definir quanto cobra do cliente. Segundo a empresa, hoje já há 50 consultores cadastrados - e outros 200 estão na fila de espera.

Na visão de Guilherme Horn, líder de inovação da consultoria Accenture, a aposta em mesclar consultoria humana e robôs pode dar certo. "Um robô não deve substituir um banco ou corretora, mas sim funcionar como ferramenta complementar", afirma. "Há uma tendência de integração maior, em soluções híbridas."

Outro destino para os recursos será o aumento da equipe: atualmente, a empresa tem 120 funcionários, divididos entre a sede em Porto Alegre e São Paulo. Até o fim do ano, Gusmão pretende ter 200 pessoas - 10% delas na capital paulista. Mais da metade do time está dedicado à tecnologia. "Com processos automatizados, é possível atender mais clientes a custos baixos", diz.

A partir de abril, a Warren também vai oferecer produtos de outros bancos e corretoras em sua plataforma, como Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) e fundos de investimento. A diferença é que a Warren vai "devolver" aos clientes a comissão que receber pela venda desses fundos - ou rebate, no jargão do setor.

"Se o usuário investir em um fundo com taxa de administração a 2%, mas o rebate for de 0,8%, ele vai pagar 1,2%, mais a nossa taxa fixa de 0,5%", diz Gusmão. "Vai ficar mais barato do que se ele investir em alguns outros lugares." Inclusive na empresa da qual os fundadores da Warren eram sócios.

Na visão de Gusmão, a XP é uma de suas muitas rivais. Seu maior concorrente, porém, é o gerente do banco que "nem sempre oferece a melhor aplicação ao correntista, mas sim a que ele precisa vender para ganhar uma comissão".

Para Horn, da Accenture, a experiência anterior dos sócios é um ponto a favor da Warren. "São profissionais que têm rica experiência e a visão da dor do usuário que ainda não foi atendida. A diferença é que antes a mão de obra qualificada era alvo de concorrentes. Agora, eles foram picados pela mosca do empreendedorismo."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

A Itaúsa (ITSA4) esperou até o último dia da temporada de balanços para revelar os números do segundo trimestre. E a paciência dos investidores não foi recompensanda: a companhia lucrou R$ 3 bilhões, uma queda de 12,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) sobre o […]

BALANÇO

Resultado da Méliuz (CASH3) piora e empresa de cashback registra prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no segundo trimestre

15 de agosto de 2022 - 19:07

Os papéis da Méliuz amargam perdas de 87% no ano, mas entraram no mês de agosto em tom mais positivo, com ganho mensal de 7%

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magazine Luiza (MGLU3) dá a volta por cima, XP vai às compras e futuro do ethereum; confira os destaques do dia

15 de agosto de 2022 - 18:52

Há pouco mais de dois meses, quando conversei com diversos analistas e gestores de mercado sobre as expectativas para o segundo semestre, poucos foram aqueles que apostaram nos setores de grande exposição à economia doméstica como boas alternativas para a segunda metade do ano.  Não que empresas ex-queridinhas como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e […]

ACIONISTAS FELIZES

Dividendos: Itaúsa (ITSA4) pagará JCP adicional e data de corte é nesta semana; veja como receber

15 de agosto de 2022 - 18:47

Vale lembrar que, após a data de corte, as ações serão negociadas “ex-direitos” e passarão por um ajuste na cotação referente aos proventos já alocados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies