Menu
2018-11-01T19:21:57-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Investimentos

Tesouro Direto: tudo que você precisa saber para comprar títulos públicos

Essa é uma das modalidades mais populares de investimentos do país e tem como vantagem a praticidade e a segurança

18 de outubro de 2018
5:20 - atualizado às 19:21
guia do Tesouro Direto
Guia do Tesouro Direto - Imagem: Seu Dinheiro com Shutterstock

Quem busca uma aplicação de baixo risco deve entender como funciona o Tesouro Direto. Esse investimento ficou escondido nas prateleiras dos bancos por um bom tempo porque rende mais do que outras aplicações e o investidor paga menos taxas. Mas o que passou, passou. O importante é que você está aqui agora e disposto a entender como funciona o sistema de venda de títulos públicos brasileiros para a pessoa física.

O Seu Dinheiro separou aqui tudo o que você precisa saber para investir no Tesouro Direto:

O que é

O Tesouro Direto é uma das ferramentas do governo utilizadas para a venda de títulos públicos federais. Criado em 2002, ele tem foco no investidor pessoa física e ficou popular por permitir que se faça negociações pela internet.

A ideia do programa surgiu pela necessidade de popularizar as vendas dos títulos públicos, até então restritos e com venda feita através de fundos de renda fixa.

De maneira bem prática, quando o investidor compra um título do Tesouro funciona como se ele emprestasse dinheiro ao Estado, que depois devolve o valor e paga juros sobre o tempo aplicado. Entenda os detalhes dessa aplicação neste link.

Como investir

Para investir nos papéis do TD, basta ter uma conta em um banco ou corretora. O processo de compra e venda é todo online. Se você ainda tem dúvidas, veja o passo a passo de como garantir seu papel.

Tipos de títulos

O governo coloca à venda tanto títulos prefixados como pós-fixados. Nos dois casos, você pode escolher se prefere receber seus rendimentos de uma vez só no fim do contrato ou semestralmente até o vencimento do título. A diferença dos títulos está na taxa de juros.

Prefixados

Nesse caso, as taxas são definidas no momento da compra do título. Por exemplo, se você comprar em 2018 uma LTN (título prefixado) que paga 10% ao ano e tem vencimento em 2021, você vai receber o juro contratado acumulado em 2021 . Faça chuva ou faça sol, a Selic suba ou caia.

Pós-fixados - IPCA ou Selic

Além da taxas definidas na hora da aplicação, os juros serão calculados com base em indicadores variáveis, como a inflação oficial (medida pelo IPCA) ou da taxa Selic. Entenda as condições de cada aplicação e saiba o melhor título  para você.

Preço e rentabilidade

É possível começar a investir no Tesouro Direto com R$ 30. Já a rentabilidade varia de acordo com o papel que você adquire. Fique atento às taxas cobradas pelas corretoras. Em algumas delas, como a Rico, Easyinvest e BTG Pactual não há taxas de custódia. Mas, em alguns bancos e corretoras, elas podem chegar a 2% e corroer a sua rentabilidade. Aqui você encontra mais detalhes para entender os preços e os rendimentos dos títulos.

Taxas e impostos

Para investir no Tesouro Direto você terá de pagar dois tipos de taxa diferentes. A primeira é cobrada pela BM&FBovespa para cobrir os custos com sistema, operações e negociações feitas pelos investidores e tem o valor fixo de 0,30% ao ano sobre o valor de cada título.

A segunda taxa é paga diretamente à sua corretora e costumam ser negociadas no momento da compra do título. Vale a pena pesquisar quais taxas são oferecidas pelo mercado porque muitas corretoras não cobram esse tipo de tarifa.

Já com relação aos impostos, o Tesouro Direto segue a mesma linha de pagamentos dos outros investimentos em renda fixa. Sobre cada rendimento pago incide Imposto de Renda proporcional e calculado através de uma tabela.

No caso de você resgatar o dinheiro aplicado antes de 30 dias, terá que pagar uma alíquota de IOF no momento da retirada. Veja todos os detalhes de taxas e impostos cobrados no Tesouro Direto.

Vale a pena?

Em geral, vale, sim. É muito comum comprar o Tesouro Direto com a poupança. O Tesouro dá um rendimento maior e seu risco é baixo - especialmente para quem segura o título até o vencimento. Quer mais razões? Acesse aqui que te dou várias!

Como resgatar

Uma das grandes vantagens do Tesouro Direto é que ele te permite resgatar o dinheiro a qualquer momento durante o contrato. Para efetuar a retirada, você deve solicitá-la via aplicativo, site da corretora ou do Tesouro Direto. O pedido pode ser feito qualquer dia da semana. No dia útil seguinte ao pedido, o dinheiro será liberado e depositado na sua conta. Entenda o passo a passo para resgatar seu título.

Qual a melhor corretora

O primeiro passo é verificar se a corretora que você pretende investir está cadastrada no sistema de instituições habilitadas do Tesouro Direto. Depois, é preciso achar quais cobram menos taxas para aumentar a sua rentabilidade. Ao todo, são 78 instituições que oferecem títulos do TD. Aqui você encontra uma lista com todas as que não cobram taxas.

Simulador do Tesouro Direto

No site do Tesouro Direto, você encontra uma calculadora para comparar a rentabilidade dos títulos. É possível calcular a partir do valor que você quer ter no futuro ou a dos aportes que você pode fazer hoje. Lá você também encontra uma comparação direta com a poupança.

Ficou com alguma dúvida? Me diga o que mais você quer saber sobre o Tesouro Direto no espaço de comentários. Se quiser receber nossos conteúdos por e-mail, clique aqui. 

Além do Tesouro

Agora que você sabe tudo sobre títulos públicos, que tal ir além do Tesouro Direto e conhecer outros investimentos em Renda Fixa? Nesta matéria te indico 10 boas aplicações desse grupo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

na justiça

Empresas processam Facebook e pedem afastamento de Mark Zuckerberg

Para quatro companhias, integração entre apps planejada pela gigante reduzirá substancialmente a concorrência; Facebook diz que reivindicações são esperadas, mas não têm mérito

problemas para o contribuinte

Indisponibilidade de site da Receita põe em risco negócios e renovação do Simples

Prazo de reinserção no Simples termina em 31 deste mês. A falta de certidão negativa inviabiliza fechamento de negócios com órgãos públicos e empresas que exigem o documento

mais pausas em dias úteis

Para CNC, feriados de 2020 devem causar prejuízo de quase R$ 20 bi ao comércio

CNC estima que haja uma queda de 8,4% na lucratividade do comércio a cada feriado. Os setores e regiões com maior peso da folha de pagamentos em relação ao faturamento tendem a ser mais afetados

Alívio

Ibovespa opera em alta e dólar cai a R$ 4,18, acompanhando o otimismo no exterior

A força demonstrada pelo varejo e pela indústria da China em dezembro neutraliza as preocupações com o PIB mais fraco do país. Como resultado, o Ibovespa e as bolsas globais sobem

fase 1 do acordo

Trégua comercial da China com EUA deve garantir superávit em conta corrente

Nos primeiros três trimestres de 2019, a China acumulou superávit em conta corrente de US$ 137,4 bilhões, equivalente a 1,3% de seu Produto Interno Bruto (PIB)

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

lupa sobre os números

Superávit da balança comercial brasileira recua em 2019

Superávit diminuiu de US$ 58 bilhões em 2018 para US$ 46,7 bilhões, segundo dados da FGV

tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

14 notícias para você começar o dia bem informado

Hoje eu destaco a reportagem da Julia Wiltgen, que conversou com os gestores do fundo multimercado de maior rentabilidade em 2019.  Lá fora, as bolsas americanas tiveram novo recorde. Entre as empresas, destaque para a dona do Google, que virou um negócio trilionário, e a Bombardier, que teve o pior pregão da sua história na […]

para ficar atento

MP vê ‘brecha’ de dados do Cadastro Positivo

MP do Distrito Federal instaurou inquérito sobre uma possível vulnerabilidade de dados causada pelo birô de crédito do Boa Vista

defesa da categoria

‘Frete é paliativo; pauta é redução do preço do diesel’, diz presidente de associação

Para Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores, caminhoneiros precisam estar sob o mesmo guarda-chuva, com alíquotas iguais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements