⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-08-04T19:20:51-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
SÓ O AMOR…

Entenda o que são as ‘pontes’ que ligam as blockchains das criptomoedas; elas já perderam US$ 2 bilhões em ataques hackers

A fragilidade desses sistemas se deve principalmente por serem projetos muito novos e somarem as fraquezas de duas redes diferentes

3 de agosto de 2022
14:35 - atualizado às 19:20
Pontes que ligam as blockchains das criptomoedas são as mais vulneráveis aos ataques hackers. Entenda
Pontes que ligam as blockchains das criptomoedas são as mais vulneráveis aos ataques hackers. Entenda mais aqui. Imagem: Montagem / Freepik

O roubo de criptomoedas das pontes (bridges) que ligam as redes (blockchains) das moedas digitais se tornou um problema em larga escala. Até o momento, o roubo de tokens já soma perdas de US$ 2 bilhões, de acordo com um relatório publicado hoje pela Chainalysis.

Os hacks em pontes chegam a representar quase 75% do total de ataques às redes das criptomoedas, o que levanta o sinal amarelo para as agências de proteção de blockchain.

Ontem (02), a rede ethereum sofreu mais um ataque hacker, perdendo cerca de US$ 190 milhões de uma só vez.

Afinal, o que torna as bridges tão inseguras? A verdade é que o crescimento de diversos projetos e cada vez mais necessidade de conexão entre as redes (blockchains) das criptomoedas gerou um boom de novas pontes.

E novos projetos tendem a ser mais inseguros — como acontece com os protocolos de DeFi, alvos preferidos dos criminosos. No entanto, isso não quer dizer que essas pontes serão sempre inseguras.

Entenda a seguir o que elas são e como se proteger de ataques:

Pontes entre criptomoedas: ligação das blockchains

As bridges são aplicativos construídos para conectar redes diferentes de criptomoedas. Elas permitem que o usuário use seu dinheiro por meio de contratos em outra blockchain, sem precisar necessariamente fazer a conversão de um token para outro.

Por exemplo, atualmente, a rede ethereum é a blockchain que mais abriga projetos dos mais diversos, entre DeFis, NFTs, jogos play-to-earn etc.. Mas cada um desses ativos criptográficos tem tokens (criptomoedas) específicas.

Para evitar que o usuário precise converter as moedas a todo momento — e, consequentemente, pagar taxas em cada uma das transações — são criados tokens do tipo wrapped (“embrulhado”, em tradução livre).

Exemplos de criptomoedas de pontes

O mais famoso da rede ethereum é o wrapped ethereum (wETH), mas também existem tokens wrapped bitcoin (wBTC), por exemplo.

Dessa forma, o usuário envia seu dinheiro em criptomoedas para a bridge, que emite tokens wrapped. Essas moedas funcionam como “recibos” na blockchain, garantindo que os usuários tenham fundos equivalentes àqueles “recibos”.

Uma pequena história de pontes e ouro (real)

Para os fãs de histórias heróicas medievais, imagine que um viajante precisa cruzar de um reino para o outro, mas precisa levar certa quantidade de moedas.

O reino vizinho não aceita as moedas locais. Então, ao passar por uma ponte literal, ele troca seu pesado quinhão de ouro por papéis que dizem: isto vale moedas de ouro — inclusive, esta é a história do dinheiro em papel e dos bancos, mas contá-la fica para outro dia.

De volta ao mundo digital, as pontes funcionam como esse posto de parada para conversão. Assim como é esperado, esse baú de dinheiro digital, protegido por código, é alvo de olhos maliciosos.

Parte frágil da blockchain e o roubo de criptomoedas

Naturalmente, os protocolos das redes das criptomoedas têm falhas comuns em qualquer projeto — mas dificilmente são exploradas individualmente devido à dinâmica das atualizações propostas pelos desenvolvedores.

Acontece que as pontes são as partes mais frágeis por estarem expostas aos problemas de código das duas blockchains ligadas e do próprio protocolo da bridge. Por serem bolsões de dinheiro, são os pontos de entrada mais procurados pelos hackers.

Foi o que aconteceu com o Axie Infinity, que afirma terem sido roubados cerca de 173.600 ethereum (ETH) e 25,5 milhões USD Coin (USDC) — totalizando US$ 625 milhões — por meio de um problema em uma das bridges que conectam o jogo com a rede ethereum.

Como prevenir problemas?

Vale ressaltar que, no início da criação do mundo das criptomoedas, os pontos mais frágeis da rede eram justamente as corretoras de moedas digitais, as exchanges.

Mas, com o passar dos anos, elas se tornaram cada vez mais seguras e hoje dificilmente se ouve falar em um ataque hacker a essas instituições.

Portanto, é de se esperar que as pontes também passem pelo mesmo problema — e posterior solução.

Assim, o usuário deve optar por bridges mais antigas e conhecidas antes de fazer qualquer transação. Usar pontes diferentes e pequenas porções de dinheiro por negociação também pode ajudar a reduzir as perdas em caso de ataque hacker.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

ENTREVISTA

Elon Musk não está sozinho: o home office pode acabar com o fim da pandemia, alerta um dos principais gurus de carreiras do mercado

1 de outubro de 2022 - 7:23

A exemplo do dono da Tesla um número cada vez maior de empregadores quer os profissionais de volta ao escritório, afirma o mentor de carreiras e escritor Luciano Santos

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa fecha setembro no azul, o potencial da Weg (WEGE3) e a semana do bitcoin; confira os destaques do dia

30 de setembro de 2022 - 19:19

O último pregão do mês foi também o último antes da definição do primeiro turno das eleições presidenciais de 2022. Apesar disso, levou um tempo até que a política fosse o principal gatilho para os negócios.  Isso porque o debate final entre os candidatos à chefia do Executivo não trouxe grandes mudanças no cenário-base, já […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa fecha setembro no azul por um triz após nova onda do ‘efeito Meirelles’; dólar vai a R$ 5,39

30 de setembro de 2022 - 18:53

O Ibovespa deixou a política parcialmente de lado no último pregão antes do pleito de domingo

Balanço do mês

Os melhores investimentos de setembro: dólar tem a maior alta do mês, e Brasil vai na contramão do mundo com valorização de quase todos os ativos

30 de setembro de 2022 - 18:42

Títulos prefixados vêm logo em seguida, beneficiados pelo fim do ciclo de alta da Selic no Brasil. Veja o ranking completo dos melhores e piores investimentos do mês

EFEITO MEIRELLES 2.0

Bolsa amplia alta e Magazine Luiza (MGLU3) dispara com novo rumor sobre Henrique Meirelles no governo em caso de vitória do petista

30 de setembro de 2022 - 16:01

Descolando de seus pares internacionais, a bolsa brasileira opera em forte alta, mas o grande destaque fica com a curva de juros e a disparada de ações do setor de consumo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies