Menu
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Inflação oficial

Apesar da demanda fraca, IPCA acelera e sobe 0,43% em fevereiro, revela IBGE

Resultado ficou acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas, que previam uma alta de 0,26% a 0,42%, com mediana de 0,38%

12 de março de 2019
9:57 - atualizado às 15:39
inflação-real
Demanda fraca e poder de compra limitado da população ajudam a conter a inflação - Imagem: Shutterstock

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou fevereiro em 0,43%, ante taxa de 0,32% em janeiro, informou nesta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou ligeiramente acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam uma alta de 0,26% a 0,42%, com mediana de 0,38%.

A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 0,75%. O IPCA em 12 meses acumulou 3,89%, também ligeiramente acima das previsões dos analistas, que iam de 3,71% a 3,88%, com mediana de 3,84%. O resultado anual, no entanto, segue abaixo da meta de inflação estabelecida pelo Banco Central, de 4,5% com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima e para baixo.

Demanda fraca segura preços

De acordo com o gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE, Fernando Gonçalves, a demanda fraca e o poder de compra limitado da população ainda ajudam a conter a inflação oficial no País. Segundo os dados do instituto, no mês passado houve queda de preços em dois dos nove grupos pesquisados: Vestuário (-0,33%) e Transportes (-0,34%). O grupo Comunicação ficou estável (0,0%).

Entre os avanços, as duas principais pressões vieram de Alimentação e bebidas (0,78%) e Educação (3,53%). "Alimentação e Educação respondem por aproximadamente 84% do IPCA de fevereiro", lembrou Gonçalves.

Embora Educação tenha refletido o tradicional reajuste de mensalidades escolares nessa época do ano, a alta de 2019 foi a mais baixa em mais de 10 anos. Segundo Gonçalves, algumas escolas estariam negociando reajustes menores, para evitar a evasão de alunos.

No caso de alimentação, houve pressão de culturas prejudicadas pelo clima e redução de área plantada, como o caso de feijões. Mas a alimentação consumida fora do domicílio, que reflete a demanda, teve queda de 0,04% no preço. A refeição consumida fora de casa ficou 0,22% mais barata no mês.

Entre os demais grupos, as famílias gastaram 0,20% mais com Artigos de residência; 0,49% mais com Saúde e cuidados pessoais; 0,38% mais com Habitação; e 0,18% mais com Despesas Pessoais.

Mesmo com bandeira verde, custo de energia sobe

A tarifa de energia elétrica teve uma alta de 1,14% em fevereiro, uma contribuição de 0,04 ponto porcentual para a inflação do mês.

Houve aumentos nas alíquotas de PIS/Cofins na maioria das regiões pesquisadas. As variações da conta de luz ficaram entre a queda de 2,35% registrada em Aracaju até um avanço de 14,99% verificado em Rio Branco.

Desde dezembro de 2018, está em vigor a bandeira tarifária verde, que dispensa a cobrança adicional por quilowatt-hora consumido.

Os gastos das famílias com Habitação subiram 0,38% em fevereiro. Houve impacto ainda da elevação de 4,11% no gás encanado, em razão do reajuste médio de 11% na tarifa de São Paulo em vigor desde 1º de fevereiro. Por outro lado, o preço do gás de botijão recuou 0,72% no mês.

Tarifas aéreas em queda empurram inflação de serviços para baixo

A queda de 16,65% nas passagens aéreas ajudaram a conter a inflação de serviços em fevereiro, a despeito da pressão dos reajustes de mensalidades escolares. Já o custo com cursos regulares subiram 4,58% em fevereiro.

Dentro do IPCA, a inflação de serviços desacelerou de 0,50% em janeiro para 0,39% em fevereiro. Já a taxa acumulada em 12 meses pela inflação de serviços passou de 3,71% em janeiro para 3,35% em fevereiro.

Quanto à inflação de bens e serviços monitorados pelo governo, houve aceleração de 0,05% em janeiro para 0,29% em fevereiro. O preço da gasolina caiu menos, enquanto houve pressão dos aumentos do gás encanado e da energia elétrica.

A taxa da inflação de monitorados acumulada em 12 meses diminuiu de 6,04% em janeiro para 5,77% em fevereiro, o menor patamar desde julho de 2017, quando estava em 4,72%. "Mas o ano está começando agora, e vai começar a vir reajustes de energia elétrica, etc", ponderou Gonçalves.

Vale lembrar que a inflação do próximo mês pode ser impactada por um avanço na conta de luz no Rio de Janeiro, que em 2018 ocorreu no mês de março. Outros reajustes de itens monitorados que podem pressionar o IPCA são a taxa de água e esgoto em Fortaleza e Aracaju; ônibus urbano em Porto Alegre, Recife e Curitiba; e trem em Porto Alegre.

Por outro lado, podem ajudar a conter a taxa o reajuste menor de gás encanado em São Paulo e a redução nos preços de cigarros em Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Brasília.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

TUDO QUE VAI MEXER COM SEU DINHEIRO HOJE

Hora do acerto de contas

Caro leitor, Desde que eu comecei a cobrir finanças pessoais e investimentos, o mês de abril tem sido de especial agitação. E isso não apenas por causa do meu inferno astral, já que meu aniversário é no começo de maio, mas também porque se avizinha o fim do prazo para entregar a famigerada declaração de […]

Disputa pelos ares

Cade analisará Latam e Gol no caso Avianca

Órgão de defesa da concorrência abre processo para investigar conduta anticompetitiva de Gol e Latam. A suspeita é que companhias tenham entrado na disputa de forma a tirar a Azul da jogada

Vídeo

Por que a política tem tanta influência na bolsa brasileira?

Nas últimas semanas, canetadas presidenciais mexeram com o Ibovespa. Entenda por que quem investe em ações no Brasil tem que ficar mais de olho na política do que o normal

IR 2019

Como declarar o imposto de renda 2019: tudo que você precisa saber para prestar contas ao Leão

Neste guia, você encontra o caminho das pedras para preencher e entregar a sua declaração de imposto de renda, mesmo que seja a sua primeira vez

#Tamojunto

Relacionamento entre Bolsonaro e Guedes é ótimo

Prova disso é que com uma boa conversa, o ministro não só resolveu o imbróglio da Petrobras, como plantou a ideia de privatização dessa joia da coroa

Escolha feita hoje

Conselho da Lojas Renner elege Fabio Faccio como diretor presidente

Varejista de moda confirma o processo de transição que havia sido anunciado em novembro de 2018, com a saída de José Galló do cargo

Após zerarem taxa

Cade instaura processo contra Itaú e Rede

Suspeita é que haja conduta anticompetitiva, já que o Itaú, dono da Rede, oferece condições melhores para clientes da sua própria credenciadora

Seu Dinheiro na sua noite

Quando a música para de tocar

Está com saudades dos tempos em que a renda fixa garantia retornos de 1% ao mês? E se eu lhe dissesse que havia uma aplicação no mercado que dava uma rentabilidade mensal de 5%, e com risco praticamente zero? Eu sei, está com cara daquelas pirâmides financeiras, mas os ganhos eram bem reais. Essa era […]

DE OLHO NO GRÁFICO

Três altcoins para você investir a partir de hoje

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. Terças e quartas o tema é o mercado de ações. Quinta-feira é a vez das criptomoedas

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast: A volta dos IPOs e diesel no chope

Marina Gazzoni e Vinicius Pinheiro comentam os altos e baixos da semana.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

GUIA GRATUITO

Como declarar seus investimentos no IR 2019