Menu
2019-08-06T17:16:19+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Política Monetária

Será que Campos Neto tira do bolso alguma indicação sobre a Selic?

Presidente do Banco Central discursa em cerimônia de transmissão de cargo e mercado, ou parte dele, espera algum aceno sobre taxa básica de juros

13 de março de 2019
8:21 - atualizado às 17:16
Roberto Campos Neto CAE 260219
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência na CAE. - Imagem: Pedro França/Agência Senado

No comando do Banco Central (BC) desde 28 de fevereiro, Roberto Campos Neto, não faz pronunciamentos públicos desde sua sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado no dia 26. Na tarde dessa quarta-feira, ele volta a discursar e expectativa recai sobre algum aceno diferente da “cautela, serenidade e perseverança” com relação à condução da política monetária.

Uma possível resposta vem logo mais, às 15 horas, e vou estar lá para acompanhar. Além de Campos Neto, Ilan Goldfajn também faz seu discurso de despedida.

A cerimônia é uma das mais concorridas de Brasília, contando com a presença de banqueiros públicos e privados e demais estrelas do mercado. Mas como não é de bom tom ofuscar o novo presidente, a ilustrada plateia raramente se pronuncia ou se restringe a elogiar o novo presidente. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também participa

Por ora, a indicação do Comitê de Política Monetária (Copom), que se reúne na semana que vem, é de manutenção da Selic em 6,5% ao ano, mínima histórica atingida em março do ano passado.

O colegiado também tem dois novos diretores, Bruno Serra Fernandes, na Política Monetária, e João Manoel Pinho de Mello, na Organização do Sistema Financeiro e Resolução.

O que temos até então

Na sua sabatina no Senado, Campos Neto transmitiu uma mensagem de continuidade da gestão de Ilan Goldfajn, ao refirmar a “cautela, serenidade e perseverança” como valores que devem ser preservados e aprimorados.

Os termos estão sendo utilizados para reforçar que o BC não se pauta por mudanças de curto prazo, mas sim por alterações em tendências das variáveis econômicas.

Além disso, na ata da sua reunião de janeiro, o Copom acenou que o estímulo monetário dado pela Selic está adequado e que o crescimento depende da redução da incerteza, que passa pela realização das reformas.

Em sua apresentação na CAE, Bruno Serra Fernandes falou da recuperação “bastante gradual”, mas relacionou a permanência da política monetária no “campo estimulativo” ao desenho da política fiscal e à sinalização de “contenção” dos déficits correntes nas contas públicas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Desde a reunião de janeiro do Copom, o crescimento teima em decepcionar, a inflação segue comportada, e o Federal Reserve (Fed), banco central americano, reforça a sua “paciência” no ajuste das condições monetárias.

Para o BC, apesar da melhora no ambiente externo em comparação com o fim do ao passado, o balanço de riscos para a inflação continuaria assimétrico para o lado negativo. A chance de decepção com as reformas ainda tem peso superior que os vetores que podem manter a inflação abaixo da meta.

Selic em debate

Parte do mercado e da academia, no entanto, acredita que o Copom teria espaço para reduzir ainda mais a Selic, contribuindo para uma recuperação mais célere da atividade. Esse debate começou no fim do ano passado e se intensificada a cada indicador de atividade e inflação.

A mediana do mercado, captada pelo Focus, mostra Selic estável em 6,5% até o fim de 2019, mas olhando a distribuição de frequência das respostas, atualizada uma vez por mês, é possível observar que uma parcela de cerca de 10% dos analistas já considera juros menores, entre 5% e 5,5%.

Algumas casas de investimento também acreditam em espaço para queda da Selic, mas relacionam a atuação do BC à cenário mais claro de aprovação da reforma da Previdência.

O leitor já deve saber disso, mas quanto menor a Selic, melhor o cenário para os ativos de risco, como bolsa de valores. No entanto, outro “valor” relevante é uma taxa de juros que além de baixa, seja estável. E na sua comunicação oficial o BC coloca isso como um objetivo a ser perseguido.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

pacote de medidas

Governo enviará ao Congresso proposta de reforma com imposto sobre consumo

Roteiro traçado pelo ministério prevê o envio da reforma ao Congresso em quatro etapas, que devem começar ainda em novembro e se estender até meados de 2020

com o caixa cheio

Neon recebe investimento de R$ 400 milhões do Banco Votorantim e do fundo General Atlantic

Recursos devem acelerar o crescimento da empresa e aumentar a densidade da marca nas capitais fora do eixo Rio-São Paulo

Bancos

Ação do Banco do Brasil é a preferida do Santander no setor

Em relatório sobre perspectivas para 2020, Santander lista os bancos que devem se beneficiar dentro de um cenário de recuperação da atividade

rumo ao topo?

TikTok chega a 1,5 bilhão de downloads – no ano, é o único entre os 5 mais baixados que não pertence ao Facebook

Rede social fundada pela startup chinesa ByteDance segue firme em sua popularização, impulsionada pelo mercado na Índia

Planos futuros

Em entrevista, relator admite que PEC emergencial deve ficar para o ano que vem

Parlamentar quer ainda que, quando haja superávit primário, o funcionalismo ganhe um bônus salarial equivalente a 5% dessa economia extra

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Volta do feriado

Ibovespa opera em alta e tenta retomar os 107 mil pontos, ajustando-se ao exterior

As bolsas globais tiveram uma sexta-feira amplamente positiva, mas, por aqui, os mercados estiveram fechados em função do feriado. Assim, o Ibovespa opera em alta, recuperando o tempo perdido

Exile on Wall Street

Qual o segredo do investidor de sucesso?

Penso, lembrando da minha trajetória: qual será o segredo do sucesso? Quais as regras para um bom investidor? Qual a lista de prescrições a seguir agora? Onde está a fórmula mágica? 

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Presentão de aniversário ou presente de grego?

Alguns anos atrás recebi de um amigo um convite para ir ao Rock in Rio. Ele ganhou o ingresso e me chamou para ir com ele “na faixa”. Que presentão, pensei logo de cara. Mas tinha que comprar a passagem para o Rio, pagar o hotel… e os preços não estavam nada amigáveis. Eu economizava […]

no boletim focus

Mercado financeiro eleva estimativa de inflação de 3,21% para 3,33%

Expectativa registrada no Boletim Focus, do BC, continua sendo que a Selic encerre 2019 em 4,50% ao ano e que o PIB cresça 0,92%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements